Escaladores sem mãos demonstram perseverança e superação em treinamentos na academia

Não faz muito tempo foi publicado aqui na Revista Blog de Escalada o perfil da escaladora norte-americana Maureen Beck. A escaladora que nasceu sem uma das mãos é destaque no esporte em seu país e grande favorita à medalha de ouro da para-escalada nos jogos olímpicos de Toquio 2020. Mas e se você não tivesse nenhuma das mãos? Ainda assim investiria no esporte?

Para a jovem norte-americana Akira Martin, de apenas 12 anos, a resposta é um sonoro sim! “Escalar rochas me ajuda a ver o mundo de uma maneira diferente” afirma a escaladora. Ela nasceu com Síndrome TAR, uma doença genética rara em que o osso radial está faltando em seus antebraços. Agora, ela aprendeu que sua diferença é uma força. A jovem encontrou no Centro Lightdale-Miric um programa conhecido como CATCH, que utiliza a escalada como forma de fisioterapia.

No ginásio Stronghold Climbing Gym, localizado na cidade norte-americana de Los Angeles, o programa de introdução da escalada jovens sem as mãos faz parte da rotina do estabelecimento. Instrutores adaptativos dizem que este ginásio é mais do que um lugar onde as crianças podem construir agilidade e força. Mais importante ainda, é um lugar onde as crianças podem construir confiança.

Os detalhes do programa, assim como as imagens, podem ser vistas no vídeo no topo do artigo.

( function( d, s, id ){ var js, fjs = d.getElementsByTagName( s )[0]; if ( d.getElementById( id ) ) {return;} js = d.createElement( s ); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore( js, fjs ); }( document, 'script', 'facebook-jssdk' ) );

Fonte: R7

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: