fbpx

Bacen atualiza regimento interno e manté…

Alterações no Regimento Interno do Banco Central do Brasil (BC/Bacen) foram publicadas no Diário Oficial da União de segunda-feira, 31. O ingresso de servidores por concurso público, no entanto, foi mantido.

Em relação aos concursos, as mudanças foram apenas quanto ao responsável por dar posse e exercício a aprovados no concurso Bacen. Essa função poderá ser feita pelos gerentes administrativos regionais.

O BC busca autorização do Ministério da Economia para realizar novo concurso. Por meio de sua Assessoria de Imprensa, o Banco Central confirmou que enviou um pedido para preenchimento de 260 vagas em 2021.

Desse total, 30 oportunidades foram solicitadas para técnicos, 200 para analistas e 30 para procuradores. Tal quantitativo é o mesmo pleiteado pelo Bacen em 2019, ao qual foi negado pelo governo federal.

Bacen solicita novo concurso com 260 vagas ao Ministério
da Economia (Foto: Divulgação)

Em resposta ao pedido, o Ministério da Economia justificou “a indisponibilidade de autorização de novos concursos públicos em face da atual situação fiscal do país”.

Ainda assim, o Departamento de Gestão de Pessoas do BC garante que a instituição está comprometida com a recomposição mínima do quadro de servidores.

“O Banco Central enviou nova solicitação equivalente à do ano passado (200 vagas para analistas, 30 para técnicos e 30 para procuradores), mas permanece considerando baixa a probabilidade de atendimento, dado o cenário fiscal. O BC continuará mantendo o Ministério da Economia constantemente atualizado quanto à necessidade mínima de reposição de seus servidores”, consta em nota enviada à reportagem.

Resumo concurso Bacen

  • Órgão: Banco Central do Brasil
  • Vagas: 260 solicitadas
  • Cargos: técnico, analista e procurador do Banco Central 
  • Remunerações: R$7.741,31 a R$21.472,49
  • Status: aguardando autorização do Ministério da Economia
  • Link para últimos editais

Em pauta, autonomia pode beneficiar concurso Bacen

Presente na pauta do Congresso Nacional, a autonomia do Banco Central pode ser favorável a abertura do novo concurso Bacen. Isso porque a instituição não precisaria mais de autorização do Ministério da Economia para publicar editais e preencher o déficit de servidores.

O governo federal busca a votação no Legislativo de sete projetos com mudanças em marcos regulatórios importantes para destravar a economia no semestre.

Segundo o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), o primeiro projeto deve ser a autonomia do Banco Central, favorável ao concurso Bacen.

Estão em análise no Congresso dois projetos de lei para independência do Banco Central. Um deles está no Senado. É o projeto de lei (  PLP 19/2019  ), protocolado pelo senador Plínio Valério.

O projeto poderia ser votado em março, como informou Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados. Com a pandemia do Coronavírus, no entanto, a discussão em Plenário foi adiada.

Em contrapartida, o presidente Jair Bolsonaro também assinou um projeto de lei complementar (PLP 112/2019) para independência do Banco Central. Esse PL está na Câmara dos Deputados, contudo, não registra andamentos desde junho do ano passado.

+ Quer passar no concurso Bacen? Saiba como!
+ Concurso Bacen: cerca de 81% do déficit é de analistas

Concurso Bacen oferece remunerações de até R$21 mil

Os concursos Bacen para técnico exigem apenas o ensino médio completo para inscrição. Os salários iniciais são de R$7.741,31, incluindo o auxílio-alimentação de R$458. 

O cargo de analista, por sua vez, requer o nível superior em qualquer área de formação. Os vencimentos, após aprovação no concurso, são de R$19.655,06.

Já para ser procurador do Banco Central é preciso ter Bacharelado em Direito e exercício comprovado de dois anos de prática forense. Depois do ingresso, as remunerações são de R$21.472,49 por mês.

Quem é aprovado no concurso Banco Central pode ser lotado em dez municípios diferentes. A maior concentração é em Brasília. Cerca de 42% dos servidores trabalham na capital federal.

Há chances ainda para São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Fortaleza, Salvador e Belém. Conforme a instituição financeira, dos 3.589 aprovados no concurso Bacen até hoje, 18,4% atuam em São Paulo, por exemplo.

Na tabela abaixo, confira a porcentagem de servidores por lotação:

3.589 servidores no Banco Central (dados de abril/2020)*
Brasília 42,5%
São Paulo 18,4%
Rio de Janeiro 12,1%
Belo Horizonte 7,4%
Porto Alegre 4,45%
Curitiba 3,9%
Recife 3,8%
Fortaleza 3,6%
Salvador 2,6%
Belém 1,3%

*Dados disponíveis no   site do Banco Central

A última seleção para ingresso no BC, em 2013, teve vagas divididas por praça de lotação. Dessa maneira, a inscrição deveria ser feita para um local em específico.

As avaliações, na época, foram realizadas nas dez capitais com possibilidade de lotação. Os inscritos a técnico e analista passaram por provas objetivas e discursivas, além de avaliação de títulos (apenas para analista) e programa de capacitação.

Fonte: Google News

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais