Fique por dentro – Gabarito TRF 4 Segurança e Transportes [RECURSOS]

Gabarito TRF 4 Segurança e Transportes [RECURSOS]

Olá, amigos!

Para quem não me conhece ainda, meu nome é Marcos Girão e sou professor aqui do Estratégia Concursos, lecionando as disciplinas Leis Penais Especiais, Legislação de Trânsito, Legislação Específica e Segurança Corporativa para Concursos Públicos.

Para o concurso TRF 4ª REGIÃO 2019, fiquei responsável por ministrar junto ao Prof. Alexandre Herculano a parte de Conhecimentos Específicos (exceto Lei nº 13.146/153) para o cargo de Técnico Judiciário Especialidade Segurança e Transportes! As questões dessa prova foram bastante tranquilas, dentro do esperado, mas duas delas são passíveis de recursos, segundo o gabarito preliminar disponibilizado pela banca. São elas:

[PROVA 07 – TIPO 002]

23. Sobre as saídas de emergência nos locais de trabalho:
I. Devem ser dispostas de forma que, em caso de emergência, seja possível abandonar os locais de trabalho com rapidez e segurança.
II. Devem ser sinalizadas, podendo ser mantidas fechadas à chave durante a jornada de trabalho.
III. Devem ser equipadas com dispositivos de alarme sonoro no caso de tentativa de invasão de estranhos.
IV. Podem ter dispositivos de travamento, desde que permitam a fácil abertura do interior do estabelecimento.
Está correto o que consta APENAS em
(A) I e IV.
( B) II.
(C) I e II.
(D) III.
(E) II e III.

Comentário:

A banca deu como certos os itens I e IV, com a letra A como gabarito preliminar. Acontece que pela redação mais recente da NR 23, com redação dada pela Portaria SIT n.º 221, de 06 de maio de 2011, a regra do item I não mais existe, o que o torna errado para os dias atuais. A redação da NR 23, após essa última atualização, ficou bem mais enxuta, estabelecendo, em seu item 23.1, que legislação estadual e outras normas técnicas aplicáveis é que regulamentarão o assunto nela tratado. Desse modo, o único item correto seria o IV, que esta de acordo com o item 23. 5 da nova redação da NR 23. Confira:

23.5 As saídas de emergência podem ser equipadas com dispositivos de travamento que permitam fácil abertura do interior do estabelecimento.

A nova versão dessa norma está disponível no site do Ministério da Economia pelo link:

https://enit.trabalho.gov.br/portal/images/Arquivos_SST/SST_NR/NR-23.pdf

Desse modo, conclui-se pela anulação da questão, por não haver opção de resposta correta.

Gabarito: A (passível de recurso para ANULAÇÃO)

46. Após a tomada das medidas iniciais de controle e condução de uma crise (conter, isolar e iniciar contato sem concessões), o Técnico de Segurança responsável pelo gerenciamento de determinada ocorrência crítica deverá determinar respectivamente quantos e quais são os perímetros táticos para sua atuação, do seguinte modo:
(A) 5 perímetros / perímetro de análise, perímetro de visualização, perímetro de alcance, perímetro de monitoramento e perímetro de ação.
(B) 1 perímetro / perímetro crítico.
(C) 2 perímetros / perímetro interno e perímetro externo.
(D) 4 perímetros / perímetro de visualização, perímetro de alcance, perímetro de monitoramento e perímetro de ação.
(E) 3 perímetros / perímetro vermelho (interno), perímetro amarelo (intermediário) e perímetro verde (externo).

Comentário:

A banca deu como correto o item E em seu gabarito preliminar. Acontece que de acordo com o Curso de Gerenciamento de Crises – Módulo 1, da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (SENASP/MJ), página 27:

O isolamento do
ponto crítico executa-se através dos chamados perímetros táticos, que são dois:

  • Perímetro tático interno: é um cordão de isolamento que
    circunda no ponto crítico, formando o que se denomina de zona estéril. No
    seu interior, somente devem permanecer os causadores do evento, os reféns
    (se houver) e os policiais especialmente designados. E ninguém mais! Esse
    perímetro deve ser patrulhado por policiais uniformizados, que tenham de preferência
    um temperamento alerta e vigoroso, para afastar e afugentar possíveis
    intrusos.
  • Perímetro tático externo: é destinado a formar uma zona tampão,
    entre o perímetro interno e o público. Nele ficam instalados o posto de
    comando (PC) do gerente da crise e o posto de comando tático (PCT), do comandante do grupo tático especial. No interior desse
    perímetro, admite-se o trânsito e a’ permanência de policiais que não estejam diretamente
    envolvidos com o gerenciamento do evento crítico, pessoal médico, apoio
    operacional (corpo de bombeiros, peritos criminais, motoristas de
    ambulâncias,) e a mídia (tão somente quando da realização de briefings ou
    entrevistas).

Logo, pede-se que o gabarito seja alterado para a letra “C”.

Professor, e porque usar esse Manual, se existem outros na internet, por exemplo?

É porque esse material é disponibilizado por um órgão oficial de referência, o Ministério da Justiça e Segurança Pública, foi amplamente utilizado pela Fundação Carlos Chagas em vários de seus concursos PARA CARGOS SEMELHANTES DE OUTROS TRIBUNAIS e também utilizado nas seguintes outras questões da mesmas prova:

44. Durante o processo de negociação num determinado conflito, o negociador ficou receoso de entregar um “copo de água” a um dos conflitantes. Por conta disso, seu superior o estimulou a utilizar mentalmente os 5 Critérios de Ação, reforçando que apenas a viabilidade/aceite nos 5 itens que o compõem resultaria na entrega do copo de água. Com base nessas informações, os 5 critérios de ação que o negociador deverá utilizar são:
(A) Necessidade, Validade do risco, Aceitabilidade legal, Aceitabilidade moral e Aceitabilidade ética.
(B) Recebimento da demanda, Análise dos superiores, Análise da autoridade, Retransmissão da análise e Execução da ordem.
(C) Acessibilidade, Possibilidade jurídica do pedido, Análise crítica dos superiores, Análise política dos gestores e Ordem de execução.
(D) Análise política do pedido, Reflexão dos gestores, Consulta pública, Análise da consulta e Definição de execução.
(E) Análise da demanda, Cálculo estatístico de viabilidade, Cálculo estatístico de êxito, Planejamento estratégico da ação e Análise da entrega.

Comentário:

A resposta você encontra nas páginas 12 a 14 do Curso de Gerenciamento de Crises – Módulo 1, da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (SENASP/MJ).

Assim,
com o intuito de balizar o processo decisório na ambiência operacional, atendendo
os preceitos dos objetivos do Gerenciamento de Crises, a doutrina do FBI
preconiza três critérios para tomada de decisões:

Necessidade

O
critério de necessidade
indica que toda e qualquer ação somente deve ser implementada quando for
indispensável. Se não houver necessidade de se tomar determinadas decisões, não
se justifica a sua adoção. A equipe deve se perguntar:
A ação que pretendemos fazer é estritamente
necessária?

Validade do Risco

O
critério da validade do risco estabelece que toda e qualquer ação, tem que
levar em conta, se os riscos dela advindos são compensados pelos resultados. A
pergunta que deve ser feita é:
Vale à pena correr esse risco?

Este
critério é muito difícil de ser avaliado, pois envolve fatores de ordem
subjetiva (já que o que é arriscado para um não é para outro) e de ordem
objetiva (o que foi proveitoso em uma crise poderá não sê-lo em outra).

Aceitabilidade

O
terceiro critério, aceitabilidade, implica em que toda decisão deve ter
respaldo legal, moral e ético.

A
aceitabilidade legal significa que
toda decisão deve ser tomada com base nos princípios ditados pelas leis. Uma
crise, por mais séria que seja não dá à organização policial a prerrogativa de
violar leis.

A
aceitabilidade moral implica que
toda decisão para ser tomada deve levar em consideração aspectos de moralidade
e bons costumes.

A
aceitabilidade ética está
consubstanciada no princípio de que o responsável pelo gerenciamento da crise,
ao tomar uma decisão, deve fazê-lo lembrando que o resultado da mesma não pode
exigir de seus comandados a prática de ações que causem constrangimentos “internas corporis”.

Nesse
sentido é clássico o exemplo do policial que se oferece como voluntário para
ser trocado por algum refém. Essa troca, se autorizada, acarreta
questionamentos éticos de natureza bastante complicada, que podem provocar
sérios transtornos no gerenciamento da crise.

Gabarito: A

45. Durante determinado conflito, um Técnico foi acionado para tentar mediar a situação. Ao chegar no local, percebeu que um dos conflitantes apresentava certa desconexão com a realidade, pedindo coisas impossíveis ou inalcançáveis. Segundo as tipologias presentes na doutrina de Gestão de Conflitos, esse indivíduo deverá ser caracterizado pelo Agente como
(A) Terrorista Religioso.
(B) Criminoso Eventual.
(C) Criminoso Profissional.
(D) Emocionalmente Perturbado.
(E) Terrorista Político.

Comentário:

A resposta você encontra nas páginas 17 do Curso de Gerenciamento de Crises – Módulo 1, da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (SENASP/MJ):

2º Tipo – O emocionalmente perturbado:

Pode ser um indivíduo com alguma psicopatia ou simplesmente alguém que não conseguiu lidar com seus problemas de trabalho ou de família, ou que esteja completamente divorciado da realidade.

Algumas doutrinas chamam este último como incidente doméstico, já que normalmente envolve as relações familiares. Estatisticamente, nos Estados Unidos, esse é o tipo de indivíduo que causa a maioria dos eventos críticos. Brigas domésticas, problemas referentes à custódia de menores, empregados revoltados ou alguma mágoa com relação a uma autoridade podem ser o estopim para a prática de atos que redundem em crises.

Não há no Brasil dados estatísticos confiáveis que possam indicar, com exatidão, o percentual representado por esse tipo de causadores de eventos críticos no universo de crises registradas no país, verificando-se nos noticiários que algumas dessas situações se vinculam à prática de crimes chamados passionais.

Gabarito: D

CONCLUSÃO: O Curso de Gerenciamento de Crises – Módulo 1, da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (SENASP/MJ) FOI UTILIZADO COMO REFERÊNCIA PARA TODAS AS QUESTÕES SOBRE GESTÃO DE CONFLITOS/GERENCIAMENTO DE CRISES DA PROVA! LOGO, PEDE-SE A ALTERAÇÃO DE GABARITO DA QUESTÃO 46 (PROVA 07, TIPO 02).

Bom, é isso!  

Logo em breve disponibilizaremos o comentário das mais questões que, a uma primeira vista, seus gabaritos preliminares não foram passíveis de recursos!

E se quiserem falar comigo, tirar dúvidas e ter acesso a dicas e conteúdos gratuitos, acesse nossas redes sociais:  

Email: [email protected]

Instagram: @profmarcosgirao

Fanpage do Prof. Marcos Girão

Canal do Youtube – Prof. Marcos Girão

Seja assinante do nosso canal, é só acessar pelo QR Code:

Créditos:

Estratégia Concursos

Acesse também o material de estudo!

Deixe uma resposta