fbpx

Fique por dentro – qual a melhor forma de lidar?

Você conhece alguém que, na primeira tentativa, foi aprovado no concurso público dos sonhos? Aposto que 99% das pessoas responderá que “não”! E por aí já percebemos que as reprovações são naturais e até necessárias. Portanto, o fator determinante para se chegar à aprovação é: qual a melhor forma de lidar com as reprovações?

Neste artigo, apresentaremos algumas lições que irão te ajudar a superar esse comum obstáculo para todo concurseiro, além de demonstrar que as reprovações são muito mais comuns do que você possa imaginar.

Reprovações em concursos.

Não se abale além do necessário com as reprovações

Quase todo aprovado já foi, um dia, reprovado. E se você não desistir e nem desanimar, a sua hora também vai chegar. Portanto, não deixe que as reprovações te tirem do eixo. Permita-se ter um dia de luto, para chorar suas mágoas, mas no dia seguinte volte à rotina de estudos, sem autopiedade e nem moleza.

Destacamos, ainda, a necessidade de não se envergonhar com as reprovações. Sabemos o quanto é difícil dizer para os nossos amigos e familiares que “não foi dessa vez”. Enquanto concurseiros, somos julgados a todo tempo: “mas como não passou, se você só estuda?”; “fulaninho passou em menos tempo que você”; “na sua idade, sua prima já havia passado em 3 concursos públicos”; “disseram que a prova estava super fácil”; “isso não é pra você”. Já ouviu alguma dessas frases? Ela fez com que você se sentisse envergonhado? Pois não fique! Somente quem passou pela trajetória rumo à aprovação sabe que as reprovações fazem parte do processo e o quão difícil é para se manter forte, persistente e focado, apesar da autocobrança e julgamentos de terceiros. Além disso, tenha em mente que cada pessoa tem o seu tempo. Não se compare com os outros!

Voltando à necessidade de não se abalar excessivamente com as reprovações, lembre-se: enquanto você se vitimiza, critica a banca ou lamenta por não ter estudado mais, está perdendo tempo de estudo; e o tempo é um recurso que, uma vez gasto, não há como recuperar. Enquanto você chora, seu concorrente estuda. Por isso, permita-se sofrer momentaneamente, mas jamais deixe com que o luto de uma falha interrompa sua caminhada.

Corrija a prova com atenção

Antes de retomar os estudos, corrija a sua prova e veja onde mais errou. Identifique as disciplinas em que possui mais dificuldade e adeque seu estudo de forma que supra essas carências, sem prejudicar as demais matérias. Uma ferramenta muito útil nesta empreitada é contar com a ajuda de um coach, pois ao entregar seus resultados, o mesmo poderá auxiliá-lo a trilhar um caminho melhor e mais certeiro rumo ao sucesso.

Seu estudo deve ser personalizado. A preparação para o concurso público não é uma “receita de bolo”. Logo, não adianta você fazer exatamente o mesmo que outro concurseiro está fazendo, pois, as limitações, as afinidades com disciplinas, o grau de conhecimento e de experiência e os obstáculos são diferentes. Trilhe o seu próprio caminho, sem olhar para o lado. Veja quais foram os seus erros e monte um planejamento que abranja todas as disciplinas, não só as que você domina e tem prazer em estudar, mas também – e principalmente – aquelas que você não gosta e não domina.

Identifique os motivos que te levaram às reprovações

O que contribuiu para o insucesso? Foi o nervosismo? A falta de controle do tempo? Algum mal-estar físico ou cansaço durante a realização da prova? Falta de conhecimento da matéria? Sensação de já ter visto o assunto, mas não se lembrar com exatidão?

Uma vez identificada a natureza do problema que levou à reprovação, fica mais fácil corrigi-lo. Por exemplo: no caso do nervosismo, o candidato deverá trabalhar sua inteligência emocional. No caso do controle de tempo, poderá fazer simulados cronometrados. No caso do mal-estar ou cansaço, deve se preocupar em ter uma semana pré-prova tranquila, dormir bem e não se expor a situações que possam adoecê-lo. No caso da falta de conhecimento da matéria, deve estudar mais e melhor, tentando abranger o máximo possível do edital (ou, pelo menos, os pontos que mais caem nas provas).

Por fim, o esquecimento da matéria pode se dar pelo nervosismo ou pela falta de revisão e prática. Lembre-se: as revisões e a realização de (muitas) questões são essenciais na preparação para concurso público. Por isso, é essencial treinar, treinar e treinar, o que pode ser feito com o Sistema de Questões do Estratégia.

Não menospreze o potencial de seus concorrentes

A autoconfiança é importante, mas o excesso de confiança é um grande inimigo para os seus estudos, pois você acha que está bem preparado, entra na zona de conforto e passa a estudar menos que os demais candidatos, que estudam incansavelmente por não se sentirem totalmente preparados. Apesar de as reprovações serem naturais, devemos sempre nos preparar e lutar pela aprovação.

Com o tempo, passamos a perceber que as reprovações são extremamente úteis para angariar conhecimento e experiência; servem para te fazer mais forte e ter o “pé no chão” e para te ensinar a controlar seu tempo de prova. Ela nos ensina, ainda, que o estudo deve ser levado a sério, que ninguém passa só porque é inteligente, e que mais do que inteligência, é necessário muito esforço, dedicação, foco e abdicação. Se você não permitir que as reprovações “minem” o seu sonho de passar no tão almejado concurso público, não há o que temer. A vitória será certa, pois só não passa quem desiste.

Leia biografias

Um dos principais erros que cometemos durante nossa preparação para concursos é acreditar que certas situações acontecem exclusivamente com a gente. Seja o percentual de acertos em determinadas matérias, seja o “branco” na hora da prova ou até mesmo as inúmeras reprovações.

Uma dica simples que em muito irá te ajudar: leia biografias. Ao nos depararmos com as histórias de pessoas de sucesso que admirarmos, certamente iremos perceber que existe uma coleção de fracassos antes da vitória. E isso é algo compreensível, visto que a vitória é esculpida ao longo do tempo, e as reprovações são fases necessárias para o aprimoramento de qualquer profissional.

Dessa forma, começaremos a nos considerar mais comuns e entender que não é a ausência de reprovações que leva o candidato à tão sonhada vaga, e sim a capacidade de resistir às derrotas e seguir em frente, sempre entendendo que esses percalços são extremamente naturais.

Considerações Finais

Por fim, ressaltamos que as reprovações são degraus necessários que devemos subir até chegar à aprovação. Portanto, devemos encará-las como oportunidades para crescer e nos preparar como reais candidatos ao cargo com o qual sonhamos. Não encare as reprovações como derrotas, mas sim como chances de evoluir e aprimorar sua inteligência emocional, algo que é peça chave para nosso sucesso.

Forte abraço e bons estudos!

Clique aqui e veja as vantagens do Assinante Platinum!

Créditos:

Estratégia Concursos

Acesse também o material de estudo!

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!