fbpx

Caixa atendeu 95,5 milhões de pessoas com auxílio emergencial e outros benefícios na pandemia

(Divulgação/Caixa)

SÃO PAULO – Desde o início da pandemia, a Caixa Econômica Federal já realizou transferências de recursos a 95,5 milhões de pessoas, no valor de R$ 202,8 bilhões, considerando auxílio emergencial, saque emergencial do FGTS e o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm).

No total, 131,7 milhões de pessoas devem ser beneficiadas neste ano, com um valor total de R$ 302,9 bilhões, segundo as estimativas do banco.

Todos os recursos são ligados a medidas emergenciais adotadas durante a pandemia com o objetivo de auxiliar a população a atravessar a crise. O banco federal é o agente operador responsável por administrar e efetivar o crédito aos beneficiários dessas medidas.

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (26), durante o anúncio do balanço da Caixa, referente aos resultados do banco no segundo trimestre. A instituição registrou queda de 39,3% no lucro líquido em relação ao segundo trimestre de 2019. Na comparação com o primeiro trimestre deste ano, houve uma retração de 16,1%.  

“Mesmo com a queda de 16% no lucro, temos um resultado sustentável, com um ROE [retorno sobre o patrimônio líquido] de 12%. O resultado reflete o momento que o banco está passando. Estamos atendendo cerca de 90 milhões de pessoas por mês, considerando todos os benefícios sociais, logo há uma sobrecarga e uma redução das operações comerciais. Nenhum banco do mundo fez isso. Como resultado, temos uma queda temporária no lucro líquido, que será recuperada pós pandemia”, afirmou Pedro Guimarães, presidente da Caixa.

O ROE mede quanto o capital investido na companhia está retornando para os investidores. O resultado veio em linha com os principais concorrentes do setor.

Também houve queda de 18% na receita de prestação de serviços e tarifas no segundo trimestre na comparação com o mesmo período do ano passado e de 7% sobre o trimestre anterior. Guimarães disse que as quedas são consequência da diminuição no número de pessoas que vão presencialmente às agências e reiterou o foco da Caixa no atendimento do auxilio emergencial e outros benefícios.

“Nós efetivamente reduzimos uma série de outras relações com os clientes, dado o momento de atendimento dos benefícios sociais, e houve uma redução já esperada na captação das tarifas. A queda no atendimento comercial se deu principalmente em abril e maio, mas a partir de junho o banco já registrou uma retomada. O balanço do terceiro trimestre vai mostrar a recuperação das receitas de serviços”, ressaltou.

Veja os dados atualizados dos principais programas sociais e medidas adotadas pelo banco em meio à pandemia.

Auxílio Emergencial

O auxílio emergencial de R$ 600 foi pago a mais de 66,9 milhões de brasileiros, o que representou um valor de R$ 173,4 bilhões até o dia 25 de agosto. 

Segundo o banco, o benefício é a maior ação de transferência de renda já realizada no Brasil. Foram 109 milhões de cadastros processados e mais de 212 milhões de downloads do aplicativo Caixa Tem – usado para consultar os valores de todos os benefícios sociais (Auxílio Emergencial, Saque Emergencial do FGTS, e “BEm”) e também para realizar pagamentos e transferências.

Veja o calendário aqui.

Saque emergencial do FGTS 

O público do saque emergencial do FGTS é de 23,8 milhões de pessoas, que receberam R$ 18,3 bilhões até o dia 24 de agosto. O saque foi viabilizado por meio da MP 946/20, que limitou o valor a até R$ 1.045 por trabalhador, considerando a soma dos saldos de todas contas ativas ou inativas no FGTS.

Veja o calendário aqui. 

BEm

Já em relação ao BEm, a Caixa já efetuou o pagamento de R$ 11,1 bilhões para mais de 4,8 milhões de trabalhadores. Este benefício é voltado aos trabalhadores que tiveram redução proporcional de jornada de trabalho e de salários ou a suspensão temporária do contrato de trabalho, com base na MP 936/2020. (Saiba mais aqui).

Pronampe e Fampe

Em relação aos auxílios destinados às micro e pequenas empresas, a Caixa informou que já disponibilizou um total de R$ 9,5 bilhões em crédito no âmbito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) e do Fundo de aval para as micro e pequenas empresas (Fampe). Até o dia 21 de agosto foram mais de 86,5 mil empresas atendidas.   

Pelo Pronampe, foram concedidos R$ 7,3 bilhões para cerca de 58 mil empresas, e via Fampe, foram R$ 2,2 bilhões disponibilizados, atendendo a quase 29 mil empresas. 

Durante a coletiva, Guimarães ressaltou que os recursos estão chegando às empresas de forma ágil. “O prazo médio de análise do Pronampe é de 5 dias. E estamos com mais R$ 5 bilhões aprovados”, disse.

Ainda assim, ao longo da crise, pequenos empresários relataram dificuldade em obter crédito e diversas pesquisas mostram que os recursos disponibilizados pelo governo para as micro e pequenas empresas não foram suficientes (veja mais).

Crédito imobiliário

Segundo a Caixa, no segundo trimestre foram contratados R$ 27,4 milhões em crédito imobiliário.

“Foi o maior volume de contratação dos últimos quatros anos para o segundo trimestre. Houve um aumento de 83% na concessão de crédito no segmento SPBE [Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo], que usa recursos da poupança, na comparação com o mesmo período de 2019 e uma alta de 33% na comparação com o primeiro trimestre, quando já tínhamos batido o nosso recorde”, explicou Guimarães.   

Ele explicou que desde que assumiu a gestão do banco, esse segmento foi uma prioridade. Em janeiro de 2019, o banco tinha 24% de participação de mercado no SBPE e hoje é líder do segmento, com 51% de market share, de acordo com dados de julho.

“Isso se deve principalmente às inovações que oferecemos, como o financiamento corrigido pelo IPCA, que foi a modalidade mais beneficiada do ano passado para cá porque o IPCA desacelerou desde que foi anunciado em setembro de 2019.  O IPCA mais 2,95% ao ano é muito mais vantajoso do que a Taxa Referencial [atualmente zerada] mais 6,5% ao ano. Hoje temos 12 bilhões em crédito só nesse segmento”, disse Guimarães.

Ele acrescentou que a medida que prevê seis meses de carência no contrato de financiamento para pessoas físicas e jurídicas também impulsionou a demanda neste segundo trimestre.

No primeiro semestre de 2020, foram contratados na Caixa R$ 28 bilhões no Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), o equivalente a 153,4 mil unidades habitacionais. Na última terça-feira (25), foi anunciado o Casa Verde e Amarela, programa substituto ao MCMV – (saiba mais aqui).

Antecipação do saque-aniversário do FGTS

A nova linha de crédito, anunciada no fim de julho, permite antecipar os valores do saque-aniversário do FGTS para os trabalhadores que optaram por essa modalidade. Até o dia 24 de agosto, foram feitos 429,5 mil solicitações, com volume de R$ 1 bilhão.

O trabalhador pode antecipar até 3 parcelas do saque aniversário com valor mínimo de R$ 2 mil. A contratação dessa linha será totalmente digital, por meio do aplicativo do FGTS, e terá juros fixos de 0,99% ao mês. (Para saber mais, cliquue aqui).

Newsletter InfoMoney
Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:

Fonte: Infomoney

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!