Exército vai abrir concurso e convocar policiais aprovados para batalhões do

Medidas são parte da intervenção federal no estado em curso desde fevereiro — governo já investiu R$ 1,2 bilhão no processo
 O subchefe do Gabinete da Intervenção Federal no Rio de Janeiro, general Paulo Roberto Pimentel, afirmou na semana passada que novos concursos serão abertos nos próximos meses para preencher vagas na área administrativa do Exército. Ele ainda disse que aprovados em certames passados serão convocados para trabalhar na capital fluminense no segundo semestre.
As contratações são parte de um pacote de mudanças anunciadas ao longo do mês pelo Exército que, desde fevereiro, tem poderes de governo no Rio de Janeiro. A principal medida é a transferência de nove mil policiais militares do Rio para os batalhões das Forças Armadas federais, para “fortalecer” a intervenção. No começo de julho, o interventor federal na cidade, general Walter Braga Netto, revelou que a Polícia Militar também vai convocar mil novos soldados aprovados em um concurso público em 2014
Pimentel também anunciou que o governo federal liberou R$ 1,2 bilhão para que o Exército vá às compras por meio da Lei das Licitações. “As necessidades já foram identificadas e agora as aquisições serão priorizadas”, afirmou ele em um evento na Associação Comercial do Rio de Janeiro. “Alguns itens mais simples já estão para chegar, como equipamento de proteção individual, colete balístico, capacete, que vão ajudar na diminuição da vitimização policial. Cada secretaria fez a suas requisições de acordo com as suas necessidades, munição variada, viaturas para patrulhamento, para condução de presos, Corpo de Bombeiros, talvez um helicóptero para a Polícia Civil”, completou.
Em julho, os generais participaram do evento que entregou 265 viaturas para a PM do Rio. Elas são parte de uma compra feita pelo governo estadual em janeiro de 580 viaturas — ao todo, elas custaram R$ 37,6 milhões aos cofres estaduais. Ao todo, o Rio investiu R$ 61,6 milhões para a compra de 750 veículos policiais. Também foram liberados outros R$ 93 milhões para a recuperação e manutenção da frota da corporação.
Desde a publicação da Garantia da Lei e da Ordem (GLO) em julho do ano passado, as Forças Armadas realizaram 70 operações no estado do Rio de Janeiro, sendo 51 depois da intervenção. O trabalho de engenharia retirou até agora 142 obstáculos, liberou 130 vias e demoliu três posições de tiro. Foram apreendidos nas operações 137 fuzis pela Polícia Militar e 48 pela Civil. Ainda de acordo com o Exército, de março a maio, a letalidade violenta caiu 16,54% em todo o território fluminense. Por outro lado, o homicídio decorrente de oposição à intervenção policial cresceu 22,94%.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: