fbpx

Abertura de novo santuário para rinocerontes é adiado devido à pandemia – ANDA

Foto: International Rhino Foundation

O plano, muito antecipado para estabelecer um novo santuário de reprodução de rinocerontes no norte de Sumatra, é um dos muitos que foram suspensos após a pandemia da Covid-19.

Foto: International Rhino Foundation

A instalação proposta é uma das principais prioridades do plano de conservação da Indonésia para resgatar os últimos rinocerontes-de-Sumatra restantes do mundo (Dicerorhinus sumatrensis) por meio de uma rede de instalações de criação em cativeiro.

Uma já existe no sul de Sumatra, dentro do Parque Nacional Way Kambas, e as autoridades planejaram outra para uma área florestal no Ecossistema Leuser na província de Aceh, no norte da ilha, com conclusão prevista para 2021.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

No ano passado, funcionários e especialistas – do Ministério do Meio Ambiente, governo local, academias e ONGs – têm trabalhado nas autorizações, estudos de viabilidade e ambientais, e desenvolvendo os projetos, incluindo o Design de Engenharia Detalhado (DED).

“Se não fosse a pandemia, o DED seria realizado em março de 2020”, disse Dedi Yansyah, coordenador de proteção da vida selvagem no Fórum de Conservação de Leuser, uma das ONGs envolvidas no plano.

A Indonésia confirmou seus primeiros casos de Covid-19 no início de março. Desde então, o país registrou o segundo maior número de mortes pela doença no leste da Ásia (atrás apenas da China), mesmo em meio a amplas medidas para conter a propagação do vírus, incluindo ordens de permanência em casa e impedimento de voos.

O santuário de rinocerontes planejado em Leuser, irá cobrir 100 hectares (250 acres) de um ecossistema que também é o único na Terra que abriga rinocerontes, tigres, orangotangos e elefantes. Agus Irianto, chefe da agência de conservação da província de Aceh (BKSDA), disse que a área em questão é um mosaico de florestas de madeireira, concessão de óleos de dendê (uma área alocada pelo governo para plantação em escala industrial) e terras não florestais.

Ele disse que as licenças para adquirir a área florestal e não florestal estavam quase concluídas; a agência também está em discussões com o concessionário do dendê para adquirir essas terras. “Certamente, o COVID-19 afetou as atividades e o cronograma que foram organizados anteriormente”, disse Agus.

Uma autoridade do Ministério do Meio Ambiente disse que um lote inicial de pelo menos cinco rinocerontes seria capturado da natureza em Aceh e transferido para o santuário para iniciar o programa de criação em cativeiro no país. O ecossistema Leuser é apontado por especialistas como o habitat mais promissor para rinocerontes selvagens, porque acredita-se ter a maior população da espécie, com cerca de 12 indivíduos. (As estimativas para a população total do rinoceronte de Sumatra variam de 30 a 80). Mas os conservacionistas ainda entendem pouco sobre a área montanhosa, e acredita-se que a incidência de caça seja maior do que em outros lugares.

Atualmente, o programa de criação em cativeiro da Indonésia possui oito rinocerontes de Sumatra em dois santuários: sete em “Way Kambas National Park” e um na floresta Kelian, em Bornéu indonésio.

Especialistas em rinocerontes de todo o mundo decidiram apenas em 2017 que a criação em cativeiro de rinocerontes-de-Sumatra, de ambos, Sumatra e Bornéu, era a única opção viável para salvar a espécie, que agora é encontrada apenas na Indonésia, após a morte do último rinoceronte em cativeiro da Malásia. As espécies variavam no sudeste da Ásia, desde o Himalaia no Butão e na Índia, até o sul da China e a península da Malásia. Mas foi dizimada por uma série de fatores, desde a caça até a perda de habitat e, mais recentemente, nascimentos insuficientes.

A iniciativa acordada em 2017 reflete um esforço semelhante na década de 1980 para capturar rinocerontes de Sumatra para reprodução. Esse programa, no entanto, entrou em colapso uma década depois, após mais da metade dos animais morrerem sem que nenhum filhote tivesse nascido.

Mas uma série de nascimentos em cativeiro bem-sucedidos nos Estados Unidos e na Indonésia, e um crescente consenso de que a espécie será extinta sem intervenção, lançaram as bases para o mais recente esforço da criação em cativeiro.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

!function(f,b,e,v,n,t,s){if(f.fbq)return;n=f.fbq=function(){n.callMethod?
n.callMethod.apply(n,arguments):n.queue.push(arguments)};if(!f._fbq)f._fbq=n;
n.push=n;n.loaded=!0;n.version=’2.0′;n.queue=[];t=b.createElement(e);t.async=!0;
t.src=v;s=b.getElementsByTagName(e)[0];s.parentNode.insertBefore(t,s)}(window,
document,’script’,’https://connect.facebook.net/en_US/fbevents.js’);

Fonte: R7

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!