fbpx

anulação de questões pode aprovar mil candidatos

Em 2014, o último concurso PMERJ (Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro) teve provas aplicadas, mas ainda gera incertezas quanto à quantidade de candidatos aprovados.

Segundo a Comissão de Candidatos da referida seleção, três questões da disciplina de História pode mudar o rumo da prosa do certame, ou seja, a seleção pode ter uma grande reviravolta.

Nesta matéria, você irá conferir TUDO acerca do concurso PMERJ e todos os detalhes que podem mudar tudo na seleção aplicada em 2014.

Mas antes, confira um recado especial, para você que quer estudar com os melhores professores e materiais, sem comprometer o limite do seu cartão:

Já conhece a Assinatura Ilimitada Digital do Direção Concursos?

O Qconcursos e o Direção Concursos se uniram para disponibilizar uma solução completa de estudos para concursos públicos. É teoria e prática na medida certa e em um único lugar. Pague por mês e não comprometa o limite do seu cartão.

Concurso PMERJ: entenda a situação

A Comissão de candidatos no concurso PMERJ 2014 pede que sejam anuladas três (3) questões de História, disciplina cobrada na prova em questão, visto que, conforme dizem, não estavam previstas dentro do conteúdo trazido em edital.

Assim, esse grupo se sente prejudicado pela eliminação, por não conseguirem atingir a pontuação mínima exigida para a matéria. Caso anuladas as questões, cerca de 1.000 candidatos conseguiriam atingir a pontuação mínima e estariam aptos a participarem das demais fases do concurso.

A informação foi repassada por um dos líderes da comissão, Alisson Nascimento, ao jornal Folha Dirigida, que informou ter, junto com outros colegas, uma Ação Civil Pública na justiça, visando à solução do problema.

  • “São quase seis anos na tentativa de dar solução ao problema. Existe laudo pericial, determinado pela primeira vara de Fazenda Pública da capita, onde o perito confirma nossas alegações. Três das cinco questões de História deveriam ser anuladas e não foram” responde Nascimento ao jornal.

Os candidatos também lotam as redes sociais de deputados com as cobranças. Um dos “aliados” é o parlamentar Rodrigo Amorim, do PSL, que promete lutar pelos candidatos.

Além da Ação Civil Pública protocolada pela Comissão de candidatos do concurso PMERJ, o órgão também tem um processo administrativo contra a banca organizadora, Exatus, por descumprimento de contrato.

Proposta busca resolver o entrave

O deputado estadual Rodrigo Amorim desenvolveu Projeto de Lei (PL) que trata da criação de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), que está em tramitação na Assembleia Legislativa do Estado (ALERJ).

Segundo esse PL, o qual foi publicado no Diário Oficial do Rio de janeiro no começo do mês de junho (2020), o TAC veem para resolver os conflitos que existem no concurso PMERJ 2014, que são:

  • convocação de aprovados com idade máxima de 35 anos, à época;
  • possibilidade da nomeação feminina por vagas remanescentes não preenchidas por candidatos do sexo masculino;
  • anulação das três questões de história.

800 candidatos aguardam nomeação

Um outro problema assola outros candidatos, estes aprovados, em 2014. Um grupo de 800 candidatos aprovados e aptos a assumirem os cargos, pois cumpriram todas as fases do certame, reclama o direito à nomeação.

Um dos responsáveis Pela Comissão de Concurso, que responde pelo grupo, falou com exclusividade ao jornalismo do Direção Concursos e relatou a situação. Confira:

  • “Hoje nossa luta é para que o estado do Rio de Janeiro chame a todos nós. Já nos deram diversas desculpas para não nos convocar: espaço fisico (mas existem os batalhões escola que foram reformados para a nossa contratação), orçamento (porém, a ALERJ disponibilizou 200 milhões para a nossa contratação no início de 2019) e, hoje, se alega a questão das vacâncias.
  • O governador, em sua campanha, utilizou esse concurso como uma das suas maiores armas e mesmo depois de eleito continuou a prometer chamar a todos ano passado. Inclusive fez vídeo confirmando a contratação, o que não cumpriu.
  • Pessoas pediram demissão de seus empregos e até o momento estão desempregadas e sem serem convocadas.
  • O governador ainda teve a coragem de tirar de circulação (das suas redes sociais) os vídeos que confirmavam a nossa contratação.
  • Hoje, os candidatos masculinos não conseguem emprego por estarem com seus documentos já no CFAP (Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças) e, com a pandemia, está cada dia mais difícil conseguir um emprego.
  • O secretário de Polícia Militar, coronel Figueiredo, em conversa conosco no final do ano passado (2019), prometeu convocação em março deste ano (2020), depois passou para o mês de maio e veio a pandemia.
  • Temos agora uma previsão de chamamento para julho/agosto mas de apenas 400 aprovados. Nosso maior medo é que esses outros 400 só sejam chamados em 2021

Concurso PMERJ e concurso PC RJ

Um novo concurso pode surgir ainda em 2020, a depender de como esteja a situação do país diante da pandemia de Coronavírus. Acontece que o governador Wilson Witzel já declarou que pretende colocar, até o fim de 2020, pelo menos 5 mil novos soldados em atividade.

O órgão, na mesma sintonia, já demonstrou que pretende lançar edital tão logo, visto que os aprovados no último concurso não supre a demanda que existe na Polícia Militar do estado. Os concursos para Cabo e Oficial Médico já estão autorizados.

As últimas notícias, porém, não são animadoras. No dia 15 de junho, foram congelados os provimentos de cargos vagos em todo o estado do Rio de janeiro e, dentre eles, cargos para a Polícia Militar e Bombeiros Militar.

Resumo concurso PMERJ 2020

concurso estadual concurso estadual rj concurso pmerj concursos estaduais pmerj rj

Fonte: Google News

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais