Concursos MP-RJ e TJ-RJ: dá para estudar para os dois?

Os concursos 2019 no Rio de Janeiro estão em alta! São várias oportunidades confirmadas, inclusive na área administrativa de grandes órgãos, como o Ministério Público e o Tribunal de Justiça.

Aí surge a dúvida: dá para estudar para os concursos MP-RJ e TJ-RJ ao mesmo tempo?

O último concurso de ambos foi feito pela mesma banca organizadora, a Fundação Getulio Vargas (FGV). O último concurso do TJ-RJ aconteceu em 2014, enquanto para o Ministério Público foi em 2015.

Com esse ponto em comum, o primeiro passo de quem pretende estudar para os dois é: faça uma análise completa do último edital de ambos os concursos e suas respectivas provas!

Como foi o último concurso do MP-RJ

No concurso de 2016 para MP-RJ, foram 67.112 inscritos na disputa por 21 vagas imediatas. Entretanto, 173 aprovados na seleção foram convocados pelo Ministério Público.

A distribuição da convocação ficou dessa forma:

  • 128 convocados para técnico administrativo (nível médio)
  • 10 convocados para técnico de notificações e atos intimatórios (nível médio)
  • Nove convocados para analista administrativo (nível superior)
  • 26 convocados para analista processual (nível superior)

Nesse período, o Estado do Rio de Janeiro já se encontrava em situação de restrição financeira, por isso esse foi número de convocações, segundo explica O Especialista da FOLHA DIRIGIDA, professor Alexandre Prado.

No concurso anterior, o cargo com maior procura foi o técnico administrativo, com 47.246 inscritos. Na seleção de 2019, das 21 vagas confirmadas, nove serão para esta função. Mesmo sendo um número inicialmente pequeno, existe a possibilidade de mais chamadas do cadastro de reserva ao longo da validade.

Considerando os concursos anteriores, o histórico de convocações sempre foi bastante superior ao de vagas anunciadas inicialmente.

  • Em 2006, o MP-RJ ofereceu 281 vagas e convocou 1.049 aprovados.
  • Em 2011, o órgão chamou 1.052 aprovados e ofereceu 115 vagas.
  • E em 2016, 21 vagas imediatas e 173 aprovados.

O cargo de técnico administrativo exige apenas o nível médio, sem necessidade de curso técnico, e tem remuneração de R$5.612,84, sendo R$4.382,84 de vencimento inicial e R$1.230 do auxílio-alimentação.

Para os cargos de técnico do MP-RJ, a remuneração é R$5.612,
composta por vencimento e alimentação (Foto: Divulgação)

Provas do concurso anterior do Ministério Público

Antes de falar sobre como foi a seleção dos candidatos em 2016, confira os arquivos disponíveis para download na FOLHA DIRIGIDA:

Em 2016, o MP-RJ abriu concurso para dois cargos de nível médio, técnico administrativo e técnico de notificações e atos intimatórios. Mesmo exigindo apenas o nível médio, a cobrança de conteúdo foi diferente.

Para a área administrativa, a prova teve 80 questões, divididas em GRUPO I (Língua Portuguesa – 30 questões e Raciocínio Lógico Matemático – 10 questões) e GRUPO II
(Organização do Ministério Público – 10 questões, Noções de Informática – 10 questões, Noções de Direito Administrativo e Constitucional –  20 questões).

Para a área de notificações e atos, as 80 questões foram GRUPO I (Língua Portuguesa – 30 questões e Raciocínio Lógico Matemático – 10 questões) e GRUPO II (Organização do Ministério Público – 10 questões, Noções de Direito Administrativo e Constitucional – 10 questões e Noções de Direito Processual – 20 questões). 

Para ser aprovado em qualquer um desses cargos, foi necessário acertar pelo menos 16 questões em cada um dos grupos e não zerar nenhuma disciplina.

Como foi o último concurso do TJ-RJ

A seleção para o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro anterior foi em 2014, com oferta de 280 vagas: 90 para técnico judiciário e 118 para analista.

A carreira de técnico judiciário também exige apenas o nível médio, assim como o técnico administrativo do MP-RJ, e tem remuneração inicial de R$5.100, sendo de R$3.870,06 de vencimento-base e R$1.230 de auxílio-alimentação.

Em 2019, foram nomeados 324 servidores após a validade do concurso de 2014 ser retomada. Porém, o prazo encerrou em agosto para técnicos e setembr,o para analistas.

Concurso TJ-RJ - foto Diego Santos
Carreira de técnico no concurso TJ-RJ tem remuneração de R$5.100,
incluindo vencimento e alimentação (Foto: Diego Santos)

Provas do concurso anterior do Tribunal de Justiça

As provas do técnico judiciário, tiveram 100 questões divididas em 3 grupos:

GRUPO I
Língua Portuguesa 30
Raciocínio Lógico Matemático 10

GRUPO II
Noções de Direito Administrativo e Constitucional 10
Noções de Direito Processual Civil 15
Noções de Direito Processual Penal 15

GRUPO III
Noções de Custas Judiciais 10
CODJERJ, Consolidação Normativa e Legislação Complementar 10

Para ser aprovado, foi preciso acertar, no mínimo, 50% do total da prova (50 questões); acertar, no mínimo, 40% do total dos Grupos II e III (24 questões), e acertar no mínimo uma questão em cada disciplina. 

Nota de corte TJ-RJ

Na seleção de 2014, os últimos classificados na oferta imediata de quatro regiões obtiveram 80 pontos, do total de 100. Para a capital, que contou com a maior parte das vagas e também atraiu a maior quantidade de inscritos, a nota de corte foi superior.

O último classificado na ampla concorrência obteve 82 pontos. Na reserva para deficientes foram 69 pontos. Confira mais detalhes da nota de corte.

Mas afinal, dá para estudar para os dois concursos?

Os dois concursos já estão autorizados e foram anunciados pelos respectivos órgãos para sair ainda este ano. No caso do TJ-RJ, o prazo final para o edital sair é janeiro de 2020.

Um ponto positivo para quem pretende estudar para as duas provas é que a FGV foi a responsável pelos últimos concursos tanto do MP-RJ e do TJ-RJ. Dessa modo, quem utilizar os editais anteriores como referência, perceberá a forma de abordagem similar entre esses concursos.

Além disso, as disciplinas exigidas pelos dois concursos são muito compatíveis, segundo O Especialista. Ainda de acordo com Prado, esses conteúdos não tendem a sofrer muitas mudanças, apenas atualizações normais inerentes à legislação.

As matérias em comum para os dois concursos são: Raciocínio Lógico Matemático, Português, Direito Administrativo, Direito Constitucional e Direito Processual. Essas disciplinas são comuns para interessados a concorrerem aos cargos de escolaridade nível médio para o MP-RJ e o TJ-RJ.

A dica do professor é para em cada disciplina em comum, o candidato foque na que obtiver o maior conteúdo programático.

Ex: Caso os tópicos no edital exigidos em Língua Portuguesa para o MP-RJ sejam maiores do que os exigidos para o TJ-RJ, então utilize o conteúdo do edital do MP-RJ para estudar. Se o do TJ-RJ for maior, utilize ele como referência para o seu estudo.

Alexandre Prado faz esse comparativo com a disciplina de Direito Administrativo, da qual é professor. Ele explica que na última prova para o TJ-RJ de nível médio, o conteúdo cobrado na disciplina foi bem pequeno. Já para o MP-RJ, esse conteúdo veio bem maior. Nesse caso, a recomendação é utilizar o conteúdo de Direito Administrativo do MP-RJ como referência.

Cuidado para não estudar “a menos”

O professor ainda ressalta que quando você está estudando uma disciplina, não existe o problema de estudar “a mais”. Na verdade, o problema está em estudar “a menos”. Imagina se algum conteúdo que você não estudou é cobrado na prova? Já pensou nisso?

Um exemplo concreto é o tópico de Processo Civil. Ele encaminha para quem são os autores do processo, como se inicia um processo, quais são os atos que são praticados no meio do processo e como se encerra um processo. Nesse sentido, a cobrança do conteúdo pela prova pode ser só até esse ponto.

Entretanto, após esses tópicos, também pode haver cobrança a respeito de “recursos”. Vamos supor que em um conteúdo de um edital só cobre até como se encerra o processo e no outro inclua a parte dos recursos. Nesse panorama, percebe-se que seria melhor ter estudado tudo até a parte dos recursos.

Por isso, o professor afirma que estudar “a mais” jamais será prejudicial para o candidato.

Dessa forma, o que o estudante deve começar a fazer já de hoje? Segundo Prado, deverá separar a sua respectiva agenda e começar a distribuir os conteúdos de acordo com o peso e quantidade de questões na prova.

Comparativo de matérias do MP-RJ e TJ-RJ

O Especialista analisou os cargos de técnico administrativo do TJ-RJ e técnico de Notificações e Atos Intimatórios do MP-RJ. Confira o comparativo das disciplinas a seguir:

Grupo I (matérias básicas)

Disciplina

Nº de Questões no (TJ-RJ)

Nº de Questões no (MP-RJ)

Língua Portuguesa

30

30

Raciocínio Lógico Matemático

10

10

 

Grupo II (matérias de Direito)

Disciplina

Nº de Questões no (TJ-RJ)

Nº de Questões no (MP-RJ)

Noções de Direito Administrativo e Constitucional

10

10

Noções de Direito Processual Civil

15

——–

Noções de Direito Processual Penal

15

——–

Noções de Direito Processual

——–

20

 

Grupo III (Conteúdo Específico)

Disciplina

Nº de Questões no (TJ-RJ)

Nº de Questões no (MP-RJ)

Noções de Custas Judiciais

10 questões

——–

CODJERJ, Consolidação Normativa e Legislação Complementar

10 questões

——–

Organização do Ministério Público

——–

10 questões

Alexandre Prado explica como estudar os grupos I, II e III

O grupo I e II é referente às matérias comuns que servem para estudar para ambos os concursos, enquanto que o grupo III é composto por matérias específicas.

De acordo com o professor Alexandre Prado, o grupo III deve demandar uma atenção menor, e pode ser estudado apenas por questões, enquanto os outros grupos a estratégia será diferente.

Os grupos I e II são de matérias comuns aos dois concursos. Dessa forma, quem estiver se preparando deverá seguir a lógica de se basear no conteúdo que obtiver o maior programa (seja do MP-RJ ou do TJ-RJ).

Outro ponto destacado pelo professor é que, caso você esteja começando a estudar agora, deverá buscar um material adequado. As matérias do grupo I são referentes a matérias de ensino básico, porém as matérias do grupo II referem-se a conteúdos de Direito.

Dessa forma, as quatro matérias de Direito (Administrativo, Constitucional, Civil e Penal) devem ser bem estudadas por meio de videoaulas, apostilas e resumos.

Caso você não esteja iniciando os seus estudos agora, o ideal é investir em muitos exercícios. Em relação à banca, mesmo a responsável anteriormente sendo a FGV, O Especialista explica que não é preciso focar nesse ponto.

O motivo é de que a banca poderá mudar e de nada servirá a ênfase exclusiva nos conteúdos da FGV. Você deve solidificar os seus conhecimentos no grupo I e II.

Dessa forma, a dica do professor é estudar principalmente o conteúdo do grupo II e lembrar sempre dessa frase:

“Só passa em concurso quem é generalista e não especialista” – Alexandre Prado

Sabia que na FOLHA DIRIGIDA você encontra apostilas para concusos por disciplinas? Confira abaixo:

var resplogin = {
‘id’ : ”,
‘name’: ”,
‘email’: ”
}

function genpass(length) {
var result = ”;
var chars = ‘ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZabcdefghijklmnopqrstuvwxyz0123456789’;
var charsgth = chars.length;
for (var i = 0; i < length; i++) {
result += chars.charAt(Math.floor(Math.random() * charsgth));
}
return result;
}

function statusChangeCallback(response) {
if (response.status === 'connected') {
document.getElementById('rowfbcontinuelg').style.display = 'none';
FB.api('/me?fields=id,name,email', function(response) {
resplogin.id = response.id;
resplogin.name = response.name;
resplogin.email = response.email;
fillInputs(resplogin);
});
} else {
document.getElementById('rowfbcontinue').style.display = 'none';
document.getElementById('rowfbcontinuelg').style.display = 'block';
}
}

var fillInputs = function(data) {
$.ajax({
url: '/verifyEmail',
type: 'POST',
dataType: 'html',
data: {email: data.email},
})
.done(function(resp) {
jresp = JSON.parse(resp);
if (jresp.status) {
// swal("Esse email já existe!" , "O email ""+data.email+"" da sua conta do facebook, já está cadastrado!", "error");

LoginWFB();
} else {
$('#registerrow').fadeOut('fast', function() {
document.getElementById('first_name').value = data.name;
$("#first_name").trigger("change");
document.getElementById('newemail').value = data.email;
$("#newemail").trigger("change");
document.getElementById('registerpass').value = genpass(10);
$("#registerpass").trigger("change");
$('#checkoutrow').fadeIn('fast');
});
}
});
}

function checkLoginState() {
FB.getLoginStatus(function(response) {
statusChangeCallback(response);
});
}

var FBlogincall = function(resp) {
console.log(resp);
FB.api('/me?fields=id,name,email', function(response) {
fillInputs(response);
});
}

function LoginWFB() {
var urlred = window.location.href;
FB.getLoginStatus(function(response) {
$.ajax({
url: '/loginfb',
type: 'POST',
dataType: 'html',
data: {
'fbtoken': response.authResponse.accessToken,
'last': urlred
},
})
.done(function(resp) {
window.location.href = urlred;
});
});
}

window.fbAsyncInit = function() {
FB.init({
appId : '180736722358672',
cookie : true,
xfbml : true,
version : 'v4.0',
});

FB.Event.subscribe('auth.login', FBlogincall);
};

// Load the SDK asynchronously
(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src = "https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js";
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, 'script', 'facebook-jssdk'));

var resplogin = {
‘id’ : ”,
‘name’: ”,
‘email’: ”
}

function genpass(length) {
var result = ”;
var chars = ‘ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZabcdefghijklmnopqrstuvwxyz0123456789’;
var charsgth = chars.length;
for (var i = 0; i < length; i++) {
result += chars.charAt(Math.floor(Math.random() * charsgth));
}
return result;
}

function statusChangeCallback(response) {
if (response.status === 'connected') {
document.getElementById('rowfbcontinuelg').style.display = 'none';
FB.api('/me?fields=id,name,email', function(response) {
resplogin.id = response.id;
resplogin.name = response.name;
resplogin.email = response.email;
fillInputs(resplogin);
});
} else {
document.getElementById('rowfbcontinue').style.display = 'none';
document.getElementById('rowfbcontinuelg').style.display = 'block';
}
}

var fillInputs = function(data) {
$.ajax({
url: '/verifyEmail',
type: 'POST',
dataType: 'html',
data: {email: data.email},
})
.done(function(resp) {
jresp = JSON.parse(resp);
if (jresp.status) {
// swal("Esse email já existe!" , "O email ""+data.email+"" da sua conta do facebook, já está cadastrado!", "error");

LoginWFB();
} else {
$('#registerrow').fadeOut('fast', function() {
document.getElementById('first_name').value = data.name;
$("#first_name").trigger("change");
document.getElementById('newemail').value = data.email;
$("#newemail").trigger("change");
document.getElementById('registerpass').value = genpass(10);
$("#registerpass").trigger("change");
$('#checkoutrow').fadeIn('fast');
});
}
});
}

function checkLoginState() {
FB.getLoginStatus(function(response) {
statusChangeCallback(response);
});
}

var FBlogincall = function(resp) {
console.log(resp);
FB.api('/me?fields=id,name,email', function(response) {
fillInputs(response);
});
}

function LoginWFB() {
var urlred = window.location.href;
FB.getLoginStatus(function(response) {
$.ajax({
url: '/loginfb',
type: 'POST',
dataType: 'html',
data: {
'fbtoken': response.authResponse.accessToken,
'last': urlred
},
})
.done(function(resp) {
window.location.href = urlred;
});
});
}

window.fbAsyncInit = function() {
FB.init({
appId : '180736722358672',
cookie : true,
xfbml : true,
version : 'v4.0',
});

FB.Event.subscribe('auth.login', FBlogincall);
};

// Load the SDK asynchronously
(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src = "https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js";
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, 'script', 'facebook-jssdk'));

Fonte: Google News

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: