fbpx

como fazer uma boa live?

Olá, Speaker!

As lives têm se popularizado muito nas últimas semanas, mas engana-se quem pensa que elas são restritas a músicos: os vídeos ao vivo também são uma ferramenta eficiente para a comunicação de empresas e profissionais das mais diversas áreas.

Embora estejam passando por um boom recentemente, as lives já vinham sendo usadas há bastante tempo. Tanto é assim que há um termo específico para elas no marketing digital: o livemarketing.

Como fazer uma boa live? Quais são as melhores estratégias para esse tipo de marketing? Siga a leitura até o final e se informe!

Livemarketing: o que é?

O livemarketing, em realidade, não é uma referência específica às lives, mas, sim, a todo tipo de interação direta entre uma marca e o consumidor. Hoje, no entanto, as lives são as interações mais significativas nesse modelo pelo forte engajamento que vêm causando.

Justamente por esse engajamento, estratégias relacionadas ao “ao vivo” (live) vêm se tornando cada vez mais protagonistas. Além da “tradicional” presença na web – isto é, perfis nas redes sociais, e-mail marketing e outras ferramentas já consagradas – o uso do streaming faz parte, agora, dos planos de marketing de empresas, profissionais e marcas.   

Existem muitos exemplos que comprovam a relevância do “fenômeno das lives”. No setor comercial, a loja Twenty Four Seven, de moda feminina, viu nas transmissões ao vivo uma maneira eficiente de manter as vendas, mesmo com o distanciamento social. Pelo mundo afora, museus, zoológicos e, até mesmo, religiosos vêm aderindo às lives.

É preciso, então, saber como fazer uma boa live.

Como fazer uma boa live?

O recorde de público em uma live aconteceu em 2012, quando o austríaco Felix Baumgartner realizou um salto na estratosfera e foi assistido por mais de 8 milhões de pessoas. Mas, calma!

Você não precisa saltar das alturas ou fazer nenhum outro tipo de ação extrema para ter uma boa live! Alguns passos impulsionam esse tipo de conteúdo e aprimoram a experiência do seu público-alvo.

Tais etapas têm muito mais a ver com o conteúdo e o valor que você transmite às pessoas do que com um gasto excessivo de cenário ou itens afins. Quais passos são esses? Vejamos:

1. Planeje o conteúdo da live com antecedência

Sim, é o conteúdo da sua live que determinará, em grande parte, se ela terá os resultados que você espera. Por isso mesmo, contar com o improviso não é a melhor ideia.

Reserve um tempo para decidir o que você quer transmitir para as pessoas durante a sua live. Faça um brainstorm com as ideias principais e organize-as em uma narrativa interessante. Vale lembrar, ainda, que o conteúdo precisa ser original e relevante.

Cabe dizer que, na hora de planejar o conteúdo, é importante pensar em maneiras de interagir com o público. Afinal, é disso que as lives se tratam.  

2. Crie um roteiro bem estruturado para a sua live

Se você acompanha nossas postagens aqui no blog, provavelmente sabe o quanto ressaltamos a importância de criar um roteiro antes de uma situação de exposição de fala. Mas não custa repetir: ter um roteiro em mãos garante uma melhor ordenação do raciocínio e um consequente plus na performance do comunicador.

O roteiro pode ser feito com palavras-chave que sintetizem cada trecho da sua live. Além de ser importante nas etapas prévias de preparação do conteúdo, esse roteiro também será útil durante a live, já que você poderá recorrer a ele (como um guia) sempre que for necessário.

3. Pratique a sua fala antes de transmitir o vídeo

As lives são marcadas pela espontaneidade, mas isso não significa, de maneira nenhuma, que, por trás delas, não está um tempo de ensaio. Sim, é preciso praticar a sua fala antes de começar o streaming.

Aliás, é justamente essa prática prévia o que faz com que os speakers se familiarizem com o próprio texto e possam transmiti-lo de uma maneira espontânea e assertiva. Por tudo isso, vale a pena praticar. Um método eficiente é o de gravar a sua fala em um vídeo e, a partir dele, verificar o que ainda precisa ser aprimorado. 

4. Atente-se para a parte técnica

Sim, a parte técnica importa. É horrível começar a assistir a uma live e não conseguir escutar ou ver o protagonista com clareza. Não se iluda: se problemas técnicos acontecerem, as pessoas provavelmente não hesitarão em fechar a aba e ir navegar em outros perfis.

Verifique microfone, câmera, conexão à internet e todos os demais aspectos técnicos antes de compartilhar o seu vídeo ao vivo. Principalmente se o seu propósito é o de representar uma marca, é fundamental transmitir uma imagem profissional e falhas muito acentuadas são um problema nesse sentido.

 

Para muitos, as lives são uma plataforma nova. Assim sendo, é importante conhecer mais sobre esse formato e animar-se a inclui-lo nas estratégias de marketing da sua marca!

 

Fonte:

www.thespeaker.com.br

 

Veja também:

BC corta Selic para 3% ao ano

The Speaker

  • separator

Fonte: Terra

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!