fbpx

Ações de Gol e Azul sobem até 8,5%, enquanto bancos avançam com otimismo do mercado e fala de Maia; Via Varejo salta 8%

(Shutterstock)

SÃO PAULO – Após um mês de maio de forte alta para a bolsa, junho começou com uma extensão dos ganhos para o Ibovespa, apesar dos investidores seguirem monitorando a tensão entre EUA-China e as manifestações nos EUA e no Brasil (veja mais clicando aqui). O índice passou a registrar fortes ganhos nesta tarde, com os investidores repercutindo principalmente o otimismo com a reabertura econômica em alguns locais.

Por aqui, aéreas como Gol (GOLL4, R$ 13,06, +8,56%) e Azul (AZUL4, R$ 15,35, +7,49%) registraram ganhos após terem baixas em maio em meio à continuidade das preocupações para o setor com a pandemia de coronavírus. Contudo, nesta sessão, ajudando a atenuar os temores, está o maior otimismo por conta da reabertura em alguns países da Europa. Embraer (EMBR3, R$ 7,41, +3,64%), que divulgou resultado nesta sessão, também registrou alta de seus papéis.

Petrobras (PETR3, R$ 20,95, +0,53%; PETR4, R$ 20,33, -0,05%), por sua vez, viu seus ativos ficarem entre perdas e ganhos em meio ao movimento distinto dos principais contratos de petróleo. O WTI teve queda de 0,14%, a US$ 35,44, enquanto o brent subiu 1,3%, a US$ 38,32 o barril.

No radar do setor, segundo a Reuters, os países da OPEP+ estão discutindo uma potencial extensão do atual nível de cortes de produção de 9,7 milhões de barris ao dia.

Em abril, o grupo dos maiores produtores do mundo anunciou um acordo para reduzir sua produção em 9,7 milhões de barris ao dia (mbpd) a partir de 1º de maio, por dois meses. A partir de julho de 2020, o nível de cortes será reduzido para 7,6 mbpd até o final do ano, e depois passará a 5,6 mbpd, vigentes até o final de 2022.

No radar de recomendações, B2W (BTOW3, R$ 91,40, -0,24%) e Magazine Luiza (MGLU3, R$ 63,70, -1,01%) tiveram a recomendação reduzida a neutra pelo Bradesco BBI por conta do valuation. Já a Via Varejo (VVAR3, R$ 13,43, +8,31%), uma das maiores altas de maio com ganhos de 35%, voltou a ver suas ações em forte alta. O BBI manteve recomendação de compra para os ativos, elevando o preço-alvo de R$ 11 para R$ 15, destacando que a ação da companhia ainda está sendo negociada a preço de um mercado menos positivo para o e-commerce.

Enquanto isso, bancos como Itaú (ITUB4, R$ 23,66, +2,76%), Bradesco (BBDC3, R$ 18,37, +3,20%; BBDC4, R$ 19,80, +4,49%), Santander Brasil (SANB11, R$ 26,54, +4,08%) e Banco do Brasil (BBAS3, R$ 31,80, +3,11%) tiveram ganhos expressivos.

No radar do setor, na última sexta-feira, Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados (DEM-RJ), afirmou que considera difícil qualquer tipo de aumento na carga tributária para compensar a queda de receita pública por causa da pandemia de coronavírus.

Existem atualmente projetos no Senado para aumentar o imposto corporativo de bancos, como alíquota da CSLL. Além disso, contribui para os ganhos o fato dos papéis não terem subido tanto durante o rali do mercado, o que contribui para que os investidores acabem buscando oportunidades entre os papéis com bons fundamentos e desempenho pior que o Ibovespa. Confira os destaques:

Embraer (EMBR3, R$ 7,41, +3,64%)

A fabricante de aeronaves Embraer registrou um prejuízo líquido de R$ 1,276 bilhão no primeiro trimestre do ano, ante R$ 160,8 milhões em igual período do ano passado. Já o prejuízo ajustado foi de R$ 433,6 milhões, ante R$ 229,9 milhões entre janeiro e março de 2019.

O Ebitda ficou negativo em R$ 209,1 milhões, ante negativo em R$ 53,7 milhões no comparativo anual.
A companhia também negocia com BNDES e bancos privados um financiamento de R$ 3,3 bilhões, segundo reportagem do jornal “Valor Econômico”. Os recursos, que podem ser liberados ainda em junho, serão usados para atender demanda de jatos executivos e comerciais da empresa para os próximos meses.

Já em comunicado à CVM, a empresa afirmou que avalia potenciais parcerias, mas que no momento não há nenhuma em negociação. O comunicado é em resposta à matéria da Reuters da última sexta-feira de que a fabricante de aeronaves estaria atraindo interesse da chinesa Comac e da russa Irkut. Com isso, no último pregão, na máxima do dia, os ativos subiram 18,62%, a R$ 8,28, para depois fecharem com ganhos mais modestos, de 2,44%.

Latam Airlines

A companhia aérea Latam, que entrou com pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos na semana passada, anunciou que registrou um prejuízo líquido de US$ 2,12 bilhões no primeiro trimestre do ano, o equivalente a R$ 11,5 bilhões. Em igual período de 2019, o prejuízo foi de US$ 60 milhões.

Já as receitas da empresa recuaram 6,8%, para US$ 2,35 bilhões entre janeiro e março.

A maior parte desse prejuízo, segundo a empresa, foi causado por um ajuste na conta de ganhos de capital da empresa. A mudança está relacionada às perdas geradas pelo coronavírus e possuem efeito apenas contábil.

Os analistas do Bradesco BBI seguem com visão negativa para as ações da empresa. “Nosso rating “underperform” está baseado em 50% da receita líquida da empresa ser proveniente do tráfego internacional; baixa liquidez do caixa; falta de detalhes sobre o plano de reestruturação; e potencial de queda (dos papéis) de 11%.”

No último dia 26, a Latam entrou com pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos, Equador e Estados Unidos. As afiliadas na Argentina, Brasil e Paraguai ficaram de fora desse processo.

Magazine Luiza (MGLU3, R$ 63,70, -1,01%), B2W (BTOW3, R$ 91,40, -0,24%), GPA (PCAR3, R$ 64,75, +2,81%) e Americanas (LAME4, R$ 29,30, +3,72%)

O Bradesco BBI reduziu as recomendações de Magazine Luiza e B2W para neutro, mas com o aumento do preço-alvo dos papéis. A alteração se deu devido ao desempenho recente desses papéis, que deixou os múltiplos que fazem a relação entre o valor da empresa e a receita total de vendas (EV/GMV) acima dos picos históricos.

“Vamos assim algum risco de queda, pois o crescimento das vendas totais deve diminuir com a reabertura das lojas no segundo semestre”, avaliaram, em relatório a clientes.

Os analistas destacaram ainda o crescimento do comércio eletrônico no Brasil, com o aumento da participação em relação as vendas totais.  O preço alvo das ações da B2W passou de R$ 78 para R$ 100 e o da Magazine Luiza de R$ 56 para R$ 65.

A XP Investimento fez uma revisão de suas recomendações para o setor de varejo. A Lojas Americanas foi elevada para “compra” e o Grupo Pão de Açúcar rebaixado de “compra” para “neutro”. Já os papéis da B2W foram mantidos em “neutro”.

“Vimos uma aceleração importante das vendas on-line entre abril e maio, com algumas das maiores plataformas do país registrando mais de 200% de crescimento anual médio de GMV no período”, explicou, em relatório, o analista Pedro Fagundes.

Embora esse crescimento não deva ser mantido no futuro, devido à reabertura das lojas físicas, o analista destaca o aumento dos usuários dos canais digitais e o fortalecimento da estratégia de multicanalidade.

O preço alvo da Lojas Americanas está em R$ 36 para o final do ano, ante R$ 22, baseado no progresso da estratégia multicanal.

No caso do Grupo Pão de Açúcar, o preço-alvo foi reduzido de R$ 100 para R$ 70 e a recomendação caiu para “neutra”. A XP avaliou que os resultados das vendas da varejista no primeiro trimestre foram mais fracas que o esperado. Também se espera “um aumento mais gradual do que o esperado da rentabilidade da operação de varejo no Brasil”.

No caso da B2W, o preço-alvo foi elevado de R$ 60 para R$ 105, mas a recomendação foi mantida em neutra.

Petrobras (PETR3, R$ 20,95, +0,53%; PETR4, R$ 20,33, -0,05%)

A Petrobras levantou R$ 676,8 milhões com a venda de sua participação em sete campos terrestres de petróleo no Rio Grande do Norte (RN). A venda foi feita à 3R Petroleum.

Dos sete campos, com capacidade de produção diária de 5 mil barris, a Petrobras tinha participação de 100% em seis deles. Apenas no de Sanhaçu a estatal tinha uma fatia menor, de 50%.

A Petrobras informou que iniciou a fase não-vinculante do processo de venda da sua participação, de 35%, Campo de Manati, localizado na Bacia de Camamu (BA).

Os potenciais compradores habilitados para essa fase recebem um documento mais detalhado sobre o ativo, que tem a concessão de produção marítima em águas rasas.

Cosan (CSAN3, R$ 68,29, +3,71%)

A Cosan registrou no primeiro trimestre do ano um lucro líquido de R$ 102,2 milhões, queda de 74,2% na comparação com igual período do ano passado.  O Ebitda no período foi de R$ 1,98 bilhão, alta de 36,7%.

Os analistas do Itaú BBA consideraram os números positivos, em especial os provenientes da Raízen. Já para o Morgan Stanley, os dados foram mais fracos que o esperado, mas são explicados pelo atual cenário. “O negócio de gás natural surpreendeu e mais uma vez impulsionou o Ebitda. Nós acreditamos que o trimestre mostrou a qualidade das operações da Cosan e os benefícios de um modelo de negócios diversificado”, avaliaram, em relatório a clientes.

Copasa (CSMG3, R$ 57,40, -0,52%)

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) calcula que precisa investir entre R$ 22 bilhões e R$ 25 bilhões para universalizar o acesso a água e esgoto nos 600 municípios em que atua, segundo informou o jornal “Valor Econômico”.

A empresa entrou para a carteira de privatização do BNDES. O governo de Minas Gerais defende a venda integral da empresa, mas o BNDES irá avaliar também outros modelos, como o de concessão ou de parceria público privada (PPP).

CSN (CSNA3, R$ 10,35, +0,29%)

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) anunciou na sexta-feira a paralisação do alto-forno 2 de sua usina em Volta Redonda (RJ). A paralisação foi causada pela redução da demanda por aço no país intensificada pela epidemia de Covid-19. Usiminas, Gerdau e ArcelorMIttal já haviam anunciado paralisação de parte de seus fornos.

Na avaliação dos analistas do Itaú BBA, o desligamento é um sinal negativo para o setor. “O fato de a CSN ter optado por desligar seus equipamentos quase dois meses após decisões semelhantes foram tomadas pela Gerdau, Usiminas e ArcelorMittal indica que a empresa ainda está projetando uma demanda deprimida por um período prolongado. Esse desenvolvimento tem, portanto, uma leitura negativa para o setor”, avaliaram, em nota a clientes.

Bancos

Atenção para duas notícias que movimentam o setor bancário. Na última sexta-feira, Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados (DEM-RJ), afirmou que considera difícil qualquer tipo de aumento na carga tributária para compensar a queda de receita pública por causa da pandemia de coronavírus. Existem atualmente projetos no Senado para aumentar o imposto corporativo de bancos, como alíquota da CSLL.

“A fala é positiva para bancos, uma vez que tais aumentos impactam diretamente o valor dos mesmo. Um aumento de 5% a 20% na CSLL poderia diminuir o valuation dos bancos em até 27%”, destaca a XP Investimentos.

Já na tarde de sexta-feira, o Conselho Monetário Nacional decidiu estender a resolução 4.797 até o fim de 2020. O projeto: i) veda o pagamento de dividendos e juros sobre capital próprio acima do mínimo requerido de 25%; ii) proíbe a redução de capital pelos bancos; e iii) proíbe o aumento da remuneração de administradores e conselheiros. A medida tem como objetivo a preservação do capital pelos bancos para que possam conceder crédito e ter base para absorção de eventuais perdas. A medida estará em vigor até o fim do ano.

“Nossa visão ainda é negativa, pois a medida reduz a flexibilidade de distribuição pelos bancos. Porém não acreditamos que o impacto será grande, devido aos seguintes motivos: i) já acreditávamos que bancos tenderiam a ser conservadores ao distribuir dividendos nesse momento de incerteza de qualquer maneira; ii) como a medida é válida apenas em 2020, bancos ainda podem realizar o payout que acharem adequado já no início de 2021 através de dividendos; e iii) payout de 2020 representam uma pequena parte do valor dos bancos sob nossa cobertura”, destaca a XP.

Conforme a equipe de análise, a maior mudança agora é que bancos não podem aproveitar em 2021 o benefício fiscal de juros sob capital próprio relativo a 2020, ou seja, 2020 de fato terá uma distribuição menor. Anteriormente à extensão, os bancos ainda poderiam distribuir JCP no limite regulatório durante o quarto trimestre, o que não será mais possível. Como resultado, dessa vez o impacto deve ser maior, uma vez que bancos devem ter um imposto efetivo mais alto.

Ainda no radar do setor, o Bradesco assinou um termo de compromisso junto ao Banco Central no âmbito de um processo sigiloso no qual vai pagar uma multa de R$ 92,2 milhões, segundo informou a Bloomberg.

Além da multa, a instituição financeira se compromete a encerrar falhas em registro de operações suspeitas de lavagem de dinheiro, segundo documento publicado no site do Banco Central.

Outro compromisso assumido pelo banco é o de não mais deixar de comunicar ao Conselho de Controle de Atividades Financeira operações com movimentações atípicas.

Duratex (DTEX3, R$ 11,52, +7,06%)

A Duratex informou nesta segunda-feira que a LD Celulose, parceria com a Lenzinge, estruturou financiamentos no total de US$ 1,15 bilhão para a construção de uma unidade de celulose solúvel.

A operação feita junto ao BID e IFC soma US$ 1 bilhão. Metade desse valor tem prazo de vencimento em 11 anos e a outra parcela, em 9 anos.

Além disso, há um total de US$ 147,2 milhões que foi estruturado junto à Finnvera, com vencimento em 13 anos.

JBS (JBSS3, R$ 21,96, -0,05%), BRF (BRFS3, R$ 23,67, +2,33%) e Marfrig (MRFG3, R$ 13,15, +0,92%)

Autoridades da China disseram às principais empresas agrícolas estatais para interromper a compra de alguns produtos agrícolas norte-americanos, incluindo a soja e a carne suína, enquanto o governo de Pequim avalia a escalada das tensões com os Estados Unidos sobre Hong Kong, segundo disseram fontes à Bloomberg.

As tradings estatais Cofco e Sinograin receberam a ordem de suspender as compras, mas empresas privadas não receberam a orientação de interromper as importações. A suspensão é mais um sinal de que o difícil acordo comercial de primeira fase entre as duas maiores economias do mundo está em risco.

“Vemos impacto mais direto da notícia para a JBS, devido às suas operações de carne suína nos EUA (12% da receita no primeiro trimestre de 2020) mas ainda há poucos detalhes para quantificarmos tal suspensão da China. Vale lembrar que a JBS também exporta para China através de suas operações no Brasil, enquanto tanto ela, quanto Marfrig e BRF são empresas muito bem posicionadas geograficamente. De qualquer maneira, monitoraremos tal situação”, destaca a equipe de análise da XP.

BrasilAgro (AGRO3, R$ 20,00, +0,50%)

A BrasilAgro anunciou a venda da Fazenda Alto Taquari, em Mato Grosso (MT), por R$ 11 milhões, segundo o fato relevante divulgado nesta segunda-feira.

A fazenda tem uma área de 105 hectares úteis e o valor da venda corresponde a 1.100 sacas de soja por hectare útil. O comprador realizou um pagamento inicial equivalente a R$ 1,7 milhão e o restante será pago em cinco parcelas anuais.

“A referida venda se insere na estratégia de negócios da companhia que objetiva, além de ganhos com produção agrícola, a realização de ganhos de capital com a venda das propriedades”, informou a BrasilAgro em fato relevante à CVM.

Grendene (GRND3, R$ 7,33, +0,96%)

A Grendene comunicou que irá retomar, de forma parcial, as atividades nas unidades de Sobral, Crato e Fortaleza, segundo fato relevante enviado nesta segunda-feira à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A retomada atende decreto do governo do estado e também prevê a redução da jornada e salários em 70%.

As unidades de Crato e Fortaleza retomam as operações nesta segunda-feira, obedecendo o limite de 20% de percentual máximo de trabalhadores que poderão atuar de modo presencial. Em Sobral, no período de 1º a 7 de junho os funcionários estarão dispensados do trabalho utilizando o banco de horas, retornando no dia 8.

CVC (CVCB3, R$ 15,50, +7,64%)

A CVC informou, na sexta-feira, que irá adiar para até 31 de julho a apresentação de suas demonstrações financeiras de 2019. A empresa informou que ainda há indícios de erros em sus contabilização.

No final de fevereiro, a operadora já tinha informado sobre esses erros na contabilização de valores transferidos a fornecedores.
“Não foi possível, até o presente momento, finalizar a elaboração das demonstrações financeiras referentes ao exercício social de 2019, não apenas em virtude do grau de complexidade envolvido naqueles processos, mas também pelos impactos e restrições operacionais decorrentes da pandemia de Covid-19”, informou a empresa.

Multiplan (MULT3, R$ 22,28, +7,68%) e JHSF (JHSF3, R$ 5,15, +7,74%) 

A Multiplan anunciou que retomará as operações do Ribeirão Shopping e do Shopping Santa Úrsula, ambos em Ribeirão Preto (SP), nesta segunda-feira.

Os dois estabelecimentos irão funcionar com horário restrito, das 16h às 20h, atendendo ao decreto da prefeitura.

Já a JHSF vai reabrir o Shopping Ponta Negra, em Manaus (SP), e o Hotel Fasano Fazenda Boa Vista, em Porto Feliz (SP), a partir desta segunda-feira.

No dia 3 de junho, será retomada a operação do Catarina Fashion Outlet, em São Roque (SP).

Os shoppings funcionarão com horário de atendimento reduzido.

Fonte: Infomoney

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!