As diferenças entre o bom orador e o orador convincente

Speaker! Como você está?

São muitas as habilidades que fazem com que alguém seja um bom comunicador, não é verdade? Dominar e saber aplicar as principais técnicas de oratória são capacidades importantíssimas.

Um bom orador é, em suma, aquele que consegue se expressar com clareza, lidando com os mais diversos tipos de público e de situações de exposição de fala.

Um orador convincente, por sua vez, tem alto poder de persuasão e não apenas expressa suas ideias e argumentos com assertividade, mas, ao mesmo tempo, logra convencer os demais sobre eles.

Na nossa conversa de hoje, vou falar um pouco mais sobre as diferenças entre ser um bom orador e um orador convincente, abordando técnicas essenciais para que você melhore a forma como tem se comunicado com os demais e desenvolva seu poder de persuasão. Vamos lá?

Orador convincente x Bom orador: quais as diferenças?

Para compreendermos o que conceitualmente é um bom orador, vamos voltar lá no passado: a origem dessa palavra quer dizer “o enviado ou enviada” ou “aquele que é responsável por transmitir alguma mensagem oral”.

Quando falamos em orador, imaginamos uma situação de fala bem específica: alguém com um microfone falando para uma série de pessoas. Se bem essa imagem é verdadeira, esse tipo de situação de exposição de fala não é o único e precisamos ser bons oradores em outros contextos, como, por exemplo, uma reunião de trabalho, uma conversa com um cliente, entre outros.

Um bom orador é aquele que logra transmitir todo o conteúdo da sua fala com clareza, sem deixar dúvidas para aquele que o escuta, seja qual for o contexto no qual está inserido.

E o orador convincente? Bem, esse tipo de orador está ligado ao que se chama de “oratória persuasiva”. Além de ter todas as qualidades de um bom orador, do qual falamos acima, o orador convincente consegue persuadir os demais sobre algo, seja esse algo uma opinião, uma nova ideia ou mesmo um call to action específico, como a compra de um produto ou a assinatura de um contrato.

Ao final de uma exposição oral de um bom orador, as pessoas saem cientes de todas as informações sobre um determinado assunto, já que puderam ouvir sobre ele com clareza e assertividade. Ao terminar uma exposição de um orador convincente, o público sairá inspirado e com tendências a tomar certa atitude. Viu a diferença?

Como ser um orador convincente?

Como vimos até aqui, um orador convincente tem as mesmas qualidades de um bom orador, mas ele vai além, já que também tem alto poder de persuasão e consegue inspirar as pessoas a tomarem alguma decisão, relacionada a um call to action.

Ser um orador convincente traz vantagens em inúmeras situações ao longo da nossa vida. No universo corporativo – e mesmo para ingressar no mercado –, a habilidade de convencer os demais sem maiores dificuldades é ainda mais essencial.

Dito isso, vejamos, a seguir, algumas técnicas para ser um orador convincente:

Esteja informado

Para defender uma ideia ou argumento, ou mesmo apresentar um projeto/produto/marca, é fundamental saber do que estamos falando, buscando informações atualizadas e confiáveis sobre o tema e que realmente tragam algo novo para quem nos escuta. Para ser persuasivo, falar “mais do mesmo” não é suficiente. É preciso informação confiável e inovadora!

Organize o seu raciocínio

Como podemos nos convencer de algo se não o entendemos? Impossível, não é? Por isso, preocupe-se em estruturar o seu raciocínio de uma forma inteligente, que seja facilmente compreendida pelos outros e que mantenha o mesmo nível de qualidade todo o tempo, garantindo que as pessoas prestem atenção no que estamos dizendo do começo ao fim.

Fale com paixão e emoção

Falar bem é MUITO diferente de falar com paixão e emoção. Um bom orador fala bem, um orador convincente se expressa com paixão e, por isso mesmo, consegue inspirar e emocionar a sua audiência. Mostre que você se importa e não tenha medo de inserir trechos emotivos na sua fala. A persuasão está diretamente relacionada a esses dois fatores!

Saiba usar a sua linguagem não-verbal

Ser um orador convincente é falar como um líder. E isso quer dizer dominar também a linguagem não-verbal, utilizando toda a dinâmica não-falada a nosso favor. Mantenha contato visual com as pessoas, gesticule bem, utilize a sua voz corretamente, mantenha uma postura ereta e garanta que suas expressões faciais estejam sempre em harmonia com o conteúdo da sua fala. Esses são itens essenciais para ser persuasivo!

 

Precisa aprimorar o modo como se comunica com as pessoas para ser mais convincente? Considere fazer um treinamento em oratória. Conheça a The Speaker!

 

Fonte:

www.thespeaker.com.br

 

The Speaker

  • separator

Fonte: TERRA

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: