fbpx

Covid-19: clubes podem ser condenados a pagar seguro de vida

<div class="media_box full-dimensions460x305">

<div class="edges">
<img class="croppable" src="https://img.r7.com/images/inter-treinos-coronavirus-15052020101917555?dimensions=460×305" title="Inter-RS retomou os treinamentos" alt="Inter-RS retomou os treinamentos" />
<div class="gallery_link">
</div>

</div>
<div class="content_image">
<span class="legend_box ">Inter-RS retomou os treinamentos</span>
<span class="credit_box ">Fernando Alves/Agência Estado/07-05-20</span>
</div>
</div>

<p>
Em Portugal, o retorno das atividades no futebol levou o SJPF (Sindicato de Jogadores Profissionais de Futebol) a pedir que a Liga e a federação contratassem um seguro de vida para <strong><a href="https://esportes.r7.com/">proteção</a></strong> por causa da covid-19.</p>
<p>
<strong>Leia mais: <a href="https://esportes.r7.com/lance/botafogo-fla-e-fluminense-aderem-a-campanha-contra-fome-em-favela-14052020">Botafogo, Fla e Fluminense aderem a campanha contra fome em favela</a></strong></p>
<p>
No Brasil, há uma lei que já prevê a contratação de seguro de vida para o atleta. Mas não tem sido seguida, de uma maneira geral, conforme afirma Décio Neuhaus, advogado do Sindicato dos Atletas de Futebol do Estado do Rio Grande do Sul.</p>
<p>
Ele acredita que isso seja difícil de acontecer agora. Do ponto de vista do retorno das atividades no país, a falta de seguro não impediria um recomeço, segundo ele. Inter-RS e Grêmio retomaram os treinamentos, seguindo protocolos.</p>
<p>
"(Os jogadores) Poderiam fazer. Mas só isto não autorizaria a volta dos jogos.A volta está atrelada a liberação por autoridades sanitárias", diz.</p>
<p>
A situação, no entanto, pode ser prejudicial a um clube caso um jogador contratado seja infectado pelo coronavírus e pegue a covid-19.</p>
<p>
Hoje, se o atleta sofre acidente e o clube não contratou (o seguro), o clube é condenado a pagar. Sim (vale também para o caso de covid-19). A responsabilidade é objetiva, basta haver o incidente", destaca Neuhaus.</p>
<p>
O argumento do sindicado em Portugal leva em conta a urgência do momento.</p>
<p>
"O SJPF quer, sobretudo, dar aos jogadores a tranquilidade para se concentrarem na sua atividade, compete-nos a nós, Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), clubes, Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e SJPF, garantir todas as questões médicas e medidas de segurança, e todas as questões de âmbito jurídico", diz Joaquim Evangelista, presidente do sindicato português, conforme informou o jornal Diário de Notícias.</p>
<p>
<strong>Veja também: <a href="https://recordtv.r7.com/videos/comerciantes-e-voluntarios-promovem-onda-de-solidariedade-em-meio-a-pandemia-03042020">Comerciantes e voluntários promovem onda de solidariedade em meio à pandemia</a></strong></p>
<p>
A retomada do campeonato português, chamado de I Liga, está prevista para o próximo dia 4 e, segundo a publicação, a  covid-19 não está coberta pelo seguro de acidentes de trabalho dos futebolistas.</p>
<p>
"Estando esta questão por resolver, e sendo, sem dúvida, uma das mais importantes, porque tem a ver com a proteção dos jogadores em casos, que embora residuais e de risco diminuto, podem acontecer, é prioritário garantir que exista uma cobertura legal", completou Evangelista.</p>
<p>
<strong>Veja os 20 jogadores que mais se valorizaram em 2020 no Brasil</strong></p>

<iframe frameborder="0" id="iframe-gallery" src="/embeds/gallery/5e987cbbc012ad2182000a97" style=" width: 790px; overflow: hidden; height: 750px;"></iframe>

Fonte: R7

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!