fbpx

A maior humilhação de Messi no Barcelona. A última? – Esportes



São Paulo, Brasil


Jamais Messi foi tão humilhado.


Nunca com a camisa do clube catalão teve derrota por tantos gols.


O melhor jogador do mundo não pôde fazer quase nada, diante do sensacional Bayern, de Hans-Dieter Flick.



Em uma atuação impressionante, mostrando sua força coletiva, venceu o Barcelona por 8 a 2, em Lisboa, no jogo eliminatório das quartas-de-final da Champions League.


Uma das maiores goleadas já sofridas pelo clube catalão, que fará 121 anos em novembro.


“Foi uma partida horrível. A sensação é nefasta. Vergonha é a palavra. Não se pode competir assim, não se pode ir para a Europa assim. É muito duro.


“Espero que sirva para alguma coisa.


“Porque não é a primeira, nem a segunda, nem a terceira vez.


“Ninguém é imprescindível, eu estou aqui me oferecendo.


“Se tiver que sair, se tiver que sangrar, eu sou o primeiro a sair e deixar o clube.”


O desabafo é de Piquet, um dos líderes do Barcelona.


Em público ele defende a reformulação do time.


O Bayern que já venceu o Campeonato Alemão e a Copa da Alemanha, segue firme na luta pela Tríplice Coroa.


Mostrou, de forma assustadora, porque é o favorito para vencer a Champions de 2019/2020.


Dos 27 jogos que fez no ano, só empatou um.


Venceu os outros 26.


Deu aula de jogo coletivo, com intensidade, ataque e recomposição em bloco, alternância de posição do meio para a frente. 


E muita força física, por trás da habilidade. O time alemão se impôs na esmagadora maioria das divididas. A explosão muscular e a velocidade de seus jogadores combinavam com a estratégia ousada, de Flick.



Sufocou, imprensou, marcou o Barcelona como se fosse uma equipe pequena, da Quarta Divisão alemã e não um pentacampeão da Champions.


O Barcelona encerrou uma de suas piores temporadas.


Não conseguiu um título. Nem do Espanhol, da Copa da Espanha e nem da Copa do Rei. Além da Champions.


Desde a temporada 2007/2008 essa situação não acontecia.


O vexame terá consequências.


O clube catalão já procura outro treinador, reforços.


Haverá uma profunda reformulação no elenco.


A principal dúvida é Messi.


Embora tenha contrato até 2021, ele pode deixar o clube.



A Inter de Milão estaria disposta a contratá-lo, de qualquer maneira.


Sua multa rescisória é de 700 milhões de euros, R$ 4,4 bilhões.


O argentino gostaria de seguir o caminho de Cristiano Ronaldo.


E viver novos ares, aos 33 anos. 


De nada adiantou Quique Setién entrar com Vidal no lugar de Griezmann, tentar deixar seu time mais protegido. 


O Bayern deu uma aula de futebol moderno.


Foi extremamente competitivo, focado, cruel.


Thomaz Müller (duas vezes), Perisic, Gnabry, Kimmich, Lewandowski e Philippe Coutinho (duas vezes), marcaram para o Bayern. Alaba (contra) e Suárez fizeram para o Barcelona.


O time catalão esteve estático, sem poder de reação, diante da avalanche alemã. No primeiro tempo, já saiu perdendo por 4 a 1. 


Os ataques em bloco do Bayern eram impressionantes. A troca de passes, infiltrações escancararam a defesa catalã. 


Os gols saíram da direita, da esquerda, de tabela no meio da área espanhola.


O repertório do Bayern é impressionante.


Não depende, de verdade, de apenas um jogador.


Apesar de toda badalação no artilheiro Lewandowski, o time todo é fabuloso.


Pela semifinal da Champions, o Bayern enfrentará o vencedor de Manchester City e Lyon, que jogam amanhã.



Enquanto isso, o Barcelona se prepara para sua dolorosa reformulação.


A primeira grande dúvida está no futuro do melhor do mundo.


Se Messi seguirá ou não na Catalunha.


Ele nunca passou tanta vergonha…



Fonte: R7

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!