fbpx

Max. Garoto repete Gerson. Dá a vitória ao Flamengo. E sonha – Prisma


São Paulo, Brasil


5 de julho de 2020.


Maracanã.


Cinco minutos do segundo tempo.


Michael rola a bola para trás, com carinho, para Gerson.


O volante canhoto chuta com força, direção.


Efeito.


Bola no ângulo esquerdo de Kléver.


Flamengo 2 a 0 no Boavista.


2 de março de 2021.


Maracanã.


48 minutos do segundo tempo.


Lázaro rola a bola para trás, com carinho, para Max.


O meio-campista canhoto chuta com força, direção.


Efeito.


Bola no ângulo esquerdo de Luiz Henrique.


Flamengo 1 a 0, no Nova Iguaçu.



Os lances foram idênticos.


E que acabaram sendo fundamentais nas vitórias do Flamengo no Carioca.


O gol do ano passado fez o clube ser o que mais pontos tinha na classificação geral.


O time, que vivia excelente fase com Jorge Jesus, conquistaria o bicampeonato.


O golaço idêntico na noite de ontem tem um importante significado.


Marcou a estreia com vitória do Flamengo no Carioca 2021.


Equipe superpovoada com jogadores do time sub-20.


Entre eles, Max.



No jogo nervoso, tenso, que os garotos rubro-negros disputaram, o golaço.


O chute perfeito, idêntico ao de Gerson.


A grande diferença foram as lágrimas do autor do gol.


“Fiquei emocionado, é a minha estreia pelo Flamengo.”


“Estava vindo da base e cheguei ao grupo profissional.”



“Estou aqui para ajudar o time.”


“Eu me inspiro muito no Gerson, que está no profissional”, disse Max, deixando claro sua inspiração.


Ele foi contratado pelas atuações no Tupi, na Copa São Paulo.


Max não tinha contrato com o time mineiro.


Estava apenas atuando pela exposição, em um acordo com seu empresário.


Deu certo.


“Eu estava disputando a Copinha pelo Tupi, em São Paulo. Foi um olheiro do Flamengo, me viu lá, gostou. Cheguei ao Flamengo, treinei com o grupo do sub-20 e aos poucos fui conquistando meu espaço. Dedico esse gol ao meu pai, que está lá em cima.”


“Uma vez falou para mim, quando eu tinha 13 anos, que eu ia chegar no grupo do Flamengo, e espero poder fazer várias histórias neste clube.”


Na Gávea, ele briga para se firmar no time.


Max saiu da reserva, aos quatro minutos do segundo tempo. 


Jogador versátil, compensou a atuação fraca dos garotos do Flamengo.


Os jogadores bicampeões do Brasil e Rogério Ceni aproveitam a folga.


Enquanto isso, o clube testa suas promessas.


E Max, não só pelo gol, mas pela postura em campo, desperta a atenção.


Meio-campista, canhoto, vibrante, inteligente.


Corajoso.


A primeira impressão é que tem o direito de sonhar com o profissional.


A diretoria flamenguista se animou com o gol do garoto.


Lançar jogadores talentosos.


Uma das principais funções do Carioca…


Jucilei no Boavista: Medalhões disputarão os estaduais em 2021


Fonte: R7

Deixe uma resposta

Jornais Virtuais