Estudo aponta que contato com a natureza por duas horas por semana melhora saúde e bem-estar

Uma pesquisa científica liderada pela Universidade de Exeter, Inglaterra, e publicada na Scientific Reports (grande site científico de acesso livre) e financiada pelo National Institute for Health Research (maior financiador de pesquisa clínica na Europa), descobriu que pessoas que passam pelo menos 120 minutos por semana em contato com a natureza, são significativamente mais propensas a ter boa saúde e maior bem-estar psicológico do que aquelas que não visitam. No entanto, esses benefícios não foram percebidos em pessoas que visitaram locais naturais, como parques da cidade, bosques, parques e praias por menos de 120 minutos por semana.

O estudo usou dados de quase 20 mil pessoas na Inglaterra e descobriu que não importava se os 120 minutos foram alcançados em uma única visita, ou em várias visitas mais curtas. Também foi encontrado o limiar de 120 minutos aplicado a homens e mulheres, adultos mais velhos e mais jovens, diferentes grupos ocupacionais e étnicos, pessoas que vivem em áreas ricas e pobres e até mesmo entre pessoas com doenças graves ou incapacidades.

O líder da equipe que fez a pesquisa, Dr. Mat White, afirmou que “é sabido que ficar ao ar livre na natureza pode ser bom para a saúde e bem-estar das pessoas, mas até agora não fomos capazes de dizer o quanto. A maioria das visitas na natureza nesta pesquisa ocorreu em apenas dois quilômetros de casa”.

Os dados para a pesquisa atual vieram da Natural England’s Monitor of Engagement com a Natural Environment Survey, o maior estudo do mundo que coleta dados sobre o contato semanal das pessoas com o mundo natural.

O professor Terry Hartig, co-autor da pesquisa, completa o raciocino de seu colega afirmando que “há muitas razões para que o tempo na natureza possa ser bom para a saúde e bem-estar, incluindo perspectivas sobre as circunstâncias da vida, redução do estresse e amigos e familiares”.

Para saber mais sobre o estudo: https://www.nature.com

(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src = “http://connect.facebook.net/en_US/all.js#xfbml=1”;
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));window.fbAsyncInit = function() {
FB.init( {
appId : 1443946719181573,
autoLogAppEvents : true,
xfbml : true,
version : ‘v3.2’
});
};

( function( d, s, id ){
var js, fjs = d.getElementsByTagName( s )[0];
if ( d.getElementById( id ) ) {return;}
js = d.createElement( s ); js.id = id;
js.src = “https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js”;
fjs.parentNode.insertBefore( js, fjs );
}( document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’ ) );

Fonte: R7

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: