fbpx

Caixa amplia recursos para linha de crédito com imóvel como garantia

(Shutterstock)

SÃO PAULO – A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira (30) que vai ampliar os recursos destinados a empréstimos feitos por meio da linha de crédito com garantia do imóvel, ou home equity, modalidade de crédito pessoal em que o cliente usa o próprio imóvel como garantia real do empréstimo.

Para expandir as operações dessa modalidade de crédito, o banco lançou a linha Real Fácil Caixa, que tem juros inferiores aos praticados anteriormente nesse tipo de empréstimo. A opção estará disponível a partir da próxima segunda-feira (3) para clientes ou não do banco que tenham imóveis livres de qualquer tipo de ônus.

Pedro Guimarães, presidente da Caixa, explicou em coletiva de imprensa virtual, que essa modalidade de crédito permite a redução nas taxas de juros porque o bem dado como contrapartida na operação reduz o risco do banco. “Há uma garantia real mais sólida do pagamento da dívida, no caso o imóvel, que normalmente é um bem muito relevante para qualquer família”.

O banco vai oferecer a atualização dos juros em três opções: uma taxa fixa mais a Taxa Referencial (TR), que atualmente está zerada; juros atrelados à inflação (IPCA); ou uma taxa fixa, que não será corrigida pela inflação ou TR no prazo contratado. Veja qual opção de financiamento é mais vantajosa.

O sistema de amortização fica a critério do cliente, que pode escolher entre Sistema de Amortização Constante (SAC), cujas parcelas iniciais são mais altas e a prestação vai caindo ao longo do tempo, ou Sistema Francês de Amortização (Price), que tem parcelas fixas.

Hoje, o Brasil possui cerca de R$ 11 bilhões em financiamentos de home equity, sendo que a Caixa é responsável por pouco mais de 30% desse volume, ou R$ 3,5 bilhões.

A expectativa do banco é aumentar o volume de empréstimos em mais de dez vezes, e chegar a R$ 40 bilhões nos próximos anos.

No site da Caixa é possível fazer simulações, mas a contratação do empréstimo deve ser feita nas agências do banco presencialmente ou nos Correspondentes Caixa Aqui.

Cuidados

Ainda que as linhas de crédito que oferecem um imóvel com garantia tenham taxas reduzidas, já que apresentam menor risco para o banco, é importante reforçar que, em caso de inadimplência, o tomador pode, no limite, perder seu imóvel.

Por isso, nesse tipo de empréstimo, a recomendação de avaliar com cuidado a capacidade de pagamento da dívida antes de contrair o crédito é ainda mais crucial.

Dario Ferraço, sócio da SF Consultoria Imobiliária, reforça que no caso do crédito com garantia, assim como um crédito imobiliário para financiamento de imóveis, o banco pode tomar imóvel no caso do não pagamento do proprietário, mesmo sendo o único imóvel da família.

“Legalmente, o banco já se resguarda com cláusulas que o cliente dá ciência de que mesmo sendo o único bem e a residência da família, ele está colocando o imóvel como garantia daquele crédito e está passível das sanções legais numa eventual inadimplência”, diz Ferraço.

Taxas

A Caixa informou que vai praticar uma taxa de balcão de 0,9% (na opção de correção com taxa fixa + TR), ou seja, uma taxa padrão para os interessados que não são clientes. Segundo o banco, essa taxa anunciada pela Caixa é a menor disponível hoje no mercado para esse tipo de linha de crédito.

Veja o exemplo com a opção TR +0,9% ao mês comparada com outros bancos, segundo a Caixa: 

No entanto, as taxas podem ser menores, a depender da relação do cliente com o banco e as negociações feitas. Nesse caso, a menor taxa pode chegar a 0,6% ao mês na linha em que os juros são corrigidos pela inflação.

Modalidade do empréstimo na Caixa  Taxa ao mês  Prazo em meses  Quota máxima do financiamento em relação ao valor do imóvel 
IPCA+ a partir de 0,6% até 180 (15 anos) até 50%
TR+ a partir de 0,7% até 180 (15 anos) até 60%
Taxa Fixa  a partir de 0,8% até 180 (15 anos) até 60%

Veja duas simulações feitas pela Caixa na coletiva: 

A simulação a seguir considera uma taxa reduzida:

Modalidade do empréstimo na Caixa  Taxa ao mês  Prazo em meses  Valor financiado prestação 
TR+ 0,7% 120 meses R$ 300 mil R$ 4.600

Segunda fase do Real Fácil

O Banco Central (BC) anunciou, na semana passada, novas regras que permitem ao cliente contratar uma operação de crédito oferecendo como garantia um imóvel que ainda está sendo financiado junto à instituição financeira. Ou seja, será possível oferecer um mesmo bem para garantir mais de uma operação de crédito.

Por exemplo, um tomador pode usar o mesmo apartamento financiado (cujas parcelas ainda estão sendo pagas), como garantia de outro empréstimo.

O processo é chamado de alienação fiduciária com compartilhamento do bem e foi anunciado justamente para facilitar a liberação de empréstimos pelos bancos em meio à crise.

Guimarães explicou que a Caixa está atenta a esses movimentos, e lançará na segunda fase do Real Fácil as condições que contemplarão a aceitação de imóvel com ônus como garantia de novas operações, de acordo com as novas regras anunciadas pelo regulador.

Financiamentos e terrenos

Guimarães comunicou que o banco vai voltar a oferecer a linha de financiamento de Lote Urbanizado, destinada às pessoas que desejam adquirir apenas um terreno, incluindo uma redução nas taxas praticadas para esse tipo de empréstimo até então.

Ele também informou uma diminuição de taxas da modalidade Construção Individual, quando o interessado toma o crédito para financiar a compra de um terreno com a construção de imóvel simultaneamente ou para construir uma casa em um terreno que já possui.

Em ambos os casos, com uso de recursos da poupança, por meio do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), as linhas de crédito estarão disponíveis para contratação sob as novas condições a partir da próxima segunda-feira (3).

O presidente da Caixa ressaltou que as medidas de isolamento social despertaram o interesse por novas formas de habitação, com aumento da procura por casas com quintal, mais espaço, proximidade com a natureza, sem aglomerações ou elevadores. “Com a retomada dessas modalidades de crédito, os clientes da Caixa poderão concretizar projetos em meio à pandemia”.

Veja as taxas que serão aplicadas nessas modalidades:

Modalidade Taxa vigente (até 02 agosto) Nova taxa (a partir de 03 de agosto) Quota máxima do financiamento em relação ao valor do imóvel/terreno
Construção individual TR + a partir de 7,25% até 8,5% ao ano TR + a partir de 6,5% até 8,5% ao ano Até 80%
Lote urbanizado TR + a partir de 10,25% até 11% ao ano TR + 10,25% ao ano Até 70%

No caso das taxas do chamado Lote Urbanizado, a depender do relacionamento com o cliente, a Caixa oferece mais uma redução, que pode chegar a TR+ 8,5% ao ano.

Newsletter InfoMoney
Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:

Fonte: Infomoney

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!