fbpx

Como esta tecnologia impactará os esportes outdoor

Você que está lendo este texto, muito provavelmente está fazendo de um smartphone. Mesmo que não esteja lendo de um, é quase certeza que possui um smartphone. Não resta a menor dúvida de que os smartphones revolucionaram o cotidiano moderno. Atualmente é impossível pensar nossas vidas sem utilizar o aparelho para comunicar-se via aplicativos de mensagem, informar-se por sites especializados no assunto que procure e xeretar amigos e celebridades em redes sociais.

Atualmente a tecnologia de rede mais onipresente nos celulares de quem mora nos grandes centros urbanos é a 4G. O termo 4G refere-se à quarta geração de redes de celulares. Mesmo quem não tenha acesso a esta tecnologia, possui o acesso à tecnologia anterior, a 3G, que segundo as agências reguladoras e as empresas que exploram o mercado, está presente em praticamente todo território brasileiro.

Por causa da tecnologia 4G, muitos montanhistas e escaladores tiveram facilitado o acesso a conteúdos, localizações de GPS, mapas de trilhas, compra de equipamentos, contato com amigos e família, etc. Notadamente foi uma revolução cultural da maneira com a qual montanhistas e escaladores se relacionavam com o mundo.

A tecnologia abriu um mundo de oportunidades a quem queria trabalhar e explorar o mercado. A velocidade de acesso de conteúdo varia entre 100 Megabit/s em movimento e 1 Gigabit/s em repouso.

O que é 5G?

Porém, a partir do ano que vem, começará a ser implementada no mundo a rede 5G, a evolução da atual rede de celulares de quarta geração, que é uma rede mais potente e veloz que, além de ser “inteligente”, causa menos impacto ao meio ambiente. As redes 5G prometem aos seus futuros usuários uma cobertura mais ampla e eficiente, maiores transferências de dados, além de um número significativamente maior de conexões simultâneas.

A tecnologia celular atual tem um limite de cerca de 100.000 dispositivos conectados por quilômetro quadrado, enquanto o 5G aumenta esse número para 1 milhão. Estima-se que a tecnologia 5G será capaz de fornecer velocidades 50 a 100 vezes maiores que podem alcançar até 10 Gbps. Em outras palavras, a velocidade será 10 vezes maior que a atual.

Mas por que ecológica? Porque as redes 5G devem consumir até 90% menos energia que as redes 4G atuais e o número de aparelhos conectados por área devem ser 50 a 100 vezes maior que o atual. Assim, haverá aumentos drásticos na duração da bateria de dispositivos receptores.

O que quer que façamos agora com nossos smartphones, poderemos fazer mais rápido e melhor.

Vantagens para os esportes outdoor

Obviamente, é uma rede que ainda será implementada no Brasil. Portanto, levará algum tempo até chegar a áreas como Serra do Cipó, Parque do Itatiaia e Serra dos Órgãos. Mas inegavelmente seus avanços em potencial poderiam não apenas ajudar com maior segurança no mundo outdoor, mas também oferecer muitas oportunidades interessantes para narrativas e históricas imersivas.

A partir dela será possível acessar um site e ver uma versão em 3D de uma antiga foto histórica ou imagem estereoscópica. A tecnologia 5G pode aproveitar esses tipos de experiências imersivas de realidade aumentada ou virtual e torná-las imediatas para os usuários. Por ser mais rápida, reduziria a quantidade de atrasos e de tempos de carregamento de dados. Portanto, quem se dedicar a realizar guias on-line baseado em assinaturas, por exemplo, tem grande possibilidade de explorar um nicho de mercado que ainda não é amplamente explorado.

Além disso a questão da segurança, no caso de resgates, pode mudar de maneira revolucionária. Pois avisos de emergência conterão informações mais detalhadas do que simplesmente a voz ou palavras. Isso porque a rede permite a aplicação de um conceito que até então considerado futurista: a internet das coisas. Os seus aparelhos eletrônicos podem ser interconectados, fazendo uma rede física de objetos físicos capaz de transmitir dados. Portanto, seu relógio, aparelho de celular e até mesmo sua headlamp, podem fornecer informações em tempo real e, ao menos em teoria, facilitar sua localização em caso de emergência.

Com a velocidade 5G é facilmente implementável uma profusão de drones em missões de busca e salvamento e avaliação de incêndios. Nesta situação hipotética, todos os drones se comunicariam sem fio uns com os outros e com bases terrestres por meio de redes 5G. Os caríssimos resgates de helicóptero, em lugares como a Serra Fina, poderiam cair drasticamente.

A grosso modo, a internet das coisas, é uma extensão da internet atual que possibilita que objetos do dia-a-dia se conectem à Internet. A Internet das coisas deverá codificar, em tese, de 50 a 100 bilhões de objetos e seguir o movimento deles. A tendência é que o 5G possa, em um futuro próximo, substituir até mesmo as redes residenciais de Wi-Fi.

O início da implantação das redes 5G está previsto para 2020. Porém, para a tristeza de muitos, espera-se que seu funcionamento pleno, como acontece com as redes 4G atualmente, ocorra por volta de 2025.

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias. Em 2018 foi o único latino-americano a cobrir a estreia da escalada nos Jogos Olímpicos da Juventude e tornou-se o primeiro cronista esportivo sobre escalada do Jornal esportivo Lance!

(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src = “http://connect.facebook.net/en_US/all.js#xfbml=1”;
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));window.fbAsyncInit = function() {
FB.init( {
appId : 1443946719181573,
autoLogAppEvents : true,
xfbml : true,
version : ‘v3.2’
});
};

( function( d, s, id ){
var js, fjs = d.getElementsByTagName( s )[0];
if ( d.getElementById( id ) ) {return;}
js = d.createElement( s ); js.id = id;
js.src = “https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js”;
fjs.parentNode.insertBefore( js, fjs );
}( document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’ ) );

Fonte: R7

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!