Arte com ferro faz deficiente auditivo superar dificuldades e o torna empreendedor: ‘Achei meu propósito’ | Sorocaba e Jundiaí

Foi com um pedaço de ferro que Moisés Camargo, de 45 anos, deu os primeiros passos no campo da arte e se descobriu como artista e microempreendedor. Surdo de nascença, o morador de Sorocaba (SP) percebeu uma habilidade que há muito tempo não colocava em prática: a criatividade.

Ao G1, Moisés contou que desde criança amava desenhar, mas deixou de lado sua paixão pela arte. Aos 20 anos, saiu de Ourinhos e foi para Sorocaba em busca de um emprego que lhe desse retorno financeiro. No entanto, ele afirma que encontrou dificuldades durante a procura.

“Nenhuma empresa me contratava porque sou surdo e também não consegui estudar. Então ficou muito difícil arranjar um emprego”, conta.

Moisés afirma que até conseguiu trabalho como montador de móveis, mas com o tempo se sentia frustrado. “Fui ficando desanimado, porque eu trabalhava só para ganhar dinheiro e não estava feliz”, conta.

Até que, em meio à rotina do dia-a-dia, o artista afirma que encontrou na religião um refúgio. E, nesse refúgio, encontrou uma pessoa que mudaria a sua vida: Maria Ângela de Oliveira, professora de Libras e presidente da Associação Amor Inclusivo (AAI), uma organização sem fins lucrativos.

Maria o convidou para conhecer a associação, que oferece aulas de música, arte e artesanato para deficientes na cidade de Sorocaba.

Ele aceitou o convite e, com o tempo, redescobriu sua paixão pela arte e percebeu que havia habilidade de fazer esculturas usando ferro e outros objetos.

“Fui vendo que dava para criar coisas muito bonitas e que eu conseguia expressar minha criatividade por meio da arte”, explica o artista.

Obras feitas com ferro e sucata pelo artista Moisés Camargo — Foto: Júlia Martins/G1Obras feitas com ferro e sucata pelo artista Moisés Camargo — Foto: Júlia Martins/G1

Obras feitas com ferro e sucata pelo artista Moisés Camargo — Foto: Júlia Martins/G1

Ao perceber o talento de Moisés, Maria Ângela resolveu começar a vender as peças que ele produzia. “Comecei a oferecer para as pessoas e fomos vendendo praticamente tudo o que ele fazia. Isso foi nos animando e o Moisés passou a produzir cada vez mais”, explica.

Com o sucesso das vendas, Moisés conseguiu abrir sua própria empresa como Microempreendedor Individual (MEI) e agora tem até CNPJ.

“Um dos meus sonhos era ter minha própria empresa e agora eu consegui. Quero continuar fazendo arte e vendendo minha peças para as pessoas”, enfatiza.

Com o incentivo da professora Maria Ângela, Moisés participou de concursos internacionais e agora teve sua própria exposição na sede da AAI, que fica na Rua Pedro Álvares Cabral, 564.

Obras feitas com ferro e sucata pelo artista Moisés Camargo — Foto: Júlia Martins/G1Obras feitas com ferro e sucata pelo artista Moisés Camargo — Foto: Júlia Martins/G1

Obras feitas com ferro e sucata pelo artista Moisés Camargo — Foto: Júlia Martins/G1

Moisés descobriu na arte com ferro uma maneira de expressar sua cratividade na AAI em Sorocaba (SP) — Foto: Júlia Martins/G1Moisés descobriu na arte com ferro uma maneira de expressar sua cratividade na AAI em Sorocaba (SP) — Foto: Júlia Martins/G1

Moisés descobriu na arte com ferro uma maneira de expressar sua cratividade na AAI em Sorocaba (SP) — Foto: Júlia Martins/G1

Maria Ângela e Moisés AAI Sorocaba — Foto: Arquivo PessoalMaria Ângela e Moisés AAI Sorocaba — Foto: Arquivo Pessoal

Maria Ângela e Moisés AAI Sorocaba — Foto: Arquivo Pessoal

Fonte: Google News

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: