Anfitrião, Everton joga ‘em casa’ para consolidar protagonismo na Seleção

Atacante do Grêmio é destaque do Brasil, está na mira do futebol europeu e, agora, na arena de seu clube e contra o Paraguai, tem nova chance para brilhar na Copa América

Everton é uma unanimidade nesta Copa América. Após iniciar como reserva nos dois primeiros jogos, o camisa 19 assumiu a titularidade e justificou a aposta diante do Peru: marcou um gol, deu assistência, infernizou a zaga adversária e foi protagonista na goleada por 5 a 0, colaborando para que o Brasil terminasse o Grupo A como líder.

Campeão da Libertadores com o Grêmio em 2017, Everton já conquistou a América a nível de clubes. Agora, pela Seleção Brasileira, pode dar mais um importante passo a partir desta quinta-feira, quando enfrentará o Paraguai pelas quartas de final do torneio no seu “quintal”: a arena do Tricolor Gaúcho.

– Vai ser diferente. Um estádio que eu já conheço, passo anos da vida ali, com certeza a torcida vai nos acompanhar. Estou ciente de que os ingressos estão se esgotando e, com certeza, teremos o apoio das arquibancadas – disse o atacante de 23 anos, em entrevista à CBF TV.

Natural de Maracanaú (CE), Everton está no Grêmio desde 2013 e, de acordo com o site Transfermarkt, é avaliado em 20 milhões de euros (R$ 87,4 milhões). E os europeus reforçaram a lente de aumento em cima do Cebolinha.

Aliás, o jornal inglês “The Independent”, com a manchete “A balada de Cebolinha”, classificou o jogador como “um barril de pólvora de um futebolista que está conquistando a Copa América” e que “o Brasil, simplesmente, parece muito mais perigoso com ele do lado (esquerdo)”. A moral na Terra da Rainha é tanta que Manchester United e City já sondaram Everton.

Se o holofote em cima do Everton agrada os gremistas ou não, é cedo para afirmar. O fato é que o jogador, responsável por levar David Neres para o banco, terá o estádio todo ao seu lado para consolidar o protagonismo na Seleção e, de quebra, amenizar a ausência de Neymar.

NÚMEROS DE EVERTON NESTA COPA AMÉRICA:

– Minutos: 118 minutos (1 jogo como titular)
– Gols: 2
– Finalizações: 4
– Dribles bem sucedidos: 11
– Passes certos: 52 (87% dos tentados)
– Assistência: 1


Lance!

  • separator

Fonte: TERRA

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: