Como Junior Cigano vai vencer Francis Ngannou

A luta entre os pesados estava marcada inicialmente para acontecer no UFC 239, em 6 de julho em Las Vegas, e teria três rounds. Mas, por causa de uma lesão de Tyron Woodley, que teve que se retirar de seu combate contra Robbie Lawler, Cigano x Ngannou foram promovidos para a luta principal do UFC Minneapolis, no próximo dia 29 de junho. Os dois, portanto, se enfrentam por cinco rounds.

“Essa luta de cinco rounds nos favorece”, diz o técnico. “O Ngannou é muito forte e perigosíssimo nos dois primeiros rounds. Ele busca a luta e vem para a frente, o que é muito bom para a gente, porque Cigano vai recebê-lo com variação de golpes, no corpo e na cabeça, e com muita movimentação.” Segundo Dórea, seu pupilo consegue, ao contrário de seu adversário, manter o ritmo durante a luta toda. 

“Sabemos que o Ngannou é um grande atleta e, como geralmente são os pesos-pesados, tem o poder de nocaute na mão. Mas o Cigano é diferente do restante da categoria”, afirma Luiz Dórea. “Sempre digo que ele bate forte como um peso-pesado, mas se move como um leve. Ele é muito rápido para a categoria e tem a condição física privilegiada. Combina golpes com muita velocidade, entra e sai do raio de ação com muita facilidade. Sabemos que Ngannou puxa a luta franca. Mas Cigano é um golpeador nato, se move muito bem. Ele vai neutralizar a potência de Ngannou com movimentação e com velocidade, nos golpes curtos, cruzados, uppers. Acho que a meia distância para a gente é ideal, entrar e sair do raio de ação. Cigano vai surpreender. Sua condição física é privilegiada. Ngannou não vai conseguir acompanhar.”


Fonte: UFC

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: