fbpx

Ficar sentado o dia todo traz grandes riscos para a saúde

Ficar sentado o dia todo trás grandes riscos para a saúde

Foto: Shutterstock / Sport Life

Se você trabalha o dia todo, em casa ou no escritório, mas sempre na cadeira, preste atenção! Mesmo que você faça exercícios diariamente, vai prejudicar sua saúde se passar o resto do dia sentado, sem fazer nada.

Ao que tudo indica, não adianta mais seguir as recomendações e correr para a academia todo santo dia se, ao sair de lá, você despenca o bumbum numa cadeira ou num sofá e não se mexe mais até a hora de ir para a cama e dormir. Levar uma vida ativa não significa mais apenas malhar, mas incorporar ao dia a dia outras atividades físicas “não oficiais”, como andar até o carro ou ao ponto de ônibus ou descer ou subir as escadas para chegar ao seu apartamento ou escritório. São essas que realmente interessam, dizem os pesquisadores.

Estima-se que, cada minuto de comportamento sedentário, substituído por alguma movimentação corporal, aumente o gasto energético em um quilocaloria, em uma pessoa de 72 kg.

Para quem trabalha sentado, os pesquisadores recomendam manter os exercícios no fim do dia e acrescentar “passeios” mais longos pelo escritório, conversas ao vivo (e de pé) em vez de e-mail interno, sempre que possível, e até reuniões ao ar livre, caminhando. “Obviamente, não podemos eliminar a cadeira de nossas vidas. Mas devemos tentar reduzir o máximo possível o tempo que passamos sentados”, diz Peter Katzmarzyk, do Centro de Pesquisas Biomédicas de Pennington (EUA).

Não é difícil encontrar maneiras de conseguir isso. Deixar o carro em casa, ficar de pé no ônibus, descer algumas quadras antes para caminhar um pouco ou desenferrujar a bicicleta são medidas  mais do que louváveis.

Mesmo no trabalho, sua empresa pode ajudar.

Por exemplo, adotando mesas de altura regulável que permitam aos funcionários escolher quantas horas vão passar de pé ou sentados na frente do computador, como já faz o Google em seus escritórios. Há também os mini ergômetros feitos para mexer as pernas debaixo da mesa.

Veja também:

Venezuela: os trabalhadores da saúde com salários de US$ 4 por mês e sem equipamentos de proteção

Sport Life

  • separator

Fonte: Terra

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais