Fique por dentro – Possível recurso na prova do IBAMA na disciplina de socieconomia

Olá, pessoal! Há um possível recurso na prova do IBAMA, na disciplina de socioeconomia voltada para o licenciamento. A questão sugere que a atual lógica de mercado impõe alto custo social, mas baixo custo ambiental, mas de acordo com todos os estudos realizados pela Organização das Nações Unidas, que pública relatórios sobre o meio ambiente com frequência, é alto o custo ambiental, dada a exploração predatória dos recursos, para atender a crescente demanda mundial.
Podemos solicitar a troca do gabarito, ou a anulação da questão, então escolha sua estratégia e inspire-se nas informações abaixo para formular o seu recurso. Não copie nenhum trecho literalmente, e construa seu argumento, ok? Em cada referência, segue o link delas.

Questão aplicada:
76- A lógica contemporânea de mercado impõe grande custo social e baixo custo ambiental, o que dificulta o desenvolvimento positivo da relação entre meio social e ambiental.
Gabarito preliminar oficial: [C]Gabarito preliminar Estratégia Concursos [E]

Argumentação:
A economia global, regida pela lógica de mercado, provoca impactos que são estudados profundamente por cientistas, e os resultados das pesquisas sobre os impactos socioambientais da ação antrópica sobre o meio ambiente são frequentemente divulgados pelos relatórios da Organização das Nações Unidas, através do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, PNUMA, relatórios do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, IPCC, e estudos acadêmicos em geral.
Os grandes impactos ambientais provocados pela exploração predatória do meio ambiente motivaram os estudos que resultaram no Relatório Brundtland divulgado na década de 80 e que apresentou ao mundo o conceito de sustentabilidade, definido como:

“aquele que atende às necessidades do presente sem comprometer a possibilidade de as gerações futuras atenderem a suas próprias necessidades” (ONU, 1991, p. 46).

Na globalização, diminuiu a pobreza, mas aumentaram as desigualdades, e o consumo humano aumentou expressivamente. O impacto ambiental da exploração de recursos a serem transformados em objetos de consumo e da agropecuária comercial de exportação é enorme, e no mesmo relatório citado, na página 58, é mencionado o impacto ambiental do crescimento populacional nos recursos naturais.

São publicados relatórios pela ONU, como o Panorama Ambiental Global, em sua sexta edição, GEO-6, que endossou em cada edição, os altos custos ambientais para manter o crescimento econômico dos países e o consumo das populações urbanas, principalmente. Foi publicado no periódico Jornal da USP uma síntese dos dados do relatório, que podemos analisar neste link.

No Brasil, a Comissão de meio ambiente e desenvolvimento sustentável, subcomissão rio +20 No capitulo “Diagnóstico do meio ambiente global”, página 7, cita o relatório do programa das nações unidas para o meio ambiente, PNUMA, “Panorama Ambiental Global”, GEO-5:

“as pressões humanas sobre o sistema terrestre aceleram, diversos limiares críticos globais, regionais e locais estão próximos de serem ultrapassados, ou até já o foram. Uma vez ultrapassados, é provável que ocorram mudanças abruptas e possivelmente irreversíveis às funções que sustentam a vida do planeta, com implicações adversas significativas para o bem-estar humano.” (link PNUMA).

O alto custo ambiental da exploração predatória também é mencionado nos estudos do Ministério do Meio Ambiente, em que no em sua página na internet, menciona:

“Com o passar do tempo, muitas áreas naturais foram sendo destruídas para dar lugar à ocupação humana. Animais e plantas foram eliminados, alguns desapareceram e outros, até os dias atuais, ainda correm risco de extinção.” (link MMA)

Yuval Noah Harari, em “Sapiens, uma breve história da humanidade”, diz que “desde 1500 a população mundial aumentou quatorze vezes, a produção, 240 vezes; o consumo de energia, 15 vezes” e que “o século XXI está diante da terceira onda de extinção em massa, e se engana quem imagina que o homo sapiens vivia em harmonia com a natureza. Nos lugares em que o sapiens se dispersou ocorreram grandes ondas de extinção” (2021, p.86).

Finalmente:
Considerando os estudos expostos, podemos concluir que o modelo econômico adotado pelos países desenvolvidos e emergentes, que é regido pela lógica de mercado, além de alto custo social, também tem um alto custo ambiental, o que inclusive motivou o surgimento das ideias de um desenvolvimento sustentável, portanto solicito a mudança de gabarito da questão 76 de [E] errado para [C] certo.

Mais referências para consulta:
O painel intergovernamental de mudanças climáticas, o IPCC, publica relatórios sobre os impactos da ação antrópica, detalhadamente, como podemos observar nesta análise setorial, sobre o impacto das cidades: (documento 1em inglês), (documento 2, em inglês).

Novo relatório da ONU detalha os impactos ambientais da exportação de veículos usados para países emergentes e no próximo link a reportagem “meio ambiente em modo de emergência: (Página de notícias do PNUMA).

Meio ambiente em modo de emergência: (Página de notícias do PNUMA).

Também:
Revista educação ambiental em ação.

É isso ai, pessoal! Bom recurso e foco no sucesso!!!

Créditos:

Estratégia Concursos

Acesse também o material de estudo!

Deixe uma resposta Cancelar resposta