fbpx

“A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) vai melhorar a qualidade da saúde pública” – Jornal Semanário

Gestor da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) de Bento Gonçalves desde 2016, avalia as conquistas da unidade e projeta ações para os próximos meses

Natural de Veranópolis, Marciano Dal Pizzol veio com a família, ainda pequeno, para a Capital do Vinho. Aqui escreveu muitos capítulos de sua trajetória, o que contribuiu significativamente para seu crescimento pessoal e profissional. Desde 2016, é gerente da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) de Bento Gonçalves, que contempla, também, o município de Pinto Bandeira. Dal Pizzol comenta sobre os desafios e conquistas da Unidade de Saneamento (US), as dificuldades encontradas na condução da mesma, bem como as projeções para os próximos meses.

Origens e trajetória

Na área educacional, toda a minha formação, em nível fundamental, médio e educação superior, foi no município. Sou graduado em Direito pela Universidade de Caxias do Sul (UCS). No campo profissional, estou na Corsan há 12 anos. Ingressei em 2008, como leiturista. Fui o primeiro colocado na região e um dos primeiros a ser chamado no concurso, passando a atuar em Nova Prata. Após quatro meses, o departamento comercial da superintendência me requisitou para ir a outros locais. Fiquei por quase um ano e meio fazendo leituras em diversos municípios da Superintendência Regional Nordeste (Surne), tendo a oportunidade de conviver com muitas pessoas. Trabalhei também em Porto Alegre e no litoral, exercendo outras funções. Em 2010, tive a oportunidade de retornar para a Unidade de Bento, onde trabalhei no setor administrativo. Em 2015, novamente fui transferido para a superintendência, e, em 2016, surgiu a oportunidade de voltar para a US como gestor, onde estou até então.

Conquistas da US

De quatro anos para cá, conseguimos fazer o desassoreamento do Arroio Barracão, onde baixamos mais de dois metros o nível. Tivemos outra conquista importante que é o Centro de Controle Operacional (CCO) de Bento Gonçalves, integralizado com Farroupilha, Garibaldi e Carlos Barbosa. É um sistema on-line, que fica localizado na superintendência, no qual foi investido mais de R$ 4 milhões, inclusive com a ampliação da estrutura física para alocar este projeto. Desta forma, se consegue ter um controle maior das vazões, vazamentos e, principalmente, da nossa reservação. Também temos projetos de ampliação de redes no interior, em parceria com a Prefeitura, onde são feitas obras em comunidades que não tem abastecimento por sistema local.

Metas a curto, médio e longo prazo

Cumprindo o contrato de programa, estamos fazendo substituições de redes precárias (antigas, feitas de cimento, mal dimensionadas), aos poucos, na cidade, na ordem de 15% ao ano. Tem outra questão que provavelmente vai entrar neste ano, que é o melhoramento da Zona Sul da cidade, no que diz respeito aos bairros Imigrante, Santa Helena, Santa Marta e Santo Antão. Vamos instalar um reservatório de mais de dois milhões de litros, que deve dar um fôlego maior para aquela parte da cidade, já visando a instalação de grandes empresas e do crescimento populacional. Além destas questões, Bento também terá uma obra que deverá entrar em execução: o aumento de capacidade de produção de água. Serão 70 litros produzidos a mais, por segundo. Há também um projeto, a longo prazo, de a Companhia fazer a captação de água através do Rio das Antas. Esse está para ser iniciado no ano que vem, mas é uma demanda da diretoria. O que posso adiantar é que será integralizado entre Bento, Garibaldi, Farroupilha e Carlos Barbosa.

Arroio Barracão

O Arroio Barracão foi o primeiro responsável pela captação de água para Bento Gonçalves. Depois, desde 1998, São Miguel se somou à captação. Hoje, o Barracão é responsável por, em torno de 20% a 25% de captação para o município e São Miguel, o restante. Também temos um poço de captação de água para o Vale dos Vinhedos, neste caso, somente para aquela localidade. A operação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) será um adendo para a melhoria da qualidade de água, não somente do Barracão, mas também para toda fauna e flora da região. A ETE virá para melhorar ainda mais a qualidade da saúde pública.

Corsan e Prefeitura

Tivemos a ampliação do contrato com a Prefeitura de Bento Gonçalves, celebrada no ano passado, onde conseguimos estender o prazo por mais 22 anos. Inicialmente previsto para encerrar em 2035, passou para 2057. Nele, há muitos investimentos, valores, principalmente no que tange ao tratamento de esgoto, o qual espero que comece a funcionar ainda dentro deste ano, pois, finalmente, diga-se de passagem, a obra da estação de Tratamento de Esgoto (ETE) está pronta.

Em 2016, em entrevista a este mesmo veículo de comunicação, afirmei que a obra estaria pronta neste ano, o que foi concretizado. Estamos apenas fazendo o acabamento dos emissários que vão levar o material até ela e realizando testes periódicos para que não fique ociosa. É um material que precisa ter uma certa rodagem e acredita-se que até o final do ano, de fato, ela esteja em operação. Essa é uma das maiores conquistas para a cidade nos últimos anos. Além disso, o contrato de programa firmado com o poder público é regrado e tem metas de curto, médio e longo prazo.

Consertos em vias

É uma das reclamações diárias e constantes que temos aqui. Hoje, para fazer reparos nos buracos que abrimos nas vias para consertos da rede, temos algumas situações pontuais: a reclamação que chega por um terceiro ou por colaboradores da nossa instituição que fazem pesquisa, buscando um vazamento que até então não aparece, mas acontece. Após a descoberta, tentamos fazer este reparo da forma mais imediata possível. Porém, é necessário todo um processo de retirada do material e muitas vezes, não é possível finalizar naquele mesmo instante, pois o solo da nossa região é argiloso e geralmente, onde ocorrem estes vazamentos, a terra fica úmida e “mole”, então ela precisa de um tempo de cura, que normalmente é de três a sete dias. É necessário que o solo esteja bem firme para fazer este reparo, além de dependermos das condições climáticas favoráveis para a finalização do processo.

Superintendência e gerência

A superintendência é basicamente o apoio administrativo das unidades. A unidade é uma demandante, uma executora de tarefas mais básicas para garantir o abastecimento da cidade. A US demanda para a superintendência, pois temos aporte financeiro para coisas básicas, consertos, para garantir o abastecimento. O que não temos, como unidade, é autonomia para grandes obras. Nós somos demandantes e garantidores do abastecimento. Então, a diferença entre a unidade e superintendência é que demandamos questões pontuais para a superintendência, para que ela abra o caminho para que seja possível resolver estas situações, estes problemas, para fazer as obras maiores. A superintendência cuida de 57 municípios da Região Nordeste, na qual Bento está inserida, e a unidade é responsável por Bento Gonçalves e Pinto Bandeira.

Melhorias e manutenção

Em muitas coisas, agimos de próprio interesse, prevendo já um crescimento populacional para aquelas regiões definidas. Da mesma forma, loteadores e empreendedores da cidade nos procuram para buscar informações sobre parcelamento de solo, pois temos que dar ponto de tomadas pra eles, bem como algumas diretrizes para implementação de redes. A partir destas situações, sejam elas vindas dos loteadores ou então de problemas que acabam surgindo da população, mas que basicamente demandamos fora da manutenção, advêm do acompanhamento do crescimento populacional, bem como a possibilidade deste avanço.

Falta de água

Normalmente, quando há problemas de desabastecimento na cidade, a parte norte, que é a mais alta devido à topografia do município, é um pouco mais afetada na questão de que a água tratada demora mais para chegar até lá. Tem muitas melhorias sendo previstas para aquela região também, inclusive devido aos empreendimentos que lá surgem. De fato, as partes mais altas da cidade, como é exemplo da região norte, acabam sendo um pouco mais afetadas quanto ao retorno do abastecimento, mas isso é só devido a uma questão de geografia da cidade, não tem muito o que fazer. A água chega, mas demora mais.

Equipe de trabalho e estrutura

O setor público hoje, se tratando de uma abordagem geral, sofre com uma demanda maior que o material humano que se dispõe. Claro que há, pelos nossos governos, um certo pensamento de terceirização de alguns serviços, portanto, os concursos públicos que já eram poucos, hoje são quase nada. Na Corsan, temos um baixo efetivo de funcionários, seja no administrativo ou operação, porém, estamos dando conta. Não fugimos das nossas obrigações. Evidentemente que um problema pode surgir e, devido a este contingente baixo de funcionários, nem sempre conseguimos atender de imediato.

Entretanto, dentro das normativas que temos de agência reguladora e administrativa, estamos buscando atender dentro dos prazos previstos. Claro que tem situações que acabamos demorando um pouco mais, mas, são casos que não passam de 30 dias. Por exemplo, priorizamos, muitas vezes, ao invés da ligação de uma rede nova, a manutenção de uma rede que está vazando. Nossa prioridade é a manutenção, depois passamos para a parte comercial, que é a instalação das novas redes e leituras. Portanto, temos esta diretriz e seguimos desta forma.

Importância do serviço

Por ser um serviço essencial, a Corsan não parou por nenhum momento na pandemia. Para as pessoas que tentam nos contatar e nem sempre são atendidas no tempo ideal, quero frisar que, devido a pandemia, estamos com um expediente reduzido, tanto presencialmente como na central telefônica. Pedimos que, sempre que for necessário, este atendimento seja pré-agendado para que possamos prestar o melhor serviço possível dentro do que a pessoa quer. Que os munícipes consigam entender que a gente passa por um problema de saúde pública mundial e que nem tudo que se fazia antes será igual daqui para a frente. Entendemos as críticas, recebemos e tratamos da melhor maneira possível. Porém, estamos fazendo todo o possível para que as pessoas não tenham desabastecimento em suas casas. Neste momento, assim como os profissionais da saúde, da segurança e demais pessoas na linha de frente de combate ao coronavírus, a Corsan também é um serviço essencial importante.

Terrenos e adutoras

A captação da Corsan, hoje, passa por áreas particulares. Sabemos da necessidade de remanejo destas adutoras, porém, elas são as principais da cidade e únicas. Por isso, fazendo somente uma manobra simples, não resolveria o problema. Então, o corpo de engenharia criou um projeto que já está praticamente pronto para licitar. Vai entrar na licitação para adequar esta situação numa rede única, passando pela Fundaparque e sendo feita totalmente em via pública. A previsão para dar ordem de início a obra, provavelmente é no ano que vem. Acredito que a Corsan não vá indenizar os proprietários, pois isso originalmente era uma área cedida para ela. Quanto à retirada das adutoras dos terrenos, também acredito que não será feito, pois hoje, é uma área particular e não podemos adentrar nestes locais. Claro que quando isso estiver funcionando, vai ser emitido um aviso e o proprietário poderá fazer a retirada, se assim desejar.

Desenvolvimento de Bento

Bento é uma cidade próspera. Sempre foi. Relacionando com o nosso setor, há situações que nos preocupam, tanto que estamos fazendo estudos com empreiteiros locais para que se busque o melhoramento. Todo loteamento novo que sai, a gente busca, com a nossa equipe de engenharia, uma reservação própria, ou, então, juntar três ou quatro empreendimentos que vão sair em um mesmo local para que seja providenciado isso, para que não ocorra nenhum problema futuro.

Projetos futuros

Dentro da empresa, sempre estamos tentando fazer o melhor para entregar para a população o que de fato ela merece, que é um serviço de qualidade. A água consumida pelo bento-gonçalvense é de muita qualidade. Não se bebe outro tipo de água que não seja a tratada pela Corsan. Vale salientar que seguimos todas as normas, portarias, regulações necessárias quanto a questão da preservação e cuidado com a saúde. Portanto, garanto que não haverá nenhum problema desta natureza.
Quanto ao meu projeto pessoal, falando da Companhia, é manter a serenidade, tranquilidade e clareza, pois a nossa família merece sempre a nossa atenção e carinho. A ideia é, também, crescer junto com a empresa. Sempre que ela der oportunidade de crescimento, vou procurar acompanhar e quiçá, depois de um tempo e se houver possibilidade, ascender ainda mais. Destaco, de forma especial, que exercemos um cargo de luxo, não somente eu, mas os mais de 50 funcionários, pois somos responsáveis por dar saúde para a população. Cada um, dentro de sua seara, busca sempre um desenvolvimento técnico e humano, além de, acima de tudo, ter qualidade de vida pessoal para prestar sempre o melhor trabalho.

Fonte: Google News

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!