fbpx

Hamilton vence de ponta a ponta GP da Inglaterra animado só no fim

Lewis Hamilton venceu de forma dramática o GP da Inglaterra

Foto: AFP / Grande Prêmio

O GP da Inglaterra foi morno durante quase toda a sua duração. Nem mesmo as intervenções do safety-car com as batidas de Kevin Magnussen e Daniil Kvyat foram capazes de animar a disputa. Apenas nas voltas finais, tudo mudou. Três pilotos tiveram pneus furados: Valtteri Bottas, Carlos Sainz e o líder da prova, Lewis Hamilton. A corrida ganhou ares de dramaticidade com o hexacampeão a se arrastar para a bandeirada na última volta. Mesmo com Max Verstappen se aproximando cada vez mais, Hamilton conseguiu cruzar a linha de chegada. Foi a 87ª vitória na carreira e a sétima do hexacampeão do mundo no circuito de Silverstone. E, talvez, a corrida mais dramática de todas para Lewis.

Valtteri Bottas só conseguiu ameaçar Hamilton na largada. O finlandês tracionou até melhor, mas preferiu evitar o risco de um incidente. Daí em diante, Lewis jamais foi incomodado pelo companheiro de equipe, que caminhava para terminar em segundo, mas teve o pneu furado nas voltas finais. Max Verstappen tirou proveito da situação. O holandês fez uma corrida bastante isolada com a Red Bull, largou em terceiro e assim vinha até ter sido beneficiado pelo furo de pneu de Bottas, garantindo um improvável segundo lugar que quase virou vitória.

Charles Leclerc, com a Ferrari, conseguiu terminar na terceira colocação, mas por pouco não perdeu o pódio para Daniel Ricciardo, da Renault. Lando Norris foi outro que perdeu rendimento na volta final, foi superado pelo australiano e finalizou em quinto, à frente da AlphaTauri de Pierre Gasly. Alexander Albon, que chegou a andar em último depois do incidente com Magnussen no começo da corrida, foi o oitavo. Lance Stroll, com performance bem ruim a bordo da ‘Mercedes rosa’ da Racing Point, salvou o nono posto, enquanto Sebastian Vettel ainda marcou 1 ponto ao terminar o domingo em décimo.

No GP da Inglaterra, Lewis Hamilton conquistou a vitória 87 da sua laureada carreira

No GP da Inglaterra, Lewis Hamilton conquistou a vitória 87 da sua laureada carreira

Foto: AFP / Grande Prêmio

Outro piloto que teve desempenho sofrível nesta tarde foi Kimi Räikkönen. Superado até pela Williams de Nicholas Latifi, o veterano da Alfa Romeo terminou em 17º e último dentre os carros que concluíram a prova.

A quinta etapa da temporada 2020 é o GP do Aniversário de 70 Anos da F1, que vai ser disputado também em Silverstone, no próximo fim de semana.

A partir de 13h (de Brasília) deste domingo, o GRANDE PRÊMIO apresenta o Briefing pós-corrida no canal no YouTube com todas as informações e bastidores do GP da Inglaterra de Fórmula 1.

Saiba como foi o GP da Inglaterra de F1

A quarta corrida da temporada começou com uma baixa. A Racing Point informou que o carro de Nico Hülkenberg sofreu uma pane na unidade de potência antes da volta de saída dos boxes. A equipe de Silverstone trabalhou para colocar o alemão, substituto de Sergio Pérez, infectado pelo coronavírus, na pista, mas não foi possível. Assim, o alemão voltou à F1, mas não conseguiu correr na prova que marcou seu regresso à categoria.

A largada, portanto, foi com 19 carros. Lewis Hamilton não tracionou tão bem, Valtteri Bottas saiu melhor e emparelhou antes da primeira curva, mas o hexacampeão levou a melhor e manteve a dianteira. Charles Leclerc partiu melhor que a Red Bull de Max Verstappen e chegou a colocar a Ferrari em terceiro, mas foi ultrapassado pouco depois pelo holandês. Carlos Sainz e Daniel Ricciardo também começaram bem a corrida e subiram para quinto e sexto, respectivamente, enquanto Lance Stroll caiu para o oitavo lugar.

Kevin Magnussen e Alexander Albon em incidente no início do GP da Inglaterra

Kevin Magnussen e Alexander Albon em incidente no início do GP da Inglaterra

Foto: Reprodução / Grande Prêmio

Na segunda volta, Alexander Albon e Kevin Magnussen disputavam posição, mas o dinamarquês levou a pior após contato com a Red Bull do anglo-tailandês na última curva do circuito britânico, perdeu o controle da sua Haas e acertou a barreira de proteção. Tudo ok com o piloto, mas o safety-car foi acionado pela direção de prova, que pouco depois puniu Albon em 5s por ter sido considerado culpado pela colisão.

A bandeira verde voltou a ser acionada na sexta volta. com top-5 inalterado: Hamilton, Bottas, Verstappen, Leclerc e Sainz. Um giro depois, a Red Bull chamou Albon para os boxes para a troca de pneus em razão de vibrações no carro. A equipe calçou o carro #23 com compostos duros. Já Sebastian Vettel sofria para manter a décima posição e era pressionado pela AlphaTauri de Pierre Gasly.

Daniil Kvyat bate forte na saída da curva Becketts no GP da Inglaterra

Daniil Kvyat bate forte na saída da curva Becketts no GP da Inglaterra

Foto: Reprodução/F1 / Grande Prêmio

O safety-car foi acionado novamente na volta 13. Daniil Kvyat, que andava em 12º, escapou na curva Becketts, bateu muito forte e destruiu o carro da AlphaTauri. Contudo, tudo bem com o piloto russo, que protagonizou atitude feia ao descontar sua frustração no câmera que o filmava após sua saída do carro. Com a bandeira amarela, todos os pilotos, menos Romain Grosjean, foram para os boxes para a troca de pneus.

Durante o período de bandeira amarela, pilotos como Hamilton e Leclerc reclamavam da velocidade imposta pelo piloto do safety-car, Bernd Mayländer. No giro seguinte, na volta 19, o SC voltou para os boxes, e Lewis puxou o pelotão novamente com bandeira verde. Na volta de relargada, Norris passou Ricciardo por fora e foi para cima do companheiro de equipe, Sainz.

Sem ainda ter feito seu pit-stop, Grosjean aparecia em quinto com a Haas. Mas o franco-suíço sofria forte pressão de Sainz, que reclamou da postura do adversário na pista. “Ele mudou a direção. Pilotagem perigosa”. Pouco depois, o espanhol finalmente conseguiu a ultrapassagem e voltou ao quinto lugar, deixando a Haas #8 na alça de mira de Norris.

Romain Grosjean foi alçado ao top-5 graças à estratégia de pit-stop da Haas

Romain Grosjean foi alçado ao top-5 graças à estratégia de pit-stop da Haas

Foto: Haas / Grande Prêmio

Lá na frente, Hamilton seguia nadando de braçada e fazia seguidas voltas mais rápidas. Bottas via a diferença subir para 1s7. Mais atrás, em terceiro, Verstappen fazia uma corrida isolada, não pressionava a dupla da Mercedes, mas também não apertava Leclerc, em quarto. Sainz tentava se aproximar e seguia em quinto, seguido por Norris, que fez a ultrapassagem sobre Grosjean na volta 25. O franco-suíço recebeu uma bandeira preta e branca, de advertência, pela manobra anterior de defesa de posição contra Sainz.

As câmeras da transmissão da corrida mostravam um novo capítulo da fase final da carreira de Kimi Räikkönen. O finlandês era ultrapassado pela Williams de Nicholas Latifi e caiu para 16º e penúltimo, ficando só à frente da Red Bull de Albon, que acabou por superar o ‘Homem de Gelo’. E mesmo Antonio Giovinazzi, com a punição em 5s por infração durante o período de safety-car, estava melhor que o veterano, em 12º lugar.

Outro que sofria claramente era Vettel, que não conseguia sequer se sustentar diante de Gasly, que conseguiu fazer a ultrapassagem na volta 39. Pouco antes, Grosjean jogava duro para se manter à frente de Ricciardo, que conseguiu ganhar a sétima posição antes do pit-stop do piloto da Haas.

Nas voltas finais, Ocon conseguiu superar Ocon até com certa facilidade e avançou para a oitava posição. Ricciardo, por sua vez, pressionava Sainz e Norris e tentava obter o sexto lugar. E Räikkönen, de maneira melancólica, vinha lento na pista depois de ter quebrada a asa dianteira.

Stroll vinha tão mal que conseguiu ser batido até por Gasly, que conquistou o nono lugar quando restavam três voltas para o fim.

A corrida ganhou contornos dramáticos nos giros finais. Bottas e Carlos Sainz tiveram pneus furados nas voltas finais. Hamilton também viveu um grande drama no giro derradeiro e se arrastou para completar a corrida em primeiro, depois de também ter o pneu dianteiro direito furado. O inglês levou muita sorte pela ocorrência ter sido no meio da volta final. A vantagem confortável foi fundamental para que o piloto não fosse ultrapassado por Verstappen, que cruzou a linha de chegada em segundo. E Leclerc, que vinha tranquilo em quarto, abocanhou outro pódio improvável na temporada 2020 da Fórmula 1.

Grande Prêmio

  • separator

Fonte: Terra

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!