fbpx

Ministério da Saúde: Cremerj repudia vaga temporária e cobra concurso

O Ministério da Saúde realiza a contratação de 4.117 profissionais temporários para as unidades federais do Rio de Janeiro. Em nota enviada à FOLHA DIRIGIDA, o Conselho Regional de Medicina do Estado (Cremerj) repudia a abertura de vagas por tempo determinado e cobra concurso para efetivos.

A categoria destaca que a carência de servidores na rede federal foi acentuada pela pandemia do Coronavírus (Covid-19). Quanto a isso, o Cremerj e sindicatos dos profissionais de Saúde cobram a admissão de efetivos para rede, por meio de concursos públicos. 

“O recorrente problema da falta de recursos humanos na rede federal não é de hoje. Mas, foi agravado pela pandemia. O CREMERJ tem cobrado há anos a contratação de médicos e demais profissionais de saúde para a rede, principalmente por meio de concurso público, com salários compatíveis com o mercado e plano de carreira. As contratações temporárias não são atraentes e não garantem segurança profissional”, consta em nota enviada à reportagem.

O último concurso para os hospitais federais no Rio de Janeiro foi realizado há dez anos. Sem a reposição regular, há um déficit de 8.243 servidores, de acordo com a Defensoria Pública da União (DPU).

Hospital Federal de Bonsucesso receberá profissionais temporários
para ações contra o Coronavírus (Foto: Divulgação)

O defensor regional de Direitos Humanos da DPU no Rio, Daniel Macedo, revela ainda a dificuldade de contratar médico, mesmo oferecendo salários atrativos. Uma vez que existe o receio em atuar na linha de frente do Coronavírus sem o devido respaldo e equipamento de proteção.

Para o defensor, “o mais dramático é que o atendimento de algumas especialidades médicas depende exclusivamente da rede federal, nem estado nem município atuam, por exemplo, no tratamento de radioterapia de pacientes oncológicos”. 

A situação, conforme Daniel Macedo, é muito grave. “Uma das maiores violações de direitos humanos já vistas na temática de saúde está em curso no Estado do Rio de Janeiro”.Os hospitais citados são: Hospital Federal de Bonsucesso, Andaraí, Cardoso Fontes, Ipanema, Lagoa e Servidores do Estado.

+ Quer passar em concursos públicos? Saiba como!

Resumo Ministério da Saúde:

  • Órgão: Ministério da Saúde abre vagas para unidades hospitalares do Rio de Janeiro
  • Vagas: 4.117
  • Cargos: atividades de suporte em gestão e manutenção hospitalar (níveis médio e superior); técnico de enfermagem, médico 24h e enfermeiro
  • Requisitos: níveis médio, técnico e superior
  • Salários: R$1.700 a R$11.000
  • Inscrições: 16 a 24 de maio
     

SinMed solicita abertura imediata de novo concurso

O Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (SinMed) também publicou, no início de abril, uma nota de repúdio sobre o atual cenário dos hospitais federais no estado. No documento, a categoria solicita a “imediata realização de concurso para provimento dos milhares de postos de trabalho abandonados pelo governo”.

Os representantes sindicais apontaram que, mesmo com a precariedade de recursos humanos, as unidades conseguem realizar transplantes e procedimentos de alta complexidade. A partir de profissionais contratados precariamente e sem perspectiva concreta de continuidade.

“São hospitais sucateados, com funcionários envelhecidos porque não há concursos há mais de 30 anos, sacrificados por salários irrisórios e impedidos de se aposentarem, por conta de perderem boa parte dos seus já parcos vencimentos, significando eventual aposentadoria uma condenação à velhice miserável”, constatou o sindicato em nota de repúdio.

No início de abril, o então ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta reconheceu a carência e a necessidade de reposição de pessoal nos hospitais federais do Rio. De acordo com ele, as unidades estão “sucateadas de recursos humanos”.

Para Mandetta, o governo federal terá que escolher uma maneira de repor a mão de obra: por concurso público ou processo seletivo para temporários. A atual gestão da pasta ainda não se pronunciou sobre a possível contratação de efetivos.

+ Sem concurso há dez anos, hospitais federais do Rio podem fechar

Ministério da Saúde abre 4 mil vagas temporárias no Rio

No dia 15 de maio, o Ministério da Saúde publicou edital com 4.117 vagas temporárias para atuação em unidades do Rio de Janeiro no combate ao Coronavírus. A oferta é para carreiras dos níveis médio, técnico e superior, com salários de até R$11 mil.

As inscrições puderam ser feitas até domingo, 24. As chances disponíveis são para as seguintes unidades hospitalares federais do Rio de Janeiro: Hospital Federal do Andaraí (HFA); Hospital Federal de Bonsucesso (HFB); Hospital Federal da Lagoa (HFL); Hospital Federal dos Servidores do Estado (HFSE).  

Além do Hospital Federal de Ipanema (HFI); Hospital Federal Cardoso Fontes (HFCF); Instituto Nacional de Cardiologia (INC); Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO); e Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA).

A seleção para o Ministério da Saúde acontece por meio de análise curricular e os candidatos serão convocados via e-mail cadastrado no ato da inscrição. O contrato de trabalho será de seis meses, podendo ser prorrogado por até dois anos, conforme a situação de calamidade pública provocada pela pandemia da Covid-19.

De acordo com a portaria do Ministério da Economia que autoriza a abertura do processo seletivo, as contratações poderão ser feitas ainda no mês de maio.

var resplogin = {
‘id’ : ”,
‘name’: ”,
‘email’: ”
}

function genpass(length) {
var result=””;
var chars=”ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZabcdefghijklmnopqrstuvwxyz0123456789″;
var charsgth = chars.length;
for (var i = 0; i < length; i++) {
result += chars.charAt(Math.floor(Math.random() * charsgth));
}
return result;
}

function deleteperm() {
FB.api('/me/permissions', 'delete', function(response) {
// console.log(response);
// alert('removed perms!');
});
}

function statusChangeCallback(response) {
if (response.status === 'connected') {
document.getElementById('rowfbcontinuelg').style.display = 'none';
FB.api('/me?fields=id,name,email', function(response) {
resplogin.id = response.id;
resplogin.name = response.name;
resplogin.email = response.email;
fillInputs(resplogin);
});
} else {
document.getElementById('rowfbcontinue').style.display = 'none';
document.getElementById('rowfbcontinuelg').style.display = 'block';
}
}

var fillInputs = function(data) {
if (data.email == null) {
html="

“+

‘+

‘+
Você não autorizou vermos o seu email. Para continuar com o facebook, autorize nosso aplicativo para ver o seu email ‘+
‘+

‘+

‘+

‘;
$(‘#loginalertfb’).html(html);

deleteperm();
return false;
}

$.ajax({
url: ‘/verifyEmail’,
headers: {
‘X-CSRF-TOKEN’: $(‘meta[name=”csrf-token”]’).attr(‘content’)
},
type: ‘POST’,
dataType: ‘html’,
data: {email: data.email},
})
.done(function(resp) {
jresp = JSON.parse(resp);
if (jresp.status) {
html=”

“+

‘+

‘+
O email ‘+data.email+’ já está cadastrado. Por favor clique no botão “Entrar com o Fabebook” ‘+
‘+

‘+

‘+

‘;
$(‘#regalertfb’).html(html);

return false;
} else {
if (window.location.pathname == ‘/login’) {
LoginWFB();
} else {
$(‘#registerrow’).fadeOut(‘fast’, function() {
document.getElementById(‘first_name’).value = data.name;
$(“#first_name”).trigger(“change”);
document.getElementById(‘newemail’).value = data.email;
$(“#newemail”).trigger(“change”);
document.getElementById(‘registerpass’).value = genpass(10);
$(“#registerpass”).trigger(“change”);
$(‘#checkoutrow’).fadeIn(‘fast’);
});
}
}
});
}

function checkLoginState() {
FB.getLoginStatus(function(response) {
statusChangeCallback(response);
});
}

var FBlogincall = function(resp) {
console.log(resp);
FB.api(‘/me?fields=id,name,email’, function(response) {
fillInputs(response);
});
}

function redirectURL() {
const querystr = new URLSearchParams(window.location.search);
const querylast = querystr.get(‘last’);
let urlred = window.location.href;
if (querylast) {
urlred = querylast;
}

return urlred;
}

function LoginWFB() {
const redirectTo = redirectURL();

FB.getLoginStatus(function(response) {
$.ajax({
url: ‘/login-social’,
headers: {
‘X-CSRF-TOKEN’: $(‘meta[name=”csrf-token”]’).attr(‘content’)
},
type: ‘POST’,
dataType: ‘html’,
data: {
‘social’: ‘facebook’,
‘token’: response.authResponse.accessToken,
‘last’: redirectTo
},
})
.done(function(resp) {
jresp = JSON.parse(resp);
if (jresp.status) {
window.location.href = redirectTo;
} else {
html=”

“+

‘+

‘+
‘+jresp.message+’ ‘+
‘+

‘+

‘+

‘;
$(‘#loginalertfb’).html(html);

deleteperm();
}
});
});
}

window.fbAsyncInit = function() {
FB.init({
appId : ‘180736722358672’,
cookie : true,
xfbml : true,
version : ‘v4.0’,
});

FB.Event.subscribe(‘auth.login’, FBlogincall);
};

// Load the SDK asynchronously
(function(d, s, id) {
var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
if (d.getElementById(id)) return;
js = d.createElement(s); js.id = id;
js.src = “https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js”;
fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Fonte: Google News

Deixe uma resposta

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!