fbpx

All Blacks e Springboks fazem superclássico mundial no sábado!

Foto: Gordon Arons/Gallo Images

O maior clássico do mundo do rugby? Sim. Quando All Blacks e Springboks entram em campo, a certeza é do melhor jogo possível. A Copa do Mundo terá o grande confronto entre Nova Zelândia e África do Sul logo no segundo dia de ação, com Yokohama sendo o palco do 99º confronto na história entre os dois maiores campeões mundiais. Yokohama foi o palco onde o Brasil foi campeão mundial de futebol em 2002.

Neste ano, os dois titãs empataram em 16 x 16 e na história da Copa do Mundo eles duelaram 4 vezes, com 2 vitórias para cada lado. Os Springboks venceram a final de 1995 e o 3º lugar de 1999, ao passo que os All Blacks triunfaram nas quartas de final de 2003 e na semifinal de 2015.

Para o embate desse sábado, o técnico dos All Blacks Steve Hansen mostrou o que realmente pretendia: Richie Mo’unga com a camisa 10 e Beauden Barrett com a 15, exatamente como ensaiara na preparação. A opção vem gerando muito debate no país e foi usada no empate pelo Rugby Championship neste ano. Já Aaron Smith foi confirmado com a camisa 9, no lugar de Perenara, que começou jogando no 16 x 16. Hansen atendeu aos clamores pro Sevu Reece e George Bridge de pontas, mas trocou seus centros, apostando em Ryan Crotty (muito bem entrosado com Mo’unge, Reece e Bridge) com a 12 e Lienert-Brown com a 13, deixando Sonny Bill Williams e Ben Smith no banco.

Entre os avançados, Laulala ganhou a camisa 3 titular (no lugar do não convocado Owen Franks) para jogar com Dane Coles e Joe Moody. Sam Whitelock fará a segunda linha com Scott Barrett (voltando de suspensão e ocupando a vaga de Brodie Retallick, que foi poupado por questões físicas). Kieran Read é o capitão com a 8 tendo como asas Sam Cane e Ardie Savea, como esperado.

– Continua depois da publicidade –

Por sua vez, o técnico da África do Sul, Rassie Erasmus, manteve o time que vinha jogando (e bem). A dupla Faf de Klerk e Handré Pollard de scrum-half e abertura jogará com os centros Damian De Allende e Lukhanyo Am, com Cheslin Kolbe e Makazole Mapimpi de pontas e Willie Le Roux de fullback. François Steyn (último remanescente do título mundial de 2007) estará no banco.

A primeira linha terá Kitshoff e Malherbe (com Mtawarira na reserva) e Malcolm Marx de hooker, ao passo que a segunda linha é de Eben Etzebeth e Franco Mostert. Já a terceira linha também não terá novidades, com o capitão Siya Kolisi jogando com Piet-Steph Du Toit e o veterano Duane Vermeulen.

Trata-se de um jogo de detalhes e que não terá um desfecho trágico para o perdedor, porque o grupo conta com Itália (pouco ameaçadora), Canadá e Namíbia (muito fracos). Porém, o clássico já está envolto de polêmica, com verdadeira guerra verbal entre os dois treinadores.

No jogo passado, Beauden Barrett provou sua qualidade puxando o letal contra-ataque neozelandês, mas os sul-africanos souberam reagir e o try no apagar das luzes do jovem Herschel Jantjies (que estará no banco neste jogo do Mundial) selou o empate. As batalhas interessantes se multiplicam pelo campo todo, mas há algumas especiais. A segunda linha sul-africana pleiteia a condição de melhor do mundo, mas precisa dominar o embate contra os neozelandeses para tal. A opção de Hansen de tirar Owen Franks do Mundial também lança luz sobre o desempenho que terá sua primeira linha, ainda mais contra um oponente tão forte no setor. Da mesma forma, Ardie Savea na terceira linha está sob olhares. No entanto, evidentemente que a maior questão do lado neozelandês é o camisa 10 Mo’unga.

Os Springboks, por outro lado, não têm maiores questionamentos sobre suas escolhas – talvez apenas a camisa 13, com Am precisando afastar os pedidos por Kriel. Com isso, os Boks vão ao jogo mais prontos como conjunto do que os All Blacks – e confiantes pelo título do Championship. Entretanto, sempre que há duvidas sobre a Nova Zelândia, ela responde com categoria. Material humano não lhe falta.

 

Copa do Mundo de Rugby – Japão 2019

Sábado, dia 21 de setembro (Horário de Brasília)

GRUPO B

versus copiar

06h45 – Nova Zelândia x África do Sul, em Yokohama – ESPN AO VIVO

Árbitro: Jérôme Garcès (França)

Assistentes: Romain Poite (França) e Karl Dickson (Inglaterra) / TMO: Graham Hughes (Inglaterra)

Histórico: 98 jogos, 58 vitórias da Nova Zelândia, 36 vitórias da África do Sul e 4 empates. Último jogo: Nova Zelândia 16 x 16 África do Sul, em 2019 (The Rugby Championship);

Nova Zelândia: 15 Beauden Barrett, 14 Sevu Reece, 13 Anton Lienert-Brown, 12 Ryan Crotty, 11 George Bridge, 10 Richie Mo’unga, 9 Aaron Smith, 8 Kieran Read (c), 7 Sam Cane, 6 Ardie Savea, 5 Scott Barrett, 4 Sam Whitelock, 3 Nepo Laulala, 2 Dane Coles, 1 Joe Moody;

Suplentes: 16 Codie Taylor, 17 Ofa Tu’ungafasi, 18 Angus Ta’avao, 19 Patrick Tuipulotu, 20 Shannon Frizell, 21 TJ Perenara, 22 Sonny Bill Williams, 23 Ben Smith;

África do Sul: 15 Willie le Roux, 14 Cheslin Kolbe, 13 Lukhanyo Am, 12 Damian de Allende, 11 Makazole Mapimpi, 10 Handré Pollard, 9 Faf de Klerk, 8 Duane Vermeulen, 7 Pieter-Steph du Toit, 6 Siya Kolisi (c), 5 Franco Mostert, 4 Eben Etzebeth, 3 Frans Malherbe, 2 Malcolm Marx, 1 Steven Kitshoff;

Suplentes: 16 Bongi Mbonambi, 17 Tendai Mtawarira, 18 Trevor Nyakane, 19 RG Snyman, 20 Francois Louw, 21 Herschel Jantjies, 22 Frans Steyn, 23 Jesse Kriel;

 

Horários de Brasília

Fonte: R7

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!