Medalha de ouro olímpica para o alpinismo? Sim, a honraria existiu

A International Federation of Sport Climbing (IFSC) teve a honra de ver a escalada esportiva ser promovida como esporte olímpico. Os primeiros medalhistas olímpicos da modalidade foram conhecidos nos Jogos Olímpicos da Juventude em Buenos Aires em 2018. A estreia olímpica da escalada esportiva teve cobertura completa da Revista Blog de Escalada, que foi o único veículo de imprensa dedicado ao esporte outdoor presente no evento.

Os próximos medalhistas, assim como os atletas olímpicos, serão conhecidos em 2020, em Tóquio. Mas em um passado não muito recente, o montanhismo já foi agraciado com a medalha de ouro pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

Medalha olímpica para o Montanhismo

O Prêmio Olímpico de Alpinismo foi concedido pela primeira vez em 1924, pelas mãos do Barão Pierre de Coubertin (fundador dos Jogos Olímpicos da Era Moderna). Não houve “competição de verdade”, apesar de ter ocorrido um fato esportivo que, na opinião de Coubertin, merecia uma honraria.

As medalhas olímpicas foram concedidas pelo talento de alpinismo mais notável, o qual teria de ser realizado durante os quatro anos anteriores à olimpíada.

Pierre de Frédy – o Barão de Coubertin

Desta maneira, a medalha de ouro de 1924 foi designada à primeira expedição ao Monte Everest (8.848 m), que foi em 1922, e foi concedida durante a cerimônia de encerramento dos primeiros Jogos Olímpicos de Inverno em Chamonix.

O Barão Pierre de Coubertine fez um discurso e ao oferecer a medalha para os expedicionários: “Esta medalha é um pequeno testemunho da admiração com a qual todas as nações continuarão a devotar. Vocês honram não apenas seus países, mas a humanidade”. “Saudamos o mais belo tipo de heroísmo, aquele que confronta o perigo cientificamente calculado passo a passo, sem hesitação ou sensacionalismo”, completou o Barão.

Após estas palavras, Cobertine entregou a medalha simbólica ao representante da equipe de alpinistas Bill Strutt. O barão foi claro em pedir que a medalha fosse estendida a todos os montanhistas que faziam parte do primeiro time, incluindo sete sherpas e assistentes nativos que morreram em uma avalanche.

Desta forma, a Índia e o Nepal alcançaram seu primeiro ouro olímpico em 1924 e, embora não estivesse em condições de competição e já tivessem morrido, o Comitê Olímpico Internacional reconhece a existência dessa medalha a estes países.

George Mallory medalhista olímpico

Foto colorida artificialmente de George Mallory

A expedição britânica de 1922 ao Monte Everest foi a primeira expedição de montanhismo com o objetivo expresso de fazer a primeira subida ao cume do Monte Everest. Esta foi também a primeira expedição que tentou escalar o Everest usando oxigênio suplementar. Não só a expedição não conseguiu chegar ao topo, mas também marcou as primeiras mortes de escalada relatadas no Monte Everest.

Na época da entrega da primeira medalha, a mesma equipe estava se preparando para uma segunda tentativa em meados de 1924, alguns meses após após a Olimpíada de Inverno. Como o George Mallory estava na expedição de 1922 e a única pessoa nas três expedições em 1921, 1922 e 1924, acabou curiosamente recebendo a medalha depois de morto.

Os prêmios subsequentes em 1932 e 1936 foram premiados nas Olimpíadas de Verão. Um relatório oficial dos Jogos de Berlim, os membros do COI reconheceram que “a apresentação de prêmios para montanhismo encoraja os jovens a realizar perigosas façanhas”, e o comitê decidiu que quaisquer medalhas subsequentes seriam concedidas apenas para subidas supervisionadas por clubes nacionais alpinos.

Mais tarde, em setembro de 1946, o COI decidiu abandonar o Prêmio Alpinismo.

Medalhistas Olímpicos do montanhismo

Reinhold Messner e Jerzy Kukuczka foram convidados para serem condecorados com medalhas de prata nos Jogos de Inverno de Calgary, em 1988, por concluírem com sucesso cada um dos 14 picos de 8.000 metros.

As medalhas olímpicas de montanhismo entregues foram:

  • 1924: Concedido aos participantes da expedição do Monte Everest em 1922. Incluiu medalhas póstumas para sete sherpas que morreram em uma avalanche.
  • 1932: Concedido aos irmãos alemães Franz e Tony Schmidt pela primeira subida da Face Norte do Matterhorn.
  • 1936: Concedido a Gunter e a Sra. Dyrenfurth da Suíça por sua exploração no Himalaia.

Formado em Engenharia Civil e Ciências da Computação, começou a escalar em 2001 e escalou no Brasil, Áustria, EUA, Espanha, Argentina e Chile. Foi jurado do Rio Mountain Festival e já viajou de mochilão pelo Brasil, EUA, Áustria, República Tcheca, República Eslovaca, Hungria, Eslovênia, Itália, Argentina, Chile, Espanha, Uruguai, Paraguai, Holanda, Alemanha e Canadá. Realizou o Caminho de Santiago, percorrendo seus 777 km em 28 dias.

(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src = “http://connect.facebook.net/en_US/all.js#xfbml=1”;
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));window.fbAsyncInit = function() {
FB.init( {
appId : 1443946719181573,
autoLogAppEvents : true,
xfbml : true,
version : ‘v3.2’
});
};

( function( d, s, id ){
var js, fjs = d.getElementsByTagName( s )[0];
if ( d.getElementById( id ) ) {return;}
js = d.createElement( s ); js.id = id;
js.src = “https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js”;
fjs.parentNode.insertBefore( js, fjs );
}( document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’ ) );

Fonte: R7

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: