fbpx

Covid deixou política brasileira de luto em 2020 – Último Segundo

undefined
undefined

undefined

A pandemia do novo coronavírus
foi responsável por mais de 190 mil mortes só no Brasil. Entre estes, algumas personalidades nos deixaram durante o ano de 2020 devido às complicações da doença. Confira, abaixo, pessoas notáveis que faleceram por causa da Covid-19
:

Política

Até o momento, em 2020, ao menos 23 prefeitos
faleceram devido ao novo coronavírus.

Desses, o mais recente foi o prefeito de Mairiporã
(SP), Antonio Aiacyda
(PSD), que morreu na manhã desta segunda-feira (28), vítima de complicações ocasionadas pela covid-19. Aos 71 anos, estava internado desde 1º de dezembro e teve uma parada cardíaca na véspera do Natal.

A primeira morte de um prefeito brasileiro devido à Covid-19 foi em 27 de março, quando Antônio Nonato Lima Gomes
, o Antônio Felicia (PT), 57, prefeito de São José do Divino
(PI) veio a óbito.

Depois dela, óbitos de prefeitos em outros 14 estados em todas as regiões do país entraram para a lista.

Na cidade catarinense de Rio do Oeste
(SC), o prefeito Humberto Pessatti, o Betão
, 56 (MDB) que morreu no dia 15 de dezembro, 16 dias antes do término de seus oito anos de mandato à frente da administração.

Nos dias 13 e 14 deste mês, dois prefeitos paulistas morreram. Foram eles Wair Jacinto Zapelão
(PSDB), 56, prefeito de Santa Clara D’Oeste
e Benedito da Rocha Camargo Júnior, 79, o Dito Rocha
, prefeito de Pardinho, respectivamente.

O primeiro estava internado em observação na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de Santa Fé do Sul (SP) desde o dia 7, sendo transferido no dia seguinte para o Hospital de Base de São José do Rio Preto (SP), onde faleceu apenas cinco dias depois.

Dito, que foi prefeito de Pardinho
em seis mandatos, estava internado em São Paulo.

Com um total de quatro mortes, o estado de São Paulo é o que mais perdeu governante. Os outros dois óbitos foram de Antônio Carlos Vaca
(PSDB), de Borebi
, e Rodrigo Aparecido Santana Rodrigues
(DEM), de Santo Antônio do Aracanguá
.


Ainda em dezembro, no dia 11, Farid Abrão David
(PTB), 76, que governou Nilópolis
(RJ), na Baixada Fluminense, por três mandatos (2001-2008 e desde 2017), faleceu também vítima da Covid-19.

Nilópolis acumula 246 mortes e 1.995 casos confirmados da doença, e terá como prefeito, a partir de 2021, Abraão David Neto
(PL), 40, sobrinho de Farid Abrão David.

No Paraná, no município de Santa Maria do Oeste
, o prefeito José Reinoldo Oliveira
(MDB) morreu no dia 6 de dezembro aos 61 anos. Oliveira foi internado em Ivaiporã e, depois, encaminhado a uma UTI em Curitiba, sendo um dos três óbitos confirmados no município.

O mês de novembro, por sua vez, ficou marcado por três mortes de governantes. Em São Braz do Piauí
(PI), o prefeito Nilton Pereira Cardoso
(MDB), 53, morreu em 5 de novembro. Candidato à reeleição, foi substituído pela sua filha, Deborah Cardoso
(MDB), que foi eleita dez dias depois.

No dia 20, o prefeito de Santa Terezinha
(PE), Geovane Martins, o Vanin de Danda
(Avante), 51, morreu após ficar internado desde o início do mês no Recife. Seu nome foi às urnas com ele no hospital, mas, com 38,93% dos votos, Martins ficou em segundo lugar na eleição do dia 15.

No dia 24, após quase dois meses de internação, Wilson da Silva Santos
(PSDB), prefeito de Jussara
(GO), morreu aos 73 anos, de complicações da doença.

No início da pandemia, a Covid-19 causou um tumulto no município de Araguanã
(TO). O prefeito Hernandes da Areia
(DEM), 54, morreu por causa da doença. Entretanto, ele era vice-prefeito, tendo assumido o governo após a renúncia do titular, em 2017.

Dessa forma, o próximo na sucessão era o presidente na Câmara, porém ele também faleceu, durante o período de internação de Hernandes.

Assim, quem assumiu o cargo foi a vice-presidente do Legislativo, Irene Duarte
(PSD). Primeiramente, foi uma posse interina, mas que depois se consolidou por meio de uma eleição indireta. No último mês, Duarte não tentou a reeleição.

Outros óbitos no sudeste foram dos prefeitos de Duas Barras (RJ), Luiz Carlos Botelho Lutterbach
(PP), e Água Doce do Norte (ES), Paulo Márcio Leite Ribeiro
(PSB. No Sul, Valdir Jorge Elias
(MDB), de Viamão (RS), faleceu.

Já no Nordeste, os governantes de Paraibano (MA), José Hélio
(PT), Ingá (PB), Manoel Batista Chaves Filho
(PSD), Santa Quitéria do Maranhão (MA), Alberto Moreira da Rocha
(PDT), e Santana do Ipanema (AL), Isnaldo Bulhões
(MDB) morreram em decorrência da doença.

Na região Norte do país, os prefeitos de Redenção (PA), Carlo Iavé Araújo
(MDB), e Igarapé-Açu (PA), Nivaldo Costa
(SD). E, no Centro-Oeste, morreu Fabio Mauri Garbugio
(PDT), prefeito de Alta Taquari (MT).

Além dos prefeitos, Irani Barbosa
, ex-deputado estadual e federal de Minas Gerais, morreu, na última quarta-feira (23), em Belo Horizonte
, vítima de Covid-19. O político mineiro tinha 70 anos e estava há 27 dias internado tratando as complicações da doença.

Paulinho Paiakan

Liderança do povo Kayapó
, Paulinho Paiakan
faleceu no dia 17 de junho, aos 67 anos, após contrair a Covid-19 e ficar sete dias em uma Unidade de Terapia Intensiva, no Hospital Regional do Araguaia, município de Redenção, no Pará.

Bep’kororoti Payakan
, seu nome na língua do povo Kayapó, ficou famoso por lutar pela inclusão dos direitos indígenas
na Constituição Federal de 1988.

Também ganhou notoriedade ao protestar pelo cancelamento do primeiro projeto da Hidrelétrica de Belo Monte
e pela demarcação da Terra Indígena Kayapó
em 1991.

O líder indígena deixa suas três filhas, Kokanã (Tânia), O.é e Maial e sua esposa Irekran Paiakan.

Sérgio Trindade

No começo da pandemia, em 18 de março, o engenheiro químico Sérgio Trindade
morreu em Nova York (Estados Unidos devido a complicações causadas pela Covid-19.

Trindade participou do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas
(IPCC), grupo que ganhou o Prêmio Nobel da Paz em 2007
, junto de Al Gore.

Fonte: Google News

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais