Escolas poderão comprar água mineral para os estudantes – Brasil





arrow-options
Agência Brasil

Desde o início do mês, relatos de água suja começaram a aparecer no Rio e na Baixada Fluminense

As escolas da rede estadual de ensino estão autorizadas a comprar água mineral
para os estudantes caso a água fornecida pela Cedae esteja turva, com sabor e cheiro ruins quando começarem as aulas. Segundo o secretário de Educação, Pedro Fernandes, a cota de recursos para manutenção de cada unidade poderá ser antecipada. Desde o início do mês, relatos de água com “gosto de terra” começaram a aparecer em diferentes bairros do Rio e da Baixada Fluminense, deixando os moradores apreensivos.

Leia também: MP vai à Justiça para Cedae apresentar laudos de qualidade da água no Rio

“Uma semana antes do início do ano letivo, faremos uma checagem em todas as escolas para verificar a qualidade da água
, mas temos a garantia da Cedae de que não haverá nenhum problema”, afirmou Fernandes, nesta terça-feira, em entrevista ao Bom Dia Rio, da TV Globo
.

Ainda segundo o secretário, 50 mil alunos não conseguiram vaga nas escolas de preferência durante a primeira fase. Nesta terça-feira, está aberta a segunda fase de matrículas nas escolas estaduais
para quem não foi alocado na primeira fase. São 150 mil vagas disponíveis na fase, e a listagem das unidades está disponível no site da secretaria.

“Há áreas que sobram vagas e outras em que, historicamente, há carência. Nessas regiões, principalmente na Zona Oeste, nós já ampliamos a oferta. Bairros como Campo Grande, Jacarepaguá, Santa Cruz e Pedra de Guaratiba tiveram o número de vagas aumentados para garantir que todos os alunos estudem perto de casa”, garantiu.

Leia também: Especialistas respondem perguntas de moradores sobre a crise da água no Rio

Segunda fase das matrículas

Quem não foi alocado na primeira fase terão até amanhã para escolher a escola no site Matrícula Fácil. Após o cadastro, o aluno ou o responsável terá dois dias para ir à escola selecioanda e confirmar a matrícula. Os que se inscreveram na primeira etapa e foram alocados
e não confirmaram matrícula e os alunos do Ensino Fundamental e do Ensino Médio que não participaram da primeira fase poderão se inscrever a partir do dia 23 de janeiro na segunda fase. É preciso ficar atento à documentação exigida.

“No ato da matrícula é necessário apresentar originais e cópias dos seguintes documentos: carteira de identidade ou documento que a substitua (certidão de nascimento ou casamento); CPF, se possuir; histórico escolar ou declaração da última unidade de ensino em que estudou, constando a série para a qual o aluno está habilitado; carteira de Identidade e CPF do responsável legal, no caso de menor de 18 anos; laudo comprobatório de deficiências declaradas (se for o caso) e comprovante de residência”, lista Fernandes.

A rede estadual também vai abrir mais de 1.600 vagas em três novas escolas da capital, em imóveis que foram comprados pela Secretaria de Educação. No Colégio Estadual Deborah Mendes de Morais, antigo Colégio Figueiras, em Pedra de Guaratiba, serão abertas 590 oportunidades. No Colégio Estadual Rodrigo Otávio Filho, antigo Colégio Republicano, em Vaz Lobo, serão cerca de 600 vagas. Já no Colégio Estadual Mato Grosso, antigo Colégio Futuro VIP, a Seeduc ofertará mais de 450 oportunidades.

Leia também: Crise da água: Diretor de saneamento da Cedae é afastado

O cadastro para transferência de alunos matriculados na rede estadual será antecipado do dia 27 para o dia 23 deste mês. Os estudantes que desejam trocar de escolas e turnos devem acessar o site Matrícula Fácil e selecionar a unidade com vaga disponível. Após a confirmação do cadastro, o aluno terá dois dias úteis para confirmar a vaga.

Fonte: Ultimo Segundo – IG

Deixe uma resposta