Ação do Twitter para prevenção do suicídio oferece apoio

Alguns estudos associam o uso frequente de redes sociais com impactos negativos na saúde mental, principalmente no desenvolvimento de depressão e ansiedade. Outras análises, porém, mostram que interações positivas, apoio e conexão social nessas plataformas estão associados a baixos níveis de depressão e ansiedade.

Busca por ‘suicídio’ ou palavras relacionadas ao tema resulta na indicação de serviço de apoio.

Foto: Reprodução do Twitter / Estadão Conteúdo

É fato que as redes sociais têm presença significativa em nosso dia a dia e pode ser nelas que as pessoas vão buscar informações quando estão passando por um momento difícil. Pensando nisso, o Twitter lançou em 2018 o serviço de notificação #ExisteAjuda para dar apoio a quem procura por “suicídio” ou palavras relacionadas em seu site.

A busca por termos desse tipo no Brasil resulta na indicação do serviço do Centro de Valorização da Vida (CVV), organização que oferece atendimento voluntário e gratuito 24 horas por dia para quem está com pensamentos suicidas ou enfrenta outros problemas.

Disponível em 11 países, como Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, Japão, Brasil e Espanha, o serviço estreia na Suécia, Itália, Bélgica e França neste ano. Cada país apresenta uma notificação incentivando a procura por apoio em seu local.

Também para incentivar conversas sobre o tema e dar mais visibilidade ao assunto, o Twitter se uniu globalmente à Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio para lançar um emoji especial com o símbolo oficial da campanha Setemrbo Amarelo. A imagem poderá ser visualizada em tuítes publicados com as hashtags #DiaMundialDaPrevençãoDoSuicídio, #PrevençãoDoSuicídio, #SetembroAmarelo e #WSPD2019.

Outra possibilidade oferecida pela rede social é dar um alerta sobre alguém que possivelmente esteja em situação de risco de suicídio ou automutilação. Para notificar o caso, é preciso preencher este formulário. As denúncias são avaliadas por uma equipe de profissionais que informa o usuário sobre o relato recebido, fornece os recursos disponíveis e incentiva a procura de apoio.

Veja mais:

Startup “gamifica” o aprendizado de alunos de medicina

 

Estadão

  • separator

Fonte: PORTAL TERRA – SAÚDE

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: