fbpx

Estudo conclui que consumo de café pode combater obesidade e diabetes

Um estudo científico da Universidade de Nottingham publicado na revista especializada Scientific Reports, jornal científico online de acesso aberto e publicado pela Nature Research (editora inglesa especializada em revistas acadêmicas fundada em 1869), o consumo de café pode ajudar de maneira efetiva as pessoas a combaterem obesidade e diabetes. A revista tem como objetivo avaliar unicamente a validade científica de um trabalho submetido, ao invés de sua importância percebida, significado ou impacto.

Na pesquisa descobriu-se que o café estimula o tecido adiposo marrom (chamado de gordura marrom), o qual é responsável por ajudar as pessoas a permanecerem magras. O motivo disso é que uma das principais funções da gordura marrom é gerar calor corporal queimando açúcar e gordura. Pessoas com menor índice de massa corporal têm grande quantidade de gordura marrom.

Já a gordura branca é o resultado do armazenamento de calorias em excesso e os especialistas a associam à obesidade e distúrbios metabólicos, como diabetes. A gordura branca é administrada pelo organismo como apenas uma reserva de energia.

“A gordura marrom funciona de maneira diferente de outros tipos de gorduras. O corpo produz calor queimando o açúcar em resposta ao frio. Isso ajuda a melhorar o controle do açúcar no sangue e a perder peso. No entanto, ninguém havia encontrado uma maneira aceitável de estimular sua atividade”, explicou Michael Symonds professor da Universidade de Nottingham e líder do estudo. “Esta é a primeira pesquisa em seres humanos que mostra que uma xícara de café pode ter um efeito direto sobre as funções da gordura marrom”, completa Symonds.

O professor Michael Symonds é cauteloso quanto ao resultado obtido, afirmando que é necessário realizar mais pesquisas que fundamentem sua conclusão no estudo publicado. Isso porque é necessário esclarecer se a cafeína é um dos ingredientes do café que atua como estímulo ou se há outro componente que ajuda na ativação da gordura marrom. O motivo da curiosidade a respeito da bebida é porque no café não há somente cafeína, mas também outros elementos químicos.

O café possui apenas 1 a 2,5 % de cafeína e várias outras substâncias em maior quantidade. Dependendo da torra, há ainda Niacina (0,5%), Ácidos Clorogênicos (7 a 10%), além de aminoácidos, sais minerais, entre outros.

“Assim, uma vez que tenhamos confirmado qual componente é responsável pelos resultados obtidos, ele poderia potencialmente ser usado como parte de uma dieta para controle de peso ou como parte de um programa de regulação da glicose para ajudar a prevenir diabetes “, conclui Michael Symonds.

Para saber mais sobre o estudo: https://www.nature.com

Elisabet de Marco é Design Researcher, apaixonada por viajar e fazer trilhas a pé e de Mountain Bike, já fez mochilão pela Patagônia Argentina, Peru, Bolívia, Brasil e Uruguai.

(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src = “http://connect.facebook.net/en_US/all.js#xfbml=1”;
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));window.fbAsyncInit = function() {
FB.init( {
appId : 1443946719181573,
autoLogAppEvents : true,
xfbml : true,
version : ‘v3.2’
});
};

( function( d, s, id ){
var js, fjs = d.getElementsByTagName( s )[0];
if ( d.getElementById( id ) ) {return;}
js = d.createElement( s ); js.id = id;
js.src = “https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js”;
fjs.parentNode.insertBefore( js, fjs );
}( document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’ ) );

Fonte: R7

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!