10 livros de literatura de montanha para leitura durante isolamento social

Umas das formas mais antigas de entretenimento é a leitura de livros. Para adquirir mais conhecimento sobre vários assuntos, o importante é ler. A prática da leitura é viciante. Como toda a droga viciante, prática da leitura de livros requer um ingrediente indispensável: o prazer.

Portanto, procurar obras interessantes que despertem o interesse é um dos grandes segredos. Cada um tem o seu gosto, se você gosta de montanhismo e escalada saiba que existem obras que são consideradas quase que obrigatórias.

O prazer pela leitura é algo que pode ser conquistado a partir de práticas cotidianas. Em períodos de isolamento social, quarentenas e lockdown é a oportunidade perfeita. Mas logo existe uma pergunta importante: começar por onde?

Aqui mesmo na Revista Blog de Escalada há uma sessão de indicação de livros. Até o momento, há 276 obras analisadas, com detalhes de editora, número de páginas e detalhes do autor. No Brasil, nenhum veículo de mídia outdoor tem tantos títulos analisados.

Confira abaixo os 10 livros considerados essenciais para o período de isolamento social.


“The Push” de Tommy Caldwell

Este livro de memórias fascinante narra a jornada de um garoto fanático por montanhas, determinado a reinar no topo do circuito da escalada de grandes paredes.

A afinidade de Tommy Caldwell pela aventura levou-o ao mundo indutor pouco compreendido da escalada em Yosemite. Mas sua evolução como escalador não foi isenta de desafios. Com histórias fascinantes, como o drama pessoal quando foi mantido refém por militantes em uma provação angustiante nas montanhas do Quirguistão.

Logo depois, Caldwell perdeu o dedo indicador esquerdo em um acidente. Mais tarde, sua esposa e principal parceiro de escalada o deixaram.

Tommy emergiu dessas dificuldades com um renovado senso de propósito e determinação. Ele mirou na escalada o maior desafios de todos: “Dawn Wall”.


“Na Natureza Selvagem” de Jon Krakauer

Na obra é contada a história de Chris McCandless, um americano saudável e de família rica que depois de terminar a faculdade doa todo seu dinheiro e abandona carro e maioria de seus pertences.

Como se não fosse suficiente adota outro nome e sai pela estrada a pedir carona sem nunca mais dar notícias aos pais.

Dois anos depois, aparece morto num lugar ermo e gelado do Alasca.


“Os Conquistadores do Inútil” de Lionel Terray

“Os Conquistadores do Inútil” é um livro autobiográfico e detalha pontos sobre a vida do escalador desde sua infância, em uma típica família burguesa, na qual ele mesmo desafiava para ir escalar e caminhar nas montanhas.

Passagem que descrevem sua passagem pela seleção francesa de ski quando tornou-se a primeira pessoa a esquiar a vertente norte do Mont Blanc, o que causou furor à época.


“Deixado para morrer” de Beck Weathers

No livro “Deixado para Morrer”, Beck narra a sua experiência de maneira completa, descrevendo desde detalhes sobre a preparação física até os momentos desesperadores em que se viu perdido, quase cego e com as mãos congeladas, sem poder comer ou beber água na montanha.

Enquanto muito se da destaque, às vezes exagerado e injustificável ao livro “No Ar Rarefeito” de Jon Krakauer, a obra de Beck Weathers mostra um outro lado da história da tragédia, com detalhes mais interessantes e muito menos fantasiosos.


“Lições de Um Empresário Rebelde” de Yvon Chouinard

Talvez a maior inspiração que alguém possa ter para começar o seu negócio outdoor seja o americano Yvon Chouinard. Em seu livro “Lições de Um Empresário Rebelde” o empresário conta um pouco de sua visão a respeito do capitalismo e da maneira sui generis de gerir seus negócios. A

pesar de uma tradução para o português que deixa a desejar (a começar pelo título que nada tem a ver com o original Let my people go…surfing), o conteúdo do livro compensa. O americano Yvon Chouinard era dedicado escalador em rocha, tendo realizado várias ascensões de respeito, e tinha um sonho: conseguir viver do esporte que praticava.

Contrariando os prognósticos de mercado, que se apoiavam em números sem muita profundidade e veracidade, o americano criou a sua empresa de produtos para escalada: Chouinard Equipment.

Yvon começou manufaturando e distribuindo equipamentos de escalada em rocha no final dos anos 1950, e com o tempo foi formando uma empresa conhecida entre os praticantes de equipamentos outdoor, sobretudo de escalada.


“Livre” de Cheryl Strayed

Um outro exemplo de tradução de título que acaba desfigurando a própria obra. O livro “Livre” é rotulado por muitas pessoas como uma obra que segue o estilo de autoajuda, porém não é.

A obra é o relato cru, por vezes cômico, de como o contato com a natureza pode ajudar uma pessoa a encontrar o seu equilíbrio.

Com estilo de escrita cativante a escritora Cheryl Strayed consegue cativar imensamente o leitor, e o convida a realizar junto com ela na peregrinação e a exorcizar seus demônios internos.

O livro “Livre” é altamente indicado para quem aprecia obras que além de cativar pela historia, também serve de convite para quem deseja iniciar no universo outdoor para sair da zona de conforto.


“127 Horas” de Aron Ralston

O livro “127 horas” traz muito mais do que um simples drama, vem carregado também de ensinamentos ocultos que muitos praticantes ignoram, principalmente por se acharem indestrutíveis em algumas ocasiões.

Como todo livro de sobrevivência traz reflexões a respeito de como tratamos a família, os amigos e até mesmo nós mesmos durante nosso dia a dia.

Apesar de “assustar” quem não possui o hábito de leitura (o livro possui 416 páginas), a linguagem mais coloquial, e não menos apaixonante, faz com que as linhas escritas sejam devoradas rapidamente.


“The Mountains of My Life” de Walter Bonatti

O italiano Walter Bonatti foi um montanhista, guia de alta montanha, jornalista e fotógrafo e é considerado como um dos maiores nomes do século XX.

Autor de vários livros sobre montanhismo, tem em seu “The Mountains of My Life” uma coletânea de seus textos e conta a história considerada real ocorrida em 1954 sobre os acontecimentos no K2 (8.611 m), quando foi acusado de ter utilizado garrafas de oxigênio.

Walter Bonatti brigou muito para que a verdade fosse estabelecida, mas somente 50 anos mais tarde é que provas irrefutáveis da sua versão foram encontradas.


“Climbing Free” de Lynn Hill e Greg Child

Para contar sobre sua vida, sua introdução ao esporte e como se tornou uma das melhores escaladoras de todos os tempos Hill (com a ajuda de Greg Child) conta histórias e relata fatos importantes de sua vida.

Na obra detalhes como a sua queda de mais de 15 metros (e como foi sua recuperação), como se prepara mentalmente para seus desafios, o acontecimento da maternidade em sua vida aos 40 anos e como foi sua preparação para o seu mais importante feito que foi a escalada em livre do “The Nose” em Yosemite.

O livro deixa evidente que sua história pessoal também se confunde com a do esporte e é leitura obrigatória a toda e qualquer pessoa que pratique esportes de natureza.


“Rápido e Devagar: Duas Formas de Pensar” por Daniel Kahneman

artindo deste princípio que ganhador do Prêmio Nobel de Economia, Daniel Kahneman reuniu seus anos de pesquisas sobre o tema em seu livro “Rápido e Devagar: Duas Formas de Pensar”.

A ideia ideológica de que o homem é (ou pelo menos deveria ser) essencialmente racional foi colocada em xeque em sua obra, especialmente após apresentar a influência das impressões intuitivas em nossas decisões ditas racionais.

Kahneman ganhou o Nobel de economia por seu trabalho em economia comportamental (behavioral economics) a qual estuda o impacto que a cognição (especialmente os erros cognitivos) tem sobre os comportamentos econômicos e tomadas de decisão da sociedade.

Pensamentos automáticos e disfuncionais estão relacionados aos ditos erros cognitivos, que são os que “teimam” em aparecer, automaticamente, em situações importantes da vida.


BÔNUS: “The Mindful Athlete” de George Mumford

Após transformar atletas em máquinas de vencer, o George Mumford é um excelente exemplo de que parte imprescindível de um treinamento, é também a meditação.

Mumford publicou seu primeiro livro, “The Mindful Athlete: Secrets to Pure Performance”, que é um híbrido de coletânea de memórias e um guia de instruções para meditação voltada à performance. Neste livro, o autor compartilha sua história e estratégias.

Inúmeros jogadores de basquete, mesmo o grande Michael Jordan, creditaram a Mumford por mudar a maneira de como praticavam o esporte. Suas técnicas transformam o desempenho de qualquer pessoa com um objetivo, seja ele um atleta olímpico, guerreiro de final de semana, executivo, hacker ou artista.

Logo na introdução do livro (o primeiro capítulo está disponível gratuitamente do site do autor), Mumford enumera diversos vários feitos esportivos como parecendo coisas que apenas um super-herói poderia fazer.

 

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha, México e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias. Em 2018 foi o único latino-americano a cobrir a estreia da escalada nos Jogos Olímpicos da Juventude e tornou-se o primeiro cronista esportivo sobre escalada do Jornal esportivo Lance! e Rádio Poliesportiva.

(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src = “http://connect.facebook.net/en_US/all.js#xfbml=1”;
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));
window.fbAsyncInit = function() {
FB.init( {
appId : 1443946719181573,
autoLogAppEvents : true,
xfbml : true,
version : ‘v3.2’
});
};

( function( d, s, id ){
var js, fjs = d.getElementsByTagName( s )[0];
if ( d.getElementById( id ) ) {return;}
js = d.createElement( s ); js.id = id;
js.src = ‘https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js’;
fjs.parentNode.insertBefore( js, fjs );
}( document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’ ) );

Fonte: R7

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: