fbpx

AstraZeneca e Gamaleya firmam acordo de estudo de vacinas

A farmacêutica AstraZeneca e o Instituto Gamaleya de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia assinaram nesta segunda-feira (21) um memorando para iniciar os estudos sobre um possível aumento de eficácia contra o coronavírus Sars-CoV-2 da combinação entre as vacinas AZD1222 e Sputnik V.
    Os testes “começarão em breve”, segundo nota divulgada pela farmacêutica, e querem verificar tanto a eficiência como a segurança na recombinação. A AstraZeneca desenvolve o imunizante criado pela Universidade de Oxford e a assinatura ocorre 10 dias depois do anúncio da parceria.
    Tanto a Sputnik V, que já vem sendo usada na vacinação da população civil na Rússia, como a AZD1222, usam a maneira tradicional na produção de imunizantes, com adenovírus inativado. Porém, a britânica usa o mesmo vetor nas duas doses e a russa usa um vetor diferente para cada dose.
    A vacina da AstraZeneca/Oxford já teve os resultados de eficácia publicados por revista científica, mas ainda gera dúvidas por conta de um erro durante os testes da fase 3: ela teve um resultado melhor quando foi administrada uma dose e meia do que quando foram duas. Já a do Instituto Gamaleya não teve os dados revisados, apesar do laboratório garantir uma eficácia de 91,4% para prevenir a Covid-19. .
   

Veja também:

Como era ser uma criança negra na Alemanha pós-guerra


  

  • separator

Fonte: Terra

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais