fbpx

Hulk convocado. Mas o que importa é o motim inédito da Liga Inglesa – Prisma


São Paulo, Brasil


Goleiros: Everson – Atlético-MG, Santos – Athletico; zagueiro Miranda – São Paulo; meio-campistas, Edenílson – Internacional, Gerson – Olympique Marseille (FRA) e Matheus Nunes – Sporting (POR).


Atacantes: Hulk – Atlético-MG, Malcom – Zenit (RUS) e Vinicius Jr – Real Madrid (ESP).


Eles foram convocados por Tite, depoi se uma ação histórica da Liga Inglesa, a Premier League. Usando a pandemia, com a consequente quarentena de dez dias, na volta, os clubes ingleses se revoltaram e decidiram não ceder seus atletas para a rodada tripla nas Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar. Tanto na América do Sul quanto na África.



A Liga Espanhola resolveu tomar carona no movimento.


A Francesa ficou balançada, mas decidiu pela liberação dos atletas, até por pedidos extraoficiais de Messi e Neymar. Assim como a Federação Italiana.


O Brasil foi atingido em cheio Tite não poderá ter contra o Chile, a Argentina e Peru, Alisson, Ederson, Militão, Thiago Silva, Casemiro, Fabinho, Fred, Firmino, Gabriel Jesus, Raphinha e Richarlison.


Vinicius Júnior teve a liberação do Real Madrid até por uma questão de valorização, teve outra chance de ganhar espaço na Seleção.


Os atletas convocados para substituir os que foram proibidos de atender à convocação sabem. Eles não são prioridade. Tentarão provar ao treinador que merecem fazer parte do grupo.


A grande surpresa foi Hulk. Aos 35 anos, ele não era convocado desde 2016, quando disputou a Copa América.



É uma chance, apesar de estar mais do que claro que Tite tem os seus prediletos. E Hulk jamais fez parte dos seus eleitos. Muito pelo contrário. A convocação é mais do que justa pelo que atacante do Atlético Mineiro está jogando. Mas as chances são remotas que ele fique no grupo principal que o treinador quer levar para o Catar.


O que está em jogo é muito mais do que essas três partidas.


Mas a atitude inesperada, firme da Premier League é que importa. E que abre um precedente perigoso para a Fifa. Há tempos os gigantes europeus estão cansados de ceder atletas para as Eliminatórias Sul-Americanas e Africanas.


Seus jogadores fazem viagens longas, desgastantes. E os clubes, que gastam fortunas para contratá-los e mantê-los, sãos os grandes prejudicados.



O presidente da Fifa, Gianni Infantino, quer, que qualquer maneira, matar o motim pela raiz. Não está fácil. Os clubes ingleses jamais estiveram tão unidos. E não querem, de jeito algum, liberar os seus convocados.


O desejo, nem tão secreto assim, é liberar apenas para competições como Copa do Mundo e Copa América. Não para as longas Eliminatórias.


Infantino seguirá tentando contornar o levante. Ameaça os clubes, a Liga Inglesa de punição.


Se conseguir reverter o quadro, os convocados hoje por Tite seguirão na Seleção.


O treinador está muito preocupado.



Porque a CBF já não consegue arrumar amistosos contra as poderosas seleções europeias, se perder atletas fundamentais ao time nas Eliminatórias, o entrosamento para a Copa do Mundo será diretamente afetado.


Tite sabe o quanto a bilionária Premier League não quer liberar mais atletas para as Eliminatórias Sul-Americanas e Africanas.


Independente de pandemia.


Por isso vive um dos momentos de enorme tensão na Seleção.


Teme contar com seus jogadores escolhidos, só na véspera da Copa.


A Inglaterra já deu o primeiro passo…


Paolo Guerrero adora marcar golaços, mas ama mesmo cavalos


Fonte: R7

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais