fbpx

Bolsonaro fala após divulgação do vídeo da reunião ministerial – Último Segundo

bosonaro


Reprodução/STF

Bolsonaro em reunião

Após a divulgação do vídeo da reunião ministerial entre Bolsonaro (sem partido) e seus deputados, no final da tarde desta sexta-feira (22), pelo STF,
 o presidente se pronunciou pela primeira vez para comentar o conteúdo publicado.

Em entrevista à Jovem Pan, Bolsonaro comentou sobre as polêmicas em ter informações privilegiadas, o “serviço de informações particulares”, como o próprio presidente afirmou, “é um sarjento que está em um batalhão do bope no rio de janeiro […] é um amigo meu que está na reserva, e funciona melhor que o serviço de informação que eu tenho oficialmente”, afirmou.

Bolsonaro
 também falou sobre a publicação do vídeo pelo ministro Celso de Mello. Dentre alguns assuntos, comentou sobre a característica de seus ministros, que, segundo ele, são muito ingênuos.

Leia mais:  Ministro diz que Covid-19 é chance para mudar legislação ‘sem chamar atenção’

“O defeito, me desculpe meus ministros
, é não ter a malícia política, eles são muito bons como técnicos. Eu não quero citar nomes para não contranger nenhum deles, mas tem uns ministros aqui que nunca sonhamos com esse conhecimento técnico que tem. Mas, quando entra no campo político, nota 1 ou nota 2 pra ele, porque não conseguem ver a malícia como eu vejo”, comentou Bolsonaro.

Bolsonaro foi questionado sobre a forma como falou sobre alguns governadores, em especial os representantes de São Paulo, Manaus e Rio de Janeiro.  No vídeo divulgado pelo STF, o presidente diz: “O que esses caras fizeram com o vírus, esse bosta desse governador de São Paulo, esse estrume do Rio de Janeiro, entre outros, é exatamente isso. Aproveitaram o vírus, tá um bosta de um prefeito lá de Manaus agora, abrindo covas coletivas. Um bosta”.

Para a Jovem Pan, ele minimizou o caso e disse que “é como em uma reunião de pauta de vocês jornalistas”. Ele ainda afirmou que apenas o trecho sobre o inquerito da polícia federal deveria ter sido divulgado, e não a totalidade do vídeo. “Foi uma reunião reservada, não era para ter divulgado. É lamentável que tenha sido divulgada”. 

Bolsonaro
terminou a entrevista dizendo que as vidas são importantes, mas a ecnomia também não pode ser deixada de lado.

“Vamos respeitar o vírus, vamos! Vamos respeitar a vida, mas vamos também nos preocupar com os empregos. Quando eu quis abrir as academias foi para combater isso, pessoas que tem obesidade, ou que são sedentárias, estão tendo seus problemas cada vez mais agravados por uma verdadeira neurose que está acontecendo no Brasil”.

Após a entrevista com a Jovem Pan, Bolsonaro se dirigiu à tradicional saída do palácio da alvorada, lugar em que constantemente conversa com seus apoiadores e a imprensa. 

O presidente afirmou que a responsabilidade por tudo o que foi apresentado no vídeo liberado por Celso de Mello é de inteira responsabilidade do magistrado. “Nenhum ministro meu tem responsabilidade sobre o que foi falado ali, que foi uma reunião reservada”.

Bolsonaro falou sobre a depecpção com o ex-ministro Sérgio Moro
. “É lamentável. Um homem que tinha tudo para servir à sua pátria e, obviamente, tendo o presidente como seu líder. Ele aceitou trabalhar comigo e sabia das regras do jogo”, comentou.

Fonte: Google News

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!