fbpx

Aos 38 anos, Daniel Alves sabe. Na lateral, as lesões o esperam – Esportes


São Paulo, Brasil


Segredo de estado.


Hernán Crespo, Muricy Ramalho, médicos, assessores de imprensa.


Ninguém no São Paulo vai dar detalhes do ‘pequeno estiramento’ que Daniel Alves sofreu na coxa direita.


O jogador, que completou ontem 38 anos, se contundiu contra o Racing.


Experiente, assim que sentiu o princípio de dor, pediu para sair.




Embora tenha tido poucas lesões musculares na carreira, ele sabe bem a diferença de estiramento e distensão.


Eram esse tipo comum de contusão que faziam com que Daniel Alves preferisse atuar no meio de campo, tocando a bola constantemente, dando piques curtos.


Na lateral direita, como atua com Crespo, ele é obrigado a piques mais longos e mais intensos. Ou para cruzar ou para marcar atacantes que atuam pelos lados do campo, que costumam ser muito velozes.


Essa é a questão.


Previsível e cruel.



Laterais que atuem de maneira intensa, depois dos 30 anos, são raros.


Depois dos 35 anos são raríssimos.



A tendência é que passem a atuar como volantes.


Como fizeram Júnior, Leonardo, Jorginho, Roberto Carlos.


Mas a diferença do rendimento de Daniel Alves como lateral e como meio-campista é gritante.


Pode ser muito melhor para seu físico atuar como segundo volante.


Mas para o São Paulo é fundamental tê-lo na lateral/ala direita.


Hernán Crespo e Daniel Alves conversaram muito para que o jogador voltasse a atuar onde é muito mais desgastante.


E que havia evitado jogar desde que foi contratado, em agosto de 2019.


As lesões são um grande risco.


Mas a decisão do treinador argentino está tomada.


Com três zagueiros, precisa do jogador no corredor direito do campo.


Daniel Alves aceitou.



Crespo está há apenas três meses no São Paulo.


Período que o baiano voltou para a posição que o consagrou no mundo.


Seu rendimento, como era esperado, foi muito melhor.


O ‘pequeno estiramento’ era um efeito colateral possível.


Inteligentíssimo, Daniel Alves queria voltar para a lateral apenas na Seleção Brasileira.


E na Copa do Mundo do Catar.


Para compensar a que perdeu na Rússia, por conta de uma operação no joelho direito.


A contusão de Daniel Alves, desta vez, deve levar entre sete e dez dias para estar curada, acreditam conselheiros ligados ao presidente Julio Casares.


O São Paulo poderá se virar sem ele nos jogos contra Mirassol, Rentistas (Libertadores) Ferroviária, pelas quartas-de-final do Paulista. Corre ainda o risco de também não jogar a semifinal do Paulista.


Mas estará pronto tanto para os dois jogos finais do Estadual. E também para as partidas contra o Racing e Sport Cristal, derradeiros do São Paulo na fase de grupos da Libertadores.


Mas as lesões serão sempre um risco.


Lateral direito com 38 anos é desgaste muscular garantido.


Faz parte do acordo com Crespo.


Até Daniel Alves envelhece…



Quatro clubes do Brasil possuem dívidas de cerca de R$ 1 bilhão


Fonte: R7

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais