fbpx

Famosos criticam desfile de tanques militares, aplaudido por Bolsonaro

Na manhã desta terça-feira, 10 de agosto, em um momento de forte tensão entre o governo federal e o Poder Judiciário, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) acompanhou o desfile de tanques militares na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

A exibição foi marcada, segundo os organizadores, antes de entrar na pauta do Câmara dos Deputados a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do voto impresso, mas foi lida pela oposição ao presidente como uma ameaça à democracia. A impressão do voto é uma das bandeiras de Jair Bolsonaro, que costuma lançar suspeitas de fraude em relação ao voto eletrônico — sem nunca ter apresentado provas de qualquer irregularidade.

A Marinha, em um comunicado oficial, destacou que o desfile inédito reúne um comboio com veículos blindados, armamentos e outros meios da Força de Fuzileiros da Esquadra, que partiu do Rio de Janeiro. O destino final é o Campo de Instrução de Formosa (CIF), onde é feito anualmente, desde 1988, um grande treinamento da Marinha, a chamada Operação Formosa.

Veja +: Filho 04 de Bolsonaro sonha em entrar em reality show

O desfile não foi muito bem recebido entre alguns famosos. Em suas redes sociais, nomes como Luciano Huck, Armando Babaioff e José de Abreu mostraram indignação com o ato.

LUCIANO HUCK DESCARTA CONCORRER À PRESIDÊNCIA

Definitivamente: Luciano Huck não pretende concorrer à Presidência da República nas eleições do ano que vem. Foi o que o apresentador garantiu ao participar recentemente do programa “Conversa com Bial”, na Globo. Ele enfatizou que decidiu renovar o seu contrato com a emissora e não ingressar na política. No entanto, curiosamente, ele se definiu como um ator político, interessado em dar contribuições para o debate público como “cidadão ativo”. E disse que pretende continuar contribuindo “com ideias”.

“Eu nunca me lancei candidato a nada, vamos deixar claro. Não estaria retirando nada porque nunca lancei candidatura”, afirmou.

O marido de Angélica destacou que sua trajetória como comunicador o levou a viajar o país e conhecer de perto a realidade brasileira. E filosofou.

Veja +: Luciano Huck: substituto do Faustão em 2022

“A fumaça não volta para dentro da garrafa. Eu adoro reunir ideias, pessoas e soluções. Eu continuo na trajetória que sempre tive. Minha trajetória até hoje não foi partidária e nem eleitoral. Ela foi política, porque a política é o que transforma. É nessa política em que acredito e é essa política que a gente tem que ocupar.”

VOTO EM BRANCO

Luciano revelou para Pedro Bial que votou em branco nas eleições de 2018. O apresentador garantiu que se arrepende disso. Mas ressaltou que, em 2022, pretende estar ao lado de quem defende a democracia. O apresentador fez críticas ao governo de Jair Bolsonaro e ao envolvimento das Forças Armadas com a política. Mas também se mostrou contra a antecipação das negociações em torno de nomes para a campanha eleitoral de 2022.

“Acho que quando você começa a colocar as Forças Armadas no caderno de política (dos jornais), estão no lugar errado”, afirmou.

Veja +: Luciano Huck e o documentário “2021: O ano que não começou”

AOS DOMINGOS

No “Conversa com Bial”, Luciano Huck revelou que assumirá e um novo programa em 2022, assumindo o horário que atualmente está sob comando de Tiago Leifert, no “Super Dança dos Famosos”.

“Acredito muito na força da TV aberta num país como o Brasil, um país continental onde a TV ainda é o que mais nos conecta” afirmou.

“Tenho certeza que eu posso contribuir muito para o país estando nos domingos da Globo e fazendo um programa que se conecte com as pessoas, que ouça as pessoas, que traga a esperança de volta e resgate nossa autoestima. Mas isso não quer dizer que eu tô fora do debate público.”

Fonte: O Fuxico

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais