fbpx

Exportadores dos EUA vendem soja para China apesar de tensões entre os países

(Shutterstock)

(Bloomberg) – Exportadores de soja dos Estados Unidos venderam várias cargas para clientes estatais chineses, segundo pessoas com conhecimento do assunto. É um sinal de que algumas transações ainda estão em andamento, mesmo depois que autoridades do governo chinês ordenaram a pausa de algumas compras.

Os exportadores venderam quatro cargas de soja americana da nova safra, disseram as pessoas, que não quiseram ser identificadas. A distribuidora estatal Sinograin havia feito uma oferta anteriormente para cargas do noroeste do Pacífico, disseram as pessoas.

Autoridades do governo chinês ordenaram que as principais empresas agrícolas estatais suspendessem as importações de alguns produtos agrícolas dos EUA, incluindo a soja, disseram fontes à Bloomberg News na segunda-feira. Importações de algodão e milho dos EUA por estatais também foram suspensas, disse uma pessoa.

As relações entre os dois países estão cada vez mais tensas. O presidente dos EUA, Donald Trump, culpa o país asiático de falta de transparência sobre a escala e o risco do surto de coronavírus. Mais recentemente, Trump criticou a China pela imposição de uma nova e polêmica legislação de segurança nacional em Hong Kong.

O Ministério do Comércio não respondeu imediatamente a um fax com pedido de comentários. Representantes da Sinograin e Cofco também não responderam às ligações.

Há algumas exceções para a ordem sob a qual as estatais Cofco e Sinograin suspendem as compras americanas de soja, segundo uma das pessoas.

Uma exceção é quando clientes estatais importam em nome de empresas privadas, que não são afetadas pela interrupção, disse a pessoa. Outra é quando as estatais precisam dos grãos para cobrir suas posições de derivativos, e uma terceira exceção é se já existem transações em andamento, disse a pessoa.

A China, principal consumidora de carne suína e soja, havia aumentado as importações de produtos agrícolas dos EUA no mês passado. A paralisação causada pelo coronavírus diminuiu o ritmo de compras da China, que precisa cumprir o compromisso do acordo comercial de importar cerca de US$ 36,5 bilhões em produtos agrícolas dos EUA em 2020.

As estatais compraram mais de 20 cargas, ou mais de 1 milhão de toneladas de soja americana em cerca de duas semanas em maio. Em abril, a China havia importado um recorde de 86.507 toneladas de carne suína dos EUA, quase 600% a mais em relação ao mês anterior, segundo dados alfandegários.

O Segredo das Tesourarias: aprenda como lucrar da mesma forma que os bancos em um curso gratuito do analista e matemático Su Chong Wei

Fonte: Infomoney

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!