Este programa de trainee é para jovens que querem mudar o Brasil

São Paulo – Adson Danilo Lima nunca se interessou por concursos ou pela carreira política, mas sempre teve vontade de trabalhar no setor público.

Por isso, quando estava terminando a graduação em Ciência Política na Universidade Federal de Pernambuco, ele já havia trabalhado no terceiro setor e procurava um desafio maior. Adson queria mudar o mundo.

No final de 2014, viu uma oportunidade no Programa de Trainee da Vetor Brasil, que começa a receber novas inscrições hoje . A organização sem fins lucrativos e suprapartidária aloca jovens talentos dentro do governo, auxiliando em projetos públicos.

Aprovado, deixou a família em Olinda (PE) e mudou-se, sozinho, para Salvador (BA), para trabalhar no planejamento estratégico da prefeitura. “Quem olha de fora não tem ideia da abrangência do serviço da prefeitura”, conta ele.

Após a seleção de candidatos, a Vetor Brasil verifica as vagas disponíveis no governo e apresenta para os órgãos parceiros algumas opções de candidatos. A rede já alocou 260 trainees em 27 unidades federativas.

Os candidatos não escolhem previamente a área e o estado para onde irão, mas durante a seleção podem indicar suas preferências. Apesar do tipo de trabalho e projetos variarem muito, os selecionados sempre atuarão na ponta da gestão pública: onde as coisas de fato acontecem.

Lara Vilela sabia que queria trabalhar com educação. Ela sentia um dever de se dedicar a essa causa após ver o esforço dos pais para que tivesse um estudo de qualidade. Selecionada pelo programa da Vetor, mudou-se de São Paulo (SP) para Recife (PE).

Formada em Economia pela Universidade de São Paulo, Lara foi escolhida pela Secretaria de Educação de Pernambuco para atuar como gerente de planejamento estratégico.

“Não achava que teria tanto espaço para criar coisas novas dentro do governo. Também não achava que iriam confiar tanto em mim. Com isso, senti a grande responsabilidade que era trabalhar com políticas públicas”, diz ela.

Sede de mudança

A Vetor Brasil foi criada em 2014 com a missão de conectar profissionais jovens e motivados a projetos públicos com alto poder de transformação.

Joyce Toyota, cofundadora da Vetor, vê um potencial desperdiçado por conta da  dificuldade do setor em atrair pessoal qualificado, seja por falta de salários competitivos ou empecilhos burocráticos para divulgar as vagas . E isso apenas acentua a ineficiência que todos sempre associam com o governo. “Na verdade, quem trabalha em gestão pública gera impacto social que muda a vida de milhões de pessoas e muita coisa é feita todos os dias”, afirma.

Joyce explica que o programa não faz a seleção mirando o curso ou universidade no currículo. A busca é por pessoas resilientes, que sentem a necessidade de realizar grandes coisas, vencer desafios e estejam engajadas em resolver os problemas brasileiros.

“Não queremos quem fala que tudo é complicado demais para se resolver ou que não é problema seu. Não é por que não somos os culpados que não vamos resolver o problema”, explica ela.

Após o final do programa, Lara e Adson continuaram a trabalhar no setor público e fazem um balanço positivo dos aprendizados que tiveram no início da carreira. Nada, porém, compensa a satisfação que tiveram ao ver o impacto de seu trabalho.

Lara aceitou o cargo em Brasília (DF) como Coordenadora de Gestão no Programa de Apoio à Implementação da BNCC no Ministério da Educação. Para ela, foi possível aprender com tudo, desde seu sotaque paulista em Recife até na criação de um sistema de indicadores para entender os pontos que as escolas da cidade poderiam melhorar.

Desde 2017, Adson faz parte da equipe da Diretoria Geral de Orçamento de Salvador. Ele aceitou o novo desafio querendo desbravar essa parte fundamental da engrenagem pública. Quando um objetivo parece impossível, ele se lembra de um parque que estava abandonado e virou projeto da sua gestão como trainee.

Pode parecer um trabalho pequeno da prefeitura, mas ele acompanhou a mudança e sente muita satisfação ao ver o lugar cheio quando passeia lá aos domingos.

“O Brasil precisa que a gente tente mais, se envolva mais. Se não ocuparmos esse espaço, não muda nunca”, diz Adson.

Quer ser parte dessa mudança? As inscrições para o Programa de Trainee estão abertas até o dia 27 de setembro. Os candidatos podem se cadastrar pelo site.

Para participar, é necessário ter curso superior completo ou previsão de graduação até março de 2019. Todos os cursos e escolas são aceitos.

Toda a seleção é online, mas os candidatos aprovados precisam estar dispostos a se mudar, pois poderão atuar por todo o país. Após a aprovação no processo, também será preciso completar uma formação extra sobre gestão pública oferecida pelo Vetor Brasil.

O salário fica a cargo do órgão público que contratará o profissional, mas a média histórica de salário é de 4 mil reais.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=hwtJlZXtb5k?version=3&rel=1&fs=1&autohide=2&showsearch=0&showinfo=1&iv_load_policy=1&wmode=transparent&w=640&h=390]

(function(d){var id=”facebook-jssdk”;if(!d.getElementById(id)){var js=d.createElement(“script”),ref=d.getElementsByTagName(“script”)[0];js.id=id,js.async=true,js.src=”https://connect.facebook.net/pt_BR/all.js”,ref.parentNode.insertBefore(js,ref)}})(document)

Fonte: Você S/A – Exame

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: