fbpx

Candidatos aprecem no concurso da Polícia Civil sem saber da suspensão

Candidatos não souberam da suspensão e compareceram aos locais de prova (Geraldo Bubniak/AGB)

Apesar da suspensão da prova, candidatos inscritos para o concurso público da Polícia Civil do Paraná compareceram aos locais de prova neste domingo (21). O exame foi suspenso nesta madrugada, apenas sete horas antes do horário marcado para o início do processo.

Ao todo, havia 106 mil inscritos. Dezenas de candidatos que viajaram de outros estados para a realização do exame usaram as redes sociais para mostrar a revolta com a situação.

A suspensão foi informada às 5h42, em nota divulgada pelo NC-UFPR (Núcleo de Concursos da Universidade Federal do Paraná). Ainda não foi informada a nova data de realização do concurso público.

Segundo os organizadores responsáveis pela realização da prova, foi constatado durante “a última checagem da madrugada” que não havia condições de segurança, considerando a pandemia do coronavírus.

Em nota, a PCPR (Polícia Civil do Paraná) disse que foi surpreendida pelo concurso suspenso, “assim como os candidatos”.

Conforme o órgão, um ofício foi encaminhado para o Núcleo de Concursos da UFPR pedindo explicações. Ainda de acordo com a Polícia Civil, até então, a Banca havia reportado que a aplicação da prova era viável.

Desde o anúncio do concurso, pelo menos, cinco pedidos de suspensão foram negados pela Justiça. Sempre que foram questionados, NC-UFPR e Polícia Civil defenderam que a realização da prova durante a pandemia era segura.

A Polícia Civil afirmou que “a retomada do andamento desse concurso é muito aguardada porque visa a recomposição urgente do deficitário quadro de servidores para atender as demandas de área essencial, que é a segurança pública”.

SUSPENSÃO DO CONCURSO REVOLTA CANIDATOS

“Viemos até Curitiba para a prova da PCPR (Polícia Civil do Paraná). Investimos dinheiro que nos fará falta, tempo, e o coração ansioso de um concurseiro atrás de seu sonho”, escreveu a companheira de um inscrito.

As reclamações na internet colocaram a UFPR, responsável pela realização da prova, entre os assuntos mais comentados do Twitter neste domingo (21).

Além disso, alguns inscritos lembraram que a Justiça negou quatro mandados de segurança e uma ação civil pública contra a realização da prova. “Em todos eles a UFPR e a PCPR bateram na tecla de que todos os requisitos de segurança estavam sendo respeitados e que o concurso poderia ser realizado”, disse outro candidato.

“Essa suspensão, ocorrida no DIA DA PROVA, é injustificável!”, concluiu, lamentando pelos que viajaram ao Paraná.

NOTA DO NC-UFPR

Leia a íntegra da nota do Núcleo de Concursos da UFPR para justificar a suspensão da prova:

“Considerando que, na última checagem realizada na madrugada de 21 de fevereiro de 2021 em observância ao seu protocolo de integridade, o Núcleo de Concursos da UFPR denotou a ausência de requisitos indispensáveis de SEGURANÇA para a aplicação das provas do Concurso Público em todos os locais previstos na capital e nas cidades da Região Metropolitana de Curitiba/PR, o que poderia colocar em risco a integridade das avaliações e o tratamento isonômico dos candidatos, bem como a saúde e a biossegurança de todos os envolvidos na realização das provas para o provimento de cargos públicos de Delegado de Polícia, Investigador de Polícia e Papiloscopista, comunica-se – por cautela e com urgência – a SUSPENSÃO da aplicação de todas as provas previstas para o dia 21 de fevereiro de 2021 e o seu ADIAMENTO para outra data a ser oportunamente informada.”

Fonte: Google News

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais