fbpx

como ajudar crianças em tempos de pandemia

Adoraríamos dizer o contrário, mas a pandemia de Covid ainda não chegou ao fim – principalmente no Brasil. Depois de mais de um ano convivendo com o vírus e suas medidas de prevenção, conseguimos ter uma ideia melhor do impacto do coronavírus na vida de muitas famílias e crianças, afetadas não apenas pela doença por si só, mas também no aspecto financeiro, educacional e de saúde mental.

cotovelos-coronavirus

Foto: Raw Pixel/Raw Pixel / Bebe.com

Em resumo, quem já precisava de ajuda por viver em situação de vulnerabilidade social, neste momento acaba contando ainda mais com o apoio de quem está em posição de promover algum tipo de auxílio.

Para que você possa conhecer, contribuir por meio de doações ou, quem sabe, até se tornar um voluntário/a, fizemos uma curadoria de projetos, iniciativas e ONGs que atuam pelo bem-estar infantil em múltiplas regiões brasileiras.

Love for life (@loveforlifeong)

A ONG Love For Life surgiu há cerca de três anos graças a um grupo de pessoas que sentia a necessidade de ajudar o próximo. O projeto, que reúne ações de cunho social em diferentes comunidades carentes de São Paulo, contabiliza, até o momento, mais de 6000 crianças em situação de vulnerabilidade social que foram ajudadas pela iniciativa.

A ONG conta com duas ações principais: o Dia do Amor e o Projeto Semente. O primeiro é um evento que inclui atividades recreativas, distribuição de alimentos e divulgação de informações, na intenção de proporcionar às crianças carentes uma experiência especial, bastante diferente da dura realidade diária vivida por elas. Já o segundo capta investimentos e recursos que são revertidos para a reestruturação de ONGs, creches, escolas, centros esportivos e outras instituições presentes em comunidades locais e criadas a fim de capacitar e mudar a realidade dos pequenos que ali vivem.

Mais informações: 

A Caixinha de Amor (@a.caixinha.de.amor)

Projeto recente criado por Paula Altavista em parceria com sua prima, A Caixinha de Amor é uma iniciativa desenvolvida em fevereiro deste ano para arrecadar roupinhas para criança de 0 a 2 anos, cobertores, mudas de roupas, meias, gorrinhos, fraldas e pomadas, tudo através do Instagram e que, posteriormente, é colocado em caixinhas.

As caixas são doadas para comunidades carentes e maternidades públicas da cidade de São Paulo e arredores. Além das doações físicas, a dupla também recebe ajuda em dinheiro, revertida para a compra das caixinhas e pagamento dos serviços de entrega. Até o momento, cerca de 230 caixinhas já foram doadas.

Mais informações:

(11) 995278638

Mercadinho Filantrópico (@mercadinhofilantropico)

Colocado em prática durante a pandemia de coronavírus, o Mercadinho Filantrópico é uma ONG familiar que visa ajudar pessoas que perderam seus empregos graças à covid e precisam de auxílio para sustentar a casa e a família.

Por enquanto, o projeto atende quatro diferentes comunidades nas cidades de Campinas e Valinhos, no interior de São Paulo, o que contabiliza mais de 130 famílias e cerca de 300 crianças já atendidas pela iniciativa, que visa se tornar o primeiro mercado gratuito do Brasil.

O serviço, que conta com uma casa-sede em Campinas, funciona por meio de doações, principalmente de alimentos, produtos de higiene, roupas, móveis, brinquedos e dinheiro. Duas toneladas e meia de alimentos e R$ 7 mil em dinheiro foram arrecadados na primeira semana de funcionamento do Mercadinho Filantrópico.

Mais informações:

Aplicativo EduEdu (@edueduapp)

O aplicativo EduEdu é gratuito e foi desenvolvido pelo Instituto ABCD, organização social que se dedica a melhorar a qualidade de vida de pessoas com dislexia e dificuldade de aprendizagem.

Focado na alfabetização de crianças que estão cursando do 1º ao 3º ano do Ensino Fundamental, além de crianças entre 4 e 5 anos da Educação Infantil, o app é capaz de identificar as áreas nas quais a criança precisa de apoio na aprendizagem, desenvolvendo atividades personalizadas de Língua Portuguesa e reforço escolar.

A plataforma, que tem como objetivo ajudar crianças, pais e educadores, principalmente nesta fase complicada de ensino remoto durante a pandemia, está disponível para download na Google Play Store, e admite doações para ser mantida. Já são mais de 580 mil alunos inscritos no EduEdu até o momento.

Mais informações:

ViBe Saúde e Instituto Verdescola (@app.vibesaude e @institutoverdescola)

A startup de saúde digital ViBe Saúde, que oferece consultas sob demanda e agendadas com profissionais clínicos e de saúde mental, fechou uma parceria com o Instituto Verdescola, ONG localizada em São Sebastião, Litoral Norte de São Paulo, que atua na área de educação e conscientização ambiental.

Unindo forças, o projeto visa atender e melhorar o acesso à saúde de comunidades em situação de vulnerabilidade social. Será oferecido atendimento médico de atenção primária via teleconsultas, de maneira gratuita, para crianças e adolescentes entre 4 e 18 anos de idade, conduzidas pela equipe de médicos de família e psicólogos integrantes da ViBe.

A expectativa é de que, até o final deste ano, mais de 700 crianças e adolescentes sejam beneficiados pelo programa. Para facilitar o acesso da comunidade local aos atendimentos online, que visam ajudar também familiares das crianças e funcionários da ONG, o Instituto Verdescola irá disponibilizar conexão Wifi gratuita em seu ginásio.

Mais informações:

Laramara (@laramaraoficial)

Criada nos anos 90 com a intenção de ajudar crianças de 0 a 6 anos e seus familiares, a Laramara – Associação Brasileira de Assistência à Pessoa com Deficiência Visual – é uma instituição referência na América Latina.

O projeto é dedicado ao conhecimento e desenvolvimento de iniciativas e pesquisas na área da deficiência visual, além de fornecer atendimento especializado, ações complementares e atividades essenciais à aprendizagem de pessoas com deficiência visual e associadas.

Um dos destaques da Laramara, inclusive, é o auxílio no processo educacional de crianças e jovens, ao ajudá-las na realização das atividades escolares e fornecer a elas propostas alternativas para o aprendizado, como o ato de brincar.

Desde que a pandemia começou, a instituição foi capaz de manter os atendimentos de forma online, que perduram até hoje. O projeto permite doações de diferentes tipos.

Mais informações:

Corrente Pelo Bem (@correntepelobem)

A ONG carioca Corrente Pelo Bem atua no Rio de Janeiro, principalmente nos arredores do Lixão de Jardim Gramacho. A iniciativa surgiu ainda em 2010, quando um grupo de amigos reuniu brinquedos e donativos que foram distribuídos para as crianças da comunidade.

Hoje em dia são cerca de 500 famílias que vivem abaixo da linha da pobreza auxiliadas pelo projeto, que permite doações não apenas em dinheiro, mas também de alimentos, fraldas, brinquedos, roupas e material escolar – além de permitirem que você seja um voluntário/a. O grupo fornece ainda ajuda no tratamento médico e odontológico das crianças, inclusive facilitando o encaminhamento para hospitais quando preciso.

Mais informações:

https://www.facebook.com/correntepelobemrj/ 

Fonte: Terra

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais