fbpx

Aprenda a aliviar a ansiedade com a ajuda dos alongamentos

Experimente em casa os movimentos de alongamento – Crédito: Ekaterina Bolovtsova/Pexels

Foto: João Bidu

Os exercícios físicos são capazes de despertar no corpo sensações próximas ao prazer e à satisfação.

Gastar energia com a prática de atividades colabora no processo natural do sono, fortalece os músculos, ajuda no sistema imunológico e combate o desenvolvimento de quadros depressivos.

Porém, nem sempre estamos com aquele pique para fazer um exercício mais pesado, não é? Principalmente com a quarentena, os ânimos podem ter caído e a rotina de atividades físicas também. Por isso, é ainda mais essencial encontrar uma forma prazerosa de movimentar o corpo, sem sair do conforto do lar.

Entre todas as modalidades que podem ser executadas em casa, o alongamento chama a atenção pela praticidade, facilidade e, principalmente, por seus bons resultados ao dissipar os efeitos do estresse, da ansiedade e até mesmo da depressão.

Portanto, confira os benefícios do alongamento em casa para aliviar a ansiedade e proporcionar mais bem-estar no seu dia a dia. 

Benefícios do alongamento em casa

Antes de falarmos dos benefícios do alongamento, o melhor é compreender o por quê dos exercícios físicos serem tão úteis para aliviar a ansiedade e combater a depressão. Isso acontece porque, enquanto o corpo é movimentado, ocorre o estímulo da produção da endorfina e serotonina – substâncias que causam prazer, bem-estar e elevam o humor. Assim, quando você termina de fazer uma atividade física, a sensação é de completa renovação. 

Além disso, os resultados visíveis dos exercícios no corpo podem ser mais um incentivo para continuar com a prática, uma vez que ajudam a desenvolver a autoconfiança e a autoestima. 

O ideal é experimentar os diversos tipos de exercícios até encontrar um que mais combina com você – já que essa atividade precisa provocar satisfação e entusiasmo em você e nunca o contrário!

E se você não tem costume de se exercitar, mas quer começar o quanto antes, os alongamentos são ótimas opções. Primeiro porque eles podem ser executados em qualquer lugar da casa, sem precisar de muito espaço; segundo porque é uma maneira de relaxar o corpo e a mente. 

Seja depois de acordar ou antes de se deitar para dormir, alongar o corpo contribui com a sua flexibilidade, acaba com as dores do corpo, dá mais disposição, desacelera o fluxo de pensamentos e traz conforto.

Para deixar o exercício ainda mais relaxante, enquanto faz os alongamentos, mantenha pensamentos positivos, como:

  • “Hoje meu dia será melhor que ontem”;
  • “Não irei cair no desespero, afinal, tenho capacidade de resolver qualquer problema”;
  • “Eu domino minha mente, portanto, hoje meus pensamentos serão prósperos e alegres”;
  • “Sou grato(a) por estar respirando, pois assim sei que tenho mais uma oportunidade para ser quem eu quero ser”; 
  • “Vou me deitar com a certeza de que hoje dei o melhor de mim e amanhã serei ainda melhor”;
  • “Eu me amo e não tenho medo de ser feliz”.

Exemplos de alongamento para ansiedade

Meditação e relaxamento

Sente-se em um local confortável e faça uma meditação. Feche os olhos e pense sobre a sua vida e sobre você. Se for durante a manhã, mentalize o que você deseja para seu dia e quais serão seus próximos passos. Já à noite, pense em como mais um dia se foi e como tudo é passageiro – até mesmo os problemas.

Após a meditação, sente-se sobre os calcanhares com os joelhos afastados, estique os braços e leve seu tronco para a frente, mantendo as pernas no chão e os glúteos encostados nos pés. Faça o movimento até que sua testa toque o chão ou até onde conseguir chegar. Respire profundamente três vezes e, aos poucos, levante-se até voltar à primeira posição.

Alongamento das coxas e das costas

Abra as pernas no chão e estique os pés. Primeiro, faça um movimento de vai e vem com os pés esticados para deixá-los alongados e acordados. Então coloque as mãos sobre a coxa direita e caminhe com elas pela extensão da perna; o objetivo é alcançar os dedos dos pés ou os calcanhares. Respire três vezes profundamente e repita o mesmo processo do lado esquerdo. 

Ponte

Há duas formas de realizar esse movimento com segurança. A primeira é deitar-se no chão com a barriga para cima. Coloque com os pés afastados na largura do quadril, coloque as solas no chão, de maneira que os joelhos fiquem flexionados. Então, coloque as palmas das mãos no chão ao lado da sua cabeça, com os dedos voltados para seus pés; assim como os joelhos, os cotovelos também ficaram flexionados. Em seguida, pressionando os pés e as mãos no chão, levante o corpo até que ele fique encurvado. Todo o peso do corpo será distribuído entre as pernas e os braços.

O segundo jeito é utilizar uma parede sem objetos como apoio. Fique de costas para ela com uma distância de um braço. Curve seu torço para trás e, com os braços estendidos, procure encostar as mãos na parede. Então, desça o corpo enquanto caminha com as mãos pela parede, até que elas encontre o chão. Durante a descida, será necessário dar alguns passos para frente, faça isso sempre se apoiando na parede.

Alongamento dos dedos

Entrelace os dedos na frente do corpo, estenda os braços e vire as palmas das mãos para o lado de fora. Alongue bem os braços e estique todos os dedos! Se quiser, levante os braços, ainda com os dedos entrelaçados e estique as costas. Com os braços para cima, também vale alongar para os lados.

Alongamento das costas

Erga os braços acima da cabeça, entrelace os dedos das mãos deixando apenas o polegar e o indicador esticados e alongue  as costas. Então, com os pés fixos no chão, incline o tronco para a esquerda. Respire três vezes e volte ao centro. Em seguida, repita o mesmo processo do lado direito. 

Veja também:

De andador, veterano de guerra de 99 anos arrecada milhões para saúde pública britânica

João Bidu

  • separator

Fonte: Terra

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais