F1 – Ferrari explica sua perda de velocidade nas retas em Austin | Autoracing | F1 | Indy | MotoGP

segunda-feira, 4 de novembro de 2019 às 9:45

Ferrari

A Ferrari diz que sua falta de velocidade nas retas no GP dos Estados Unidos se deveu a uma experiência de acerto e não teve nada a ver com seu motor.

Mattia Binotto, chefe da equipe, revelou que a Ferrari decidiu utilizar mais downforce na corrida de Austin para ver como isso afetaria seu desempenho geral contra as principais rivais.

Quando lhe pediram para explicar por que os dados de GPS mostraram que a Ferrari não teve tanta velocidade nas retas quanto em provas recentes, Binotto disse: “É verdade que nós não estávamos ganhando tanto nas retas quanto nas últimas corridas, mas nós igualamos nossos competidores nas curvas – pelo menos na classificação”.

“O compromisso entre limite de aderência e potência foi alterado neste fim de semana, como um teste nosso, para tentar acompanhá-los nas curvas. Acho que é simples assim. Ainda fomos competitivos na classificação, mas algo não funcionou na corrida e nós precisamos entender o que é melhor para as próximas em termos de compromisso”.

Um outro aspecto que precisa ser levado em consideração na análise de performance da Ferrari nas retas durante o fim de semana em Austin é que Charles Leclerc estava usando um motor especificação 2.

Após um vazamento de óleo que tirou Leclerc do TL3, a Ferrari decidiu instalar a especificação 2 menos potente que havia sido utilizada entre os GPs da Espanha e Hungria em seu carro.

Comentando as sugestões de que o desempenho da UP Ferrari caiu bastante, Binotto afirmou: “Não foi tanto. Caiu um pouco, o que nós esperávamos entre a atualização dos motores. Aquela era uma especificação 2 e não a terceira que nós introduzimos em Monza”.

Os rivais da Ferrari não perderam tempo ao apontar que sua vantagem de velocidade nas retas não foi tão grande em Austin quanto vinha sendo recentemente. Uma fonte sugeriu que a diferença de sete ou oito décimos sobre a oposição em pistas anteriores caiu para meio segundo no último fim de semana.

Mas no domingo à noite, Binotto expressou sua decepção com a sugestão dos rivais de que a diretriz técnica da FIA teve relação com a mudança no perfil de performance de sua equipe. Ele disse claramente que a publicação da FIA não fez absolutamente nenhuma diferença, e que a Ferrari na verdade passou pouco tempo analisando os detalhes da diretriz.

“Honestamente, nós vamos analisar a diretriz técnica. Não fizemos isso em detalhes neste fim de semana. Acho que é a de número 35 da temporada. É um processo normal quando as equipes pedem um esclarecimento à FIA e a FIA responde. Teve um impacto na classificação? Eu não sei de nada. Não sou capaz de responder”.

Clique AQUI para apostar no GP do Brasil

 

LS – www.autoracing.com.br

Tags
2019, acusações, austin, autoracing, chefe, comentários, diretriz, equipe, estados unidos, explicação, f1, ferrari, fia, formula 1, formula-1, gp, mattia binotto, melhor site, noticias, perda, resposta, retas, rivais, técnica, velocidade

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.

!function(f,b,e,v,n,t,s){if(f.fbq)return;n=f.fbq=function(){n.callMethod?
n.callMethod.apply(n,arguments):n.queue.push(arguments)};if(!f._fbq)f._fbq=n;
n.push=n;n.loaded=!0;n.version=’2.0′;n.queue=[];t=b.createElement(e);t.async=!0;
t.src=v;s=b.getElementsByTagName(e)[0];s.parentNode.insertBefore(t,s)}(window,
document,’script’,’https://connect.facebook.net/en_US/fbevents.js’);
fbq(‘init’, ‘1394990003897405’); // Insert your pixel ID here.
fbq(‘track’, ‘PageView’);
(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src = “http://connect.facebook.net/pt_BR/all.js#xfbml=1”;
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Fonte: R7

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: