fbpx

Como declarar Tesouro Direto no Imposto de Renda

SÃO PAULO – As operações com títulos no programa Tesouro Direto caíram 17,02% em 2020, de acordo com dados do Tesouro Nacional. Mesmo assim, o número de investidores ativos, que de fato mantêm aplicações no programa, cresceu 20,19% no ano passado, chegando a 1,443 milhão de pessoas no fim de 2020.

Mas você sabe como reportar esses investimentos para a Receita Federal? Abaixo, o InfoMoney explica como declarar títulos negociados no Tesouro Direto no Imposto de Renda 2021. Confira:

Como declarar títulos do Tesouro Direto

Joaquim Adir, supervisor nacional do programa do Imposto de Renda e auditor fiscal, explica que, quando o investidor está comprando títulos na plataforma do Tesouro Direto, deve lançar esses recursos no item “Bens e Direitos” do programa do Imposto de Renda de 2019. “Enquanto o patrimônio cresce, é preciso ir só atualizando o valor”, afirma Adir.

Quando ocorrer a venda, pagamento de juros ou vencimento dos títulos, o rendimento líquido deve ser registrado no item “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”, uma vez que os rendimentos dos títulos públicos são tributados na fonte.

Segundo as regras do Tesouro Direto, os títulos públicos resgatados em até 180 dias após a aplicação pagarão alíquota de Imposto de Renda de 22,5% sobre os rendimentos. Já os recursos que ficarem até 360 dias têm cobrança menor, de 20%, que cai a 17,5% caso o aporte fique nos títulos por até 720 dias. A última alíquota de 15%, a menor, é cobrada daquele investidor que aplica recursos nos títulos por mais de 720 dias.

Alíquotas de Imposto de Renda para o Tesouro Direto

 

Prazo  Alíquota
até 180 dias 22,5%
de 181 a 360 dias 20%
de 361 a 720 dias 17,5%
acima de 721 dias 15%
Como declarar investimentos no IR?
Baixe de graça um ebook que explica como declarar seus investimentos (e quais são isentos) no Imposto de Renda:

Fonte: Infomoney

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais