fbpx

Entenda como bichectomia pode causar envelhecimento precoce – Lifestyle


Depois que a blogueira Jéssica Frozza afirmou que seu rosto caiu após realizar a bichectomia, muitas pessoas passaram a questionar seus riscos e benefícios. A intervenção requer alto grau de análise prévia, pois se baseia na retirada permanente da gordura na região da bochecha – a chamada “bola de Bichat”.


Realizada com o objetivo de conquistar um rosto mais fino, o procedimento tem causado decepção em muita gente além de Jéssica, tanto que já existem até perfis nas redes sociais onde pessoas desabafam sobre tal frustração (@vitimasdabichectomia). 


O cirurgião plástico e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Victor Cutait, afirma que o resultado final a longo prazo tem altas chances de ser insatisfatório. Isso pode ocorrer tanto fisicamente, já que a bichectomia deixa o rosto com aparência muito fina e desigual, quanto emocionalmente, pois o procedimento, que deveria aumentar a autoestima, tem efeito totalmente contrário e abala a autoconfiança dos pacientes. 


A própria Sociedade Brasileira da Cirurgia Plástica realizou uma campanha em 2019, intitulada “Bichectomia: Não é tão simples quanto parece!”, com o objetivo de demonstrar que a operação pode gerar distorções anatômicas que pioram com o passar dos anos.


Consequências


Outros problemas que podem decorrer essa intervenção no rosto incluem lesões do nervo facial, gerando paralisia, hemorragias, assimetria facial e infecções.


“A gordura é essencial para sustentação da face. Influenciadoras e a mídia trazem a bichectomia, que é a retirada da gordura, como uma operação com ótimos resultados, já que, no primeiro momento, o rosto realmente aparenta harmonia. Mas, a longo prazo, depois de cerca de dois anos, o procedimento pode minimizar drasticamente a gordura e a sustentação do rosto, causando envelhecimento precoce, olheiras e flacidez”, explica o cirurgião.


Apesar de ser uma cirurgia considerada simples e pouco invasiva, o especialista adverte que há uma certa “banalização” do uso e que a operação é mais complexa do que se demonstra. A gordura da bola de Bichat é essencial, pois ajuda a manter o rosto com formato e estrutura adequados, além de ser muito importante para sustentar a musculatura da face.


“A gordura também atua como um amortecedor de impactos, além de ajudar nos movimentos de mastigação. Sua retirada pode, em casos específicos, trazer benefícios, mas é preciso muita cautela para que o resultado não seja o de envelhecimento precoce e desestruturação da face que, infelizmente, é irreversível”, revela o médico. 


Além disso, segundo o cirurgião, a região onde o procedimento é feito é ligada a uma área muito delicada da face, próxima a várias terminações do nervo facial, por onde a saliva circula da glândula para a boca, sendo um dos principais vasos sanguíneos da face. Por isso, é importante pensar com calma antes de se submeter a esse tipo de intervenção estética.


Fonte: R7

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais