Confira! – Mais um recurso na prova para arquiteto da FGV

Oi pessoal!

Continuo comentando as questões que os alunos estão me pedindo via e-mail ([email protected])

Segue mais um recurso:

Questão 41

Um dos requisitos que o arquiteto deverá obedecer ao projetar as instalações sanitárias da área de convivência do canteiro de obras de uma edificação consiste em:

(A) possuir pé direito mínimo de 2,00 m, por se tratar de construção provisória;

(B) ter a fiação elétrica aparente, para facilitar a manutenção;

(C) ser construída antes da instalação do próprio canteiro de obras;

(D) utilizar latrinas devido à praticidade e ao baixo custo;

(E) ter ventilação natural através de aberturas voltadas para o exterior.

Comentários

Recurso!

Vamos à NBR 12284:1991 que trata sobre “Áreas de vivência em canteiros de obras”:

4.1 Instalações sanitárias

Locais destinados ao asseio corporal e/ou atendimento das necessidades fisiológicas de excreção, sendo proibida sua utilização para outros fins.

4.1.1 As instalações sanitárias devem obedecer aos seguintes requisitos:

a) ser construídas na ocasião da instalação do próprio canteiro de obras;

b) estar situadas em locais de fácil e seguro acesso, não se permitindo um deslocamento superior a 150 m do posto de trabalho aos gabinetes sanitários, mictórios e lavatórios;

c) não se ligar diretamente nem estar adjacentes aos locais destinados às refeições;

d) ser independentes para homens e mulheres, com identificação nas portas;

e) ter pé-direito mínimo de 2,50 m;

f) ter os pisos impermeáveis, laváveis, de acabamento antiderrapante e com caimento para os ralos de escoamento;

g) ter paredes de alvenaria, concreto ou de outro material de resistência equivalente, revestidas de material liso, lavável e impermeável até a altura mínima de 1,80 m, proibindo-se o uso de qualquer tipo de madeira. Quando utilizada pintura, esta deve ser de cor clara com características equivalentes à tinta óleo ou esmalte;

h) ter portas de acesso que impeçam o devassamento, com dimensões mínimas de 1,20 m x 2,10 m, situadas de modo a manter o resguardo conveniente;

i) ter iluminação natural por aberturas com área mínima de 1/10 da área do piso (sendo no mínimo de 0,70 m²) e artificial que garanta um nível de iluminamento mínimo de 150 lux;

j) ter ventilação natural através de aberturas para o exterior, com área mínima de 50% da área de iluminação;

k) ter cobertura resistente também ao fogo e que preserve o conforto térmico no interior das edificações e as proteja completamente das intempéries;

l) ter toda fiação elétrica protegida por eletrodutos, com interruptores à altura de 1,10 m do piso acabado;

m) ser mantidas em perfeito estado de conservação e limpas permanentemente por pessoal contratado para este fim. Os produtos utilizados devem ser biodegradáveis e não devem deixar resíduos tóxicos;

n) ter disposição final das águas servidas, exceto as pluviais, ligadas à rede de esgoto

− na ausência desta rede devem ser construídas fossas sépticas, conforme estabelecido na NBR 7229;

o) excepcionalmente, no caso de obras viárias, podem ser utilizadas latrinas, conforme Figura 1, desde que:

− a localização mantenha as seguintes distâncias mínimas:

1,80 m acima do lençol freático;

5,00 m das outras edificações;

15,00 m de qualquer fonte d’água e sempre a jusante desta;

− a câmara de deposição seja revestida de alvenaria ou de concreto, com tratamento impermeabilizante, se o lençol freático for próximo à superfície, impedindo a escavação da fossa seca;

− seja instalada uma tubulação de respiro para ventilação de gases, que deve ser lisa internamente, de diâmetro mínimo de 100 mm, com altura que, saindo da fossa, projete sua extremidade superior, no mínimo, 0,60 m acima da cobertura do banheiro, abertura esta que deve ser recoberta com tela para evitar a penetração de animais e insetos;

− o interior da câmara de deposição seja mantido no escuro para evitar a proliferação de insetos;

para neutralizar o conteúdo da latrina seja colocada diariamente cal em quantidade suficiente que cubra toda a superfície do material disposto;

− sejam desativadas e aterradas quando os resíduos atingirem uma profundidade de 0,50m da tampa;

p) excepcionalmente, em obras com cronogramas inferiores a 90 dias, podem ser instaladas fossas intermediárias, conforme Figura 2, respeitando-se as três primeiras subalíneas de 4.1.1 – o);

q) ter todos os efluentes líquidos, gerados nos sistemas previstos nas alíneas n), o) e p), destino sanitário de acordo com as disponibilidades técnicas do local;

r) ter, principalmente nos casos de utilização de fossas sépticas ou intermediárias, conforme alíneas n) e p), inspeções e/ou limpezas periódicas para evitar o retorno dos efluentes sólidos ou líquidos para os ralos, bacias sanitárias etc.:

− no caso de utilização de latrinas, alínea o), devem ser realizadas inspeções criteriosas para verificação da neutralização dos dejetos, bem como para evitar o seu transbordamento.

4.1.2 As instalações sanitárias devem ser constituídas de um chuveiro e um lavatório para cada dez trabalhadores ou fração, um vaso sanitário e um mictório para cada 15 trabalhadores ou fração, considerando-se o turno de maior número de trabalhadores. Estão dispensados deste dimensionamento os lavatórios e mictórios do tipo calha ou cocho, desde que atendidos 4.1.2. 1-b) e 4.1.2.3b).

Gabarito: alternativa C – porém deve ser trocado pela E

Abraços e “vamos que vamos”! Desistir, nunca!

Moema

Crédito:

Estratégia Concursos

Baixe o conteúdo completo!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: