fbpx

Luiz Ricardo explica como se tornar um Fotógrafo Profissional

Fotógrafo e Professor de fotografia Luiz Ricardo

Fotógrafo e Professor de fotografia Luiz Ricardo

A fotografia é a eternização de um momento, de um acontecimento, de um período da vida. Todo mundo hoje em dia já tirou ao menos uma foto, por mais simples que ela tenha ficado. Selfies, fotos com os amigos, com a família, de um aniversário, de um bichinho que adotou… As possibilidades são infinitas, e a facilidade para registrar tudo isso com um simples celular é maior ainda.

Ao ver esse mundo imenso de possibilidades, muitas pessoas começaram a fazer disso um meio de ganhar dinheiro e até se tornar um profissional de fotografia.

Mas calma, para ser um profissional, não basta apenas ter bons equipamentos e sair por aí fotografando de qualquer jeito, é preciso ter “feeling” para capturar detalhes, investir em cursos, aprimorar suas técnicas e ter um diferencial, uma marca registrada.

Como se tornar um Profissional

Para falar mais sobre isso, conversamos com o fotógrafo e professor de fotografia Luíz Ricardo, onde ele nos contou um pouco sobre o que é necessário para se tornar um fotógrafo, em quais áreas se pode trabalhar, quanto ganha um profissional dessa área e seus desafios. Confira a entrevista.

O que é necessário para se tornar um fotógrafo profissional?

“Primeiramente é preciso gostar dessa área de fotografia, porque o equipamento não faz a foto sozinho, a gente é quem tem que fazer. E também porque fotografar não é a coisa mais difícil do mundo, mas também não é algo que se aprende da noite pro dia. É preciso estudar e correr atrás.”

“Em relação aos equipamentos, o ideal é ter uma câmera profissional, não existe uma específica. O importante na fotografia não é somente a qualidade e a estética da foto, mas sim a experiência e as lembranças que a gente deixa para as pessoas com aquelas imagens”.

Em quais áreas um fotógrafo pode trabalhar?

“As áreas que um fotógrafo pode trabalhar são muitas. A mais comum é a de ensaios de pessoas, e dentro dessa área existem as vertentes: ensaio individual, ensaio de família, acompanhamento infantil e newborn. Tem também a fotografia de eventos, aniversários, formaturas, casamentos etc”.

“Além da fotografia de pessoas, também podemos fotografar paisagens e produtos, e ganhar dinheiro com isso. Fotografia de paisagens a gente pode vender a imagens para bancos de imagens ou até mesmo para a uma cidade específica. E fotografia de produtos, a gente pode vender para empresas, como por exemplo marcas de roupas, para elas venderem seus produtos na internet”.

“Existe também outra área na fotografia chamada ‘fotografia turística’. Esse é um ramo que não é muito abordado pelos fotógrafos, mas que pode dar muito dinheiro, pois em cidades turísticas as coisas tendem a ser mais caras”.

O que é ensinado em um curso de fotografia?

“Depende muito da área que o curso aborda. Geralmente um curso introdutório vai ensinar as técnicas básicas de como mexer na câmera no modo manual, os tipos de câmera que você deve ter, os tipos de lente etc”.

“O fotografia essencial além de ensinar o básico, tanto para iniciantes quanto para o intermediário, ele também conta como uma experiência para o aluno já entrar no mercado de trabalho. O aluno não conclui o curso apenas sabendo configurar a câmera e equipamentos, ele sai preparado para o mercado de trabalho”.

“O curso aborda técnicas de como perder o medo de vendas, como encontrar os primeiros clientes, como cobrar e receber desses clientes, o que você pode entregar para eles, desde álbuns, fotos reveladas… Como vender novos serviços, como vender mais de um serviço para a mesma pessoa, coisas que a gente geralmente só aprende na prática, no dia a dia”.

Quanto ganha um fotógrafo? É possível viver somente de fotografia?

“Isso depende muito da área em que o fotógrafo trabalha, se essa é a profissão principal dele, se ele faz como um hobby, se ele tem uma equipe tralhando com ele ou se ele trabalha sozinho… Mas um fotógrafo pode facilmente passar dos 2 mil reais mensais, tendo uma cartela pequena de clientes e trabalhando sozinho”.

“Se ele realmente começa a investir e fazer disso uma profissão, ele pode ganhar acima dos 5 mil reais. Porque a fotografia é uma profissão que praticamente se vende sozinha. Cada serviço que você presta, as pessoas compartilham, e com isso já fazem a propaganda do seu trabalho”.

“Se ele for ainda mais além e quiser montar um estúdio, uma equipe e cobrar o valor merecido pelo seu trabalho, esse salário pode passar dos 10, 15 mil reais. Não é algo fácil, mas é algo possível se ele tiver condições de investir em equipamentos, investir em funcionários, investir em divulgação, dá para passar dos 10, 15, até 20 mil reais”.

!function(f,b,e,v,n,t,s)
{if(f.fbq)return;n=f.fbq=function(){n.callMethod?
n.callMethod.apply(n,arguments):n.queue.push(arguments)};
if(!f._fbq)f._fbq=n;n.push=n;n.loaded=!0;n.version=’2.0′;
n.queue=[];t=b.createElement(e);t.async=!0;
t.src=v;s=b.getElementsByTagName(e)[0];
s.parentNode.insertBefore(t,s)}(window, document,’script’,
‘https://connect.facebook.net/en_US/fbevents.js’);
fbq(‘init’, ‘1694031694069354’);
fbq(‘track’, ‘PageView’);

Fonte: Terra Estudos

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais