Como acabar com os vícios na linguagem?

Olá, Speaker! Como você está?

Você tem algum vício de linguagem? Se sim, acha que esse vício prejudica a sua comunicação com os demais?

Ser um bom comunicador envolve aprimorar uma série de habilidades, aperfeiçoando-se cada vez mais e liberando-se de tudo aquilo que possa, de algum modo, prejudicar a forma como dialogamos com as pessoas ao nosso redor.

Vícios ou cacoetes são problemas de linguagem que aparecem de forma recorrente na fala de uma pessoa, especialmente em situações sob pressão, como uma apresentação em público. Aliás, no contexto de exposição oral, tais vícios se tornam ainda mais evidentes para a audiência e costumam chamar mais atenção do que em outros contextos cotidianos.

Justamente por atrair – negativamente – a atenção do público, interferindo na imagem pessoal que se transmite aos demais, os cacoetes e vícios de linguagem podem prejudicar o comunicador. A boa notícia é que é possível eliminar esses hábitos ruins com técnicas das quais falaremos neste artigo. Boa leitura!

O que são vícios de linguagem e por que é preciso me livrar deles?

A definição mais comum de vícios de linguagem é a que os considera como expressões ou palavras que fogem da norma padrão ou culta. Podem ser resultados da falta de conhecimento quanto à norma padrão ou por descuido do falante.

Nas apresentações em público, como eu já disse, ter vícios de linguagem recorrentes interfere negativamente na imagem que o público fará do comunicador. Tais vícios podem, inclusive, colocar em xeque a confiabilidade que esse comunicador transmite, o que é algo altamente prejudicial.

Alguns dos exemplos mais comuns de vícios de linguagem são:

– Barbarismos: equívocos na pronúncia ou ortografia de algumas palavras. Falar “pobrema” ao invés de “problema” ou “iorgute” no lugar de “iogurte” são alguns exemplos. A atenção quanto a ortografia deve estar presente especialmente no uso de slides, ok?

– Neologismos: neologismos são palavras inventadas ou mesmo gírias e expressões não reconhecidas pela norma padrão. Em tempos de memes de internet, o cuidado quanto ao uso de neologismos deve ser grande. Afinal, nem todos podem estar cientes da definição da palavra utilizada e, portanto, recorrer a esse tipo de fonte é arriscado para a imagem do profissional-comunicador.

– Solecismo: são, sobretudo, erros de concordância e regência. Dizer “fazem três meses” no lugar de “faz três meses” é um bom exemplo. Nas apresentações em público, o cuidado quanto à concordância e regência precisa estar presente.

– Eco: “O coração é mais forte que a razão. Por isso, fale sempre com paixão”. Deu para entender o que é o vício chamado eco a partir desse exemplo? Pois bem. Especialmente em gravações de vídeo, cuidado para não reproduzir ecos com frequência.

– Repetição de palavras: terminar todas as frases com “né?”, ou começar todas as frases com “e aí” são exemplos comuns de vícios de linguagem. Esteja atento!

Como eliminar cacoetes e vícios?

Já vimos alguns exemplos de vícios de linguagem. Você identificou algum na sua fala? Vejamos, então, como eliminá-los.

1. Identifique o problema

O primeiro passo para eliminar vícios de linguagem é saber quais são eles. Peça a ajuda de um amigo ou grave a sua fala, identificando, assim, se aparecem vícios com frequência.

2. Planeje a transição das informações

Os cacoetes e vícios costumam aparecer nas transições entre um tópico e outro. Geralmente, porque dão um tempo para que o comunicador pense em como seguir a sua fala.

Para evitar que os cacoetes apareçam, vale a pena pensar em como passar de uma informação a outra, praticando essas transições com antecedência.

3. Crie um roteiro para a sua fala, resumindo suas ideias

Resumir as ideias e traçar um roteiro conciso também é uma ferramenta importante para eliminar vícios, justamente porque interferem nas transições das quais falamos no tópico anterior. Quanto mais direto é o meu raciocínio, menos chances de aparecerem vícios.

4. Pratique quantas vezes puder!

Praticar a fala com antecedência é o melhor caminho para lapidar a nossa apresentação. Como eu disse anteriormente, gravar essa fala é uma técnica bastante útil. Utilize as etapas prévias para aprimorar ao máximo a sua apresentação, revendo vícios, adicionando informações e se familiarizando com o que você quer dizer!

 

Fonte:

The Speaker

  • separator

Fonte: TERRA

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: