fbpx

Concursos na pandemia: 56% querem volta …

Bancas organizadoras de todo país elaboram protocolos para aplicação das provas de concurso em meio à pandemia do Coronavírus. Em enquete realizada no Instagram da FOLHA DIRIGIDA , 56% dos seguidores se mostraram a favor do retorno das etapas presenciais de concursos públicos.

Por outro lado, 44% acham que o momento é de cautela e que a volta das provas de concurso pode ser postergada. Ao todo, 659 pessoas responderam a pesquisa.

Com a flexibilização do isolamento social em diversos municípios brasileiros, bancas já iniciaram a aplicação de etapas de concursos. No último domingo, 26 de julho, foram realizadas as avaliações objetivas do concurso para Prefeitura de Piraí, no Rio de Janeiro.

Os inscritos receberam por e-mail orientações de segurança para realização das provas. A aplicação foi acompanhada por uma equipe de saúde do próprio município.

No mesmo dia, no Distrito Federal, também ocorreu a avaliação do curso de formação profissional, etapa do concurso para Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes DF).  

No início de julho, foi realizado o teste de aptidão física (TAF) do concurso para Guarda Municipal de Araguaína, no Tocantins. O Instituto de Desenvolvimento Institucional Brasileiro (Idib), banca organizadora contratada, montou uma estrutura de segurança sanitária.

Candidatos ao concurso Guarda de Araguaína-TO realizam testagem rápida
para Covid-19 (Foto: Prefeitura de Araguaína TO)

 

Os 211 convocados realizaram exame específico para Covid-19. O resultado foi positivo para 29 participantes, que foram orientados a fazer quarentena. Esses candidatos realizaram o teste físico no último dia 26 de julho por ‘motivo de força maior’.

“As regras incluíram testes rápidos para o diagnóstico da Covid-19; distanciamento de 1,5m entre as pessoas; avaliação física individual; ambulância particular; medição de temperatura corporal; limpeza das solas dos calçados; borrifação de desinfetante no imóvel, equipamentos e objetos; uso de álcool gel; luvas e máscaras”, disse o Idib.

No dia 17 de maio, o Cebraspe (antigo Cespe/UnB) realizou a  avaliação psicológica do concurso  do Ministério Público de Goiás (MP GO). Na ocasião, foi disponibilizado álcool 70%, sabão líquido nos banheiros, papel toalha, lenços para higiene nasal e sacos plásticos individuais para descartes.

+ Quer passar em concursos públicos? Saiba como!

Bancas revelam novos protocolos para provas de concurso

Diante desse retorno e sem uma vacina, como manter a segurança e reduzir o risco de contágio por candidatos, fiscais de prova e colaboradores? O uso de máscaras será obrigatório, haverá medicação da temperatura em todos os concorrentes, o distanciamento de um metro na sala será respeitado?

Como garantir que não haja aglomeração na porta dos locais de prova e nos transportes públicos? As bancas estão atentas a esses questionamentos e já preparam protocolos de acordo com as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde.

O diretor de operações do Cebraspe, Jorge Amorim, comentou as inovações e os aprendizados na realização da avaliação psicológica do concurso MP GO:

“Uma das novidades foi elaborar um manual especificamente para os candidatos, indicando todos os protocolos que eles – e nós – iríamos seguir para que a fase ocorresse com segurança. Posso dizer que nosso maior aprendizado foi o direcionamento sobre como, muito provavelmente, iremos proceder no cenário pós-pandemia”, destacou o diretor.

Em resposta à FOLHA DIRIGIDA, a Fundação Getúlio Vargas destacou que protocolos de segurança desenvolvidos para a retomada das aplicações consideram que, no momento de seleção dos locais de aplicação, a FGV priorize unidades amplas e arejadas.

Dispensadores com álcool em gel 70% e papel toalha descartável também serão disponibilizados em quantidade suficiente para o uso de colaboradores e candidatos, em todas as unidades de prova.

O ingresso aos locais de prova só será permitido, obrigatoriamente, mediante o uso de máscaras de proteção individual. Para garantir esse procedimento de segurança, colaboradores da FGV serão posicionados na entrada e fora dos locais de aplicação, distribuindo máscaras aos candidatos sem proteção.

+ Concursos no pós-pandemia: bancas revelam novo protocolo para provas

Testagem e aferição da temperatura também serão adotados

A testagem rápida para Covid-19 e a aferição da temperatura corporal também serão práticas adotadas por algumas bancas. O Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional (Idecan) é uma delas.

“Quando chegar ao local da prova, cada candidato receberá um pacote de lenços de papel e um mini frasco de álcool em gel. Todos serão submetidos a aferição de temperatura corporal e a exame de diagnóstico da Covid-19. O uso de máscaras será obrigatório para candidatos, aplicadores, fiscais e demais envolvidos no concurso”, consta em nota enviada à reportagem.

Já o Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades) aplicará as provas objetivas do concurso Diplomata no próximo dia 30 de agosto.

Segundo a banca, haverá triagem rápida na entrada dos candidatos para reduzir o tempo de espera no atendimento, com horários diferenciados de entrada e demarcações das filas a serem respeitadas.

O uso de banheiros pelos candidatos terá rígido processo de controle para evitar o uso simultâneo e incentivando a prática da higiene e a devida assepsia. O Iades ainda garante a desinfecção constante de superfícies mais tocadas, como corrimãos e maçanetas.

+ Concurso Diplomata: banca anuncia protocolo para aplicação de provas

Por sua vez, a Fundação Vunesp informou que estabeleceu protocolos para aplicação de provas em decorrência da pandemia. Tais protocolos serão constantemente atualizados em consonância com as recomendações das autoridadessanitárias. 

“Quando houver a permissão para aplicar provas, serão observadas todas as recomendações, inclusive o uso de máscaras e o distanciamento entre os candidatos”, disse a banca em nota enviada à reportagem.

Uso de máscaras será obrigatório nas aplicações de provas

O uso obrigatório de máscaras e a disponibilização de álcool 70% são constantes nos protocolos de bancas organizadoras. A Consulplan disse que observará ainda a higiene e a sanitização dos locais de prova.

“Quando do retorno das aplicações, serão seguidas as recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) e Ministério da Saúde. Assegurando o distanciamento, uso de máscaras e observando a higiene e sanitização dos locais. Demais procedimentos ainda estão em análise”, afirmou a banca em resposta à reportagem.

A respeito das ações e condutasdo Instituto AOCP sobre a aplicação de concursos no pós-pandemia, a banca declarou que:

“Seguiremos os protocolos de segurança orientados e respaldados pelas autoridades de saúde e governamentais adequados para o momento da aplicação”, resumiu a banca em contato com a FOLHA DIRIGIDA.

Já o Instituto Selecon aguarda as definições das autoridades sanitárias de cada município para definir as regras de aplicação das provas. A banca organiza o concurso para Guarda de São Gonçalo, no Rio de Janeiro.

Marcus São Thiago, diretor de Concursos e Processos Seletivos da banca, disse que serão respeitadas as orientações para preservar a saúde dos candidatos e colaboradores e prevenir o contágio pelo Coronavírus.

“Nós estamos muito atentos a todas as orientações da Organização Mundial da Saúde, das autoridades sanitárias no país para sempre prestar o serviço preservando a dignidade do ser humano”, concluiu.

Fonte: Google News

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!